Resenha: Capitães da Areia

Olá! Quem é viva sempre aparece!
Hoje a resenha faz parte do Especial Nacional do blog Who’s Thanny, idealizado pela Flora e Byzinha, para divulgação de livros nacionais. Aproveito também para lançar a resenha em comemoração ao centenário de Jorge Amado (que não consegui fazer na época – my bad).

Este livro eu li aos 17 anos, lembro que ia até o Instituto Mackenzie para fazer Orientação Vocacional e lia esse livro no percursso de ida e volta de ônibus.

Sinopse: Esta obra narra a história da vida urbana de meninos pobres e infratores que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. O livro vai revelando os personagens, cada um deles com suas carências e suas ambições – do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Fonte

Este livro foi lançado em 1937 e teve vários exemplares queimados naquela época por ser considerado “subversivo”. A verdade é que Jorge Amado escrevia obras que eram verdadeiros abrir de olhos para os brasileiros. Capitães da Areia fala dos meninos de rua de Salvador dos anos 30 – que não são diferentes dos meninos de rua de hoje, diga-se de passagem.

O livro é divido em três partes, a primeira fala do ambiente em que a história acontece, apresentando também Pedro Bala como líder, aquele que faz as regras – e que devem ser obedecidas – e que mantém a ordem no local, a segunda sobre o amor de Pedro Bala e Dora, que entrou para o grupo depois da morte da mãe por varíola (conhecida também como ‘bexiga’) e a terceira parte falando do destino de cada um deles.

Cada personagem do livro tem uma característica marcante, dentre eles destacam-se a história de Pedro Bala, o líder dos Capitães da Areia, filho de um grevista que foi morto e saiu pelas ruas com apenas 5 anos de idade. Se tornou líder dos Capitães da Areia depois de vencer uma luta com o líder anterior, não sem antes ganhar uma cicatriz no rosto em decorrência da luta. Professor, melhor amigo de Pedro e também o único que sabe ler do grupo, além de ser um talentoso desenhista. Ele tambpem se apaixona por Dora, mas não tem seu amor correspondido. Vida Seca, afilhado de Lampião, com uma personalidade sombria para um garoto de 16 anos, Sem Pernas, um jovem coxo que usa sua deficiência como arma para pesquisar os objetos de valor das famílias que o acolhe, Pirulito, um garoto com vocação religiosa, Boa Vida, um garoto que tinha uma prostituta como amante e Dora, que depois que os capitães a acolhem de forma amigável, digamos assim (a intenção inicial era simplesmente violentá-la), torna-se como mãe e irmã deles, adotando também o papel de esposa de Pedro Bala.

Eu sei que muitos podem procurar o resumo e a resolução da história em outros sites, mas não quero falar spoilers. Digo apenas que é uma leitura marcante, não tem como não ler e não tem como parar de ler. Para a época em que foi lançado foi um choque, claro, porque muitos viam as crianças apenas como seres indefesos e incapazes de fazer coisas erradas (roubar, matar, violentar) e este livro retrata uma realidade brutal, os protagonistas não são santos e muito menos inocentes.

Em 2011 foi lançado a adaptação mais recente do filme no cinema. É possível assistir o trailer aqui.

Ficha técnica:
Livro: Capitães da Areia
Autor: Jorge Amado
Páginas: 288
Onde comprar: Livraria Cultura
Minha avaliação:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem