Resenha: Chantagistas não atiram e outros contos

Coletânea de contos de um dos grandes mestres do noir Raymond Chandler, Chantagistas não atiram estava discreto, sem muito amor na sessão de promoções da livraria e logo encontrou um lar. Bonito não é? Uma história de adoção que tinha tudo pra dar certo – eu adoro o gênero. No entanto Chantagistas foi um filho pródigo e ingrato, e está sendo renegado, persona non grata, adios muchacho para siempre da lista de livros noir. Vamos dissecá-lo.

“Chantagistas Não Atiram – Neste livro se desenrolam tramas que abrangem toda a gama de estilos da carreira de Chandler. Seu primeiro conto publicado narra uma história intrincada sobre Ronda Farr, uma estrela de Hollywood chantageada por um ex-namorado. Em “Peixinhos Dourados”, o detetive Marlowe recebe dicas da localização de pérolas desaparecidas há 19 anos e cuja recompensa é de 25 mil dólares. O enredo escrachado e hilariante sobre o homem invisível de “O Rapé do Professor Bingo” comprova a versatilidade do autor. “Armas no Cyrano’s”, no qual o inescrupuloso comportamento de um senador é investigado, encerra a obra.” – Fonte: Skoob

Chantagistas não atiram: o conto que batiza o livro, no mínimo deveria ser grandioso, deveria ser espetacular, mas mostra porque afinal é um mero conto e não um livro. É um tanto confuso, seus personagens não possuem voz própria e sua trama é manjada demais. Atriz famosa é chantageada por policiais corruptos que afirmam possuírem cartas românticas calientes de um ex-namorado e vão soltá-las na mídia se ela não lhes der uma determinada quantia em dinheiro. A trama se torna mais confusa quando as cartas podem ou não ser falsas, a atriz não é tão santa assim e outros interesseiros entram na parada. Como você pode perceber, foi tão impactante que não lembro o nome de nenhum personagem.

Peixinhos Dourados: uma aventura do detetive Marlowe – um dos mais famosos de Chandler, senão o mais famoso. Marlowe é instigado por uma amiga a localizar as perólas Leander, furtadas há 25 anos e cujo paradeiro nunca foi revelado pelo ladrão. Um conto clássico de caça ao tesouro com um pouco de ladrão rouba ladrão e alguns competidores para Marlowe no meio. Possui um final supreendente e é bem divertido.

O Rapé do Professor Bingo:  surpreendentemente o melhor e mais pirado conto do livro. Justamente por se diferenciar dos demais ao acrescentar um toque de fantástico a história – o rapé deixa o usuário invisível – Chandler finalmente mostra por que é bom. Não é necessário armas, detetives, femme fatalles e demais clichês do gênero para fazer uma história boa, o bom noir precisa somente do elemento humano, suas fraquezas, medos e toda gama de emoções que fazem com que façamos muita besteira.

Armas no Cyrano’s: apenas mais um conto sem muita ambição, novamente com a temática da chantagem. Alguns diferenciais que tornam o conto melhor são os personagens possuírem voz própria e melhor escritos, um detetive mais humanizado e uma trama levemente complexa – para o tamanho de um conto – porém com um final muito satisfatório. Outro sopro de ar fresco nesta coleção.

E assim fechamos Chantagistas. Infelizmente eles podem até não chorar, mas você estará chorando de raiva ao finalizar esse livro. Recomendo somente que você procure pelos melhores contos para ler – Rapé, Peixinhos e Cyrano’s – e esqueça o resto da obra.

Ficha Técnica

Título: Chantagistas Não Atiram e outros contos
Autor: Raymond Chandler
Editora: Record
Páginas: 272
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Gustavo disse:

    Nunca havia nem ouvido falar do autor e não me deu muita confiança começar alguma leitura dele kkk. O livro foi tão desanimador pra você que realmente deu pra sentir na sua resenha, e se o nome me chamou a atenção, os contos provavelmente não o farão. Vou ver se acho alguma coisa do autor, curtinha para ler, mas sinceramente já não estou tão interessado assim nele kkk

  • Vitória Ramos disse:

    Sei lá vmas esse livro me deu im desânimo tão grande que eu não vou ler, mas obrigado pela resenha.

  • Douglas Fernandes disse:

    Nossa que triste… hahahaha
    Horrivel quando um livro chega a ser tao ruim que vc nem lembre do nome dos personagens… rsrs
    Eu já nao tenho o costume de ler contos, Com certeza nao é recomendado eu começar por esses…rsrs

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem