Resenha: Cilada para um Marquês

Esse ano eu estou numa vibe de ler romances de época, e calhou que em fevereiro tivemos um clube do livro da Gutenberg, cujo livro escolhido foi justamente Cilada para o Marquês. Eu nem tinha terminado a leitura na época, mas agora posso atualizá-los sobre minhas impressões.

Cilada Para Um MarquêsSophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.

Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.

No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.

O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?

Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam… Fonte

Sophie é uma jovem bem diferente das jovens da sociedade londrina da época. Ela pouco se importa com títulos ou bailes, principalmente porque para a aristocracia britânica o que importa são rótulos e títulos. Não que ela não tivesse um próprio: Era da família Talbot, cujo pai conquistou o título de conde de um jogo de carteado e cujas irmãs aspiravam maridos aristocratas – uma delas (mal) casada com um duque – e são chamadas de As Irmãs Perigosas, ou ainda Cinderelas Borralheiras. E Sophie era a menos interessante (ou desinteressante) da família.

Rei, o Marquês de Eversley, é um homem amargurado, que culpa o pai por seu grande infortúnio, e um notório libertino. Famoso por dissolver vários noivados, quando seu caminho e o de Sophie se cruzam, ele sabe que tem que se livrar dela o quanto antes. Afinal, uma Irmã Perigosa está sempre atrás de um homem com um título para casar.

No entanto, a convivência entre ambos se torna inevitável, e o que seria uma fuga para Mossband, onde Sophie pretendia abrir sua livraria, se torna a aventura de uma vida inteira.

Este é o primeiro livro da série Escândalos e Canalhas, que nada mais é que um periódico sensacionalista. Achei muito bacana que os títulos dos capítulos na verdade são títulos de notícias e, durante a leitura, você acaba descobrindo se a notícia do capítulo acontece ou não.

Essa série é sequência da primeira série publicada pela editora, O Clube dos Canalhas (que eu não li ainda, mas vou ler logo, logo…), e acredito que tenha os mesmos ingredientes dos romances da autora (eu já acompanho a série Números do Amor, publicada pela Arqueiro e que precede O Clube dos Canalhas). Na verdade, eu acabei gostando mais do tom deste livro, Cilada para um Marquês. Ele pareceu menos floreado, acho que mostrando um pouco mais de sarcasmo em seu humor e também um cinismo contido nas atitudes e pensamentos dos personagens que apimentam ainda mais a leitura.

Sophie é o típico patinho feio e que, para variar, tem uma auto-estima um tanto frágil. A própria família não a considera a mais “vendável”, como diz uma de suas irmãs, para fazer um bom casamento – aparentemente, apenas o pai de Sophie não liga para essas coisas e a ama incondicionalmente (apesar de algo que ele pediu a ela que achei que forçou a barra). Eu ficava muito chateada quando Rei falava algo que sabia que ia machucá-la e acaba acertando, apenas para depois se arrepender. Affe! Mesmo assim, Sophie erguia a cabeça e seguia em frente, assumindo riscos e dando a volta por cima.

Rei já é um daqueles homens cheios de convicção e que se acha dono da verdade. E que vê essas “verdades” ruírem uma a uma no decorrer da história – para grande satisfação dos leitores! Você passa a gostar dele mais no momento em que ele começa a tentar entender Sophie do jeito que ela é e não como a sociedade a pinta.

Enfim, é um romance de época digno para os fãs do gênero e da autora. Adorei participar do clube do livro, onde discutimos vários pontos, inclusive a capa! Para quem não sabe, a Gutenberg tinha escolhido uma outra capa, que estava com um ângulo bem… (esquisito) diferente. Então, com as reclamações, eles colocaram para os leitores votarem e o resultado é este aí! Eu gostei, e vocês?

Ficha técnica:

Nome: Cilada para um Marquês
Autor: Sarah MacLean
Páginas: 320
Editora: Gutenberg
Onde comprar: Livraria Cultura / Kobo / Saraiva / Lev / Amazon
Minha avaliação:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Douglas Fernandes disse:

    Legal que que a editora colocaram uma votação para a capa do livro, me deu curiosidade em ver qual era a antiga pra comparar, mas já falando que está capa está realmente muito bonita.
    Enfim eu sempre comento que não tenho o costume de ler romance de época, o que me impressiona e me deixa muito curioso é que vem romance, vai romance e todos recebem 5 estrelas, todos são muito positivos… hahahahaha
    Eu vou ver se pego os que tenho aqui e leio, mas ainda tem um monte de livro na frente, entaõ nao sei quando vou ler… rsrs

  • Lucy disse:

    Oi, Douglas! A outra capa mostrava uma modelo em uma pose que parecia artificial demais, como se tivesse photoshop ali (e parece que não tinha).
    Ah, você devia ler mesmo! rs Mas eu não marco 5 estrelas em todas, se você ler as resenhas sugeridas no “você também pode gostar de…” verá alguns exemplos de resenhas 4 e 3 estrelas. ;-)
    Bjs!

  • Diana Batista disse:

    Oi! Eu nem tinha me dado conta que essa série dá continuidade a O Clube dos Canalhas, que por sua vez, dá continuidade à série Números do Amor. Depois vou procurar as conexões entre eles. Acho as séries dessa autora irregulares, sempre tem um livro que eu gosto e outros que eu gosto mais ou menos, ou não gosto. Esse Cilada para um Marquês eu gostei bastante, comecei a ler sem muita vontade vontade, mas a história é muito boa mesmo. ;)

  • Lucy disse:

    Oi, Diana! É verdade, tem alguns livros que são menos legais. De Os Números do Amor eu mesma não curti tanto o segundo. Com esse eu dei sorte.
    Bjos!

  • Top Ten Tuesday: Dez Livros para quem NÃO curte praia « Por Essas Páginas disse:

    […] Cilada para um marquês, Sarah MacLean – A diferença desse livro é que ele não e passa apenas em Londres, ele tem um toque escocês também, além de ser um romance de época bem bacana. Resenha […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem