Resenha: Como eu era antes de você

como eu era antes de vocêAos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.

Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento.

O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.

Como eu era antes de você, escrito por Jojo Moyes, não é um livro comum. Após terminar a leitura, eu não consegui pegar outro para ler, porque a história continuava comigo. São poucos livros que eu li até hoje que conseguiram tratar um assunto tão sério de uma forma tão singela e bonita.

E é por isso que eu não consegui fazer uma resenha convencional. Inspirada pelo nosso desafio na Maratona Literária, resolvi escrever uma carta para Will, um dos protagonistas dessa linda história.

Querido Will,

Tentei várias vezes começar a escrever essa carta, mas nenhuma delas me pareceu apropriada. É difícil conseguir colocar em palavras o que eu senti ao conhecer a história de vocês dois. E desde o começo foi assim.

Will, pode parecer estranho, mas o que mais me chocou no início sobre o seu acidente não foi o fato de você ter ficado tetraplégico, e sim a ironia de toda a situação. Estava chovendo tanto que você desistiu de sair com a sua moto e pegar um táxi. E quando você foi atravessar a rua, falando no seu celular… Você é atropelado por uma moto.

Sabe, eu nunca pesquisei muito sobre pessoas tetraplégicas. Erroneamente eu achava que quando isso acontece, a pessoa somente perdida os movimentos abaixo do pescoço. Mas eu não sabia dos machucados que poderiam aparecer por causa da pessoa ficar na mesma posição, nem dos cateteres necessários, a dor nas pernas e braços e muito menos dos problemas para regular a temperatura corporal. Você me fez perceber como nós realmente não prestamos atenção em situações que estão tão próximas da gente…

E essa não foi só a minha experiência, pois Louisa também teve as mesmas surpresas que eu. Ela nunca havia trabalhado com um tetraplégico, e foi aos poucos que ela foi aprendendo. Mesmo quando você foi extremamente rude com ela, ela continuo ali, tentando fazer o melhor para você. E ela disse algo muito certo: você só pode ajudar uma pessoa quando ela quer ser ajudada.

E aos poucos você foi se abrindo. Aos poucos você foi mostrando a Louisa o seu lado antes do acidente. Você nem sempre foi aquela pessoa mau-humorada. Você praticava esportes, tinha um emprego bom, vários amigos… Mas todos esses sonhos acabaram com a cadeira de rodas. A cadeira de rodas se tornou a sua prisão e o que era pior de tudo: você sabia que muito provavelmente nunca conseguiria sair dela. A sua vida nunca seria como antes, por mais que você tentasse.

“Eu nunca, nunca irei me arrepender das coisas que eu fiz. Por que na maioria dos dias, se você está preso em uma dessas, tudo o que você tem são os lugares na sua memória em que você poderá ir”.

E eu sofri, Will. Conforme fui te conhecendo através da Lou, a cada página que eu passava, eu queria que essa história fosse um conto de fadas. Eu queria que aparecesse uma fada madrinha e te tirasse da cadeira de rodas. Eu queria que você fosse o rapaz que foi a um concento com a mulher de vestido vermelho não por alguns minutos, mas todas as noites.

Você mudou depois de conhecer a Lou e ela também mudou depois de conhecer você: ela aprendeu a criar asas e voar. E conhecendo a história de vocês dois, eu também mudei. Eu tinha opiniões muito bem formadas sobre um assunto em especial (spoilers), mas eu aprendi que nós devemos sempre analisar os dois lados antes de chegar a uma conclusão. Também aprendi que aceitar é diferente de entender.E eu te entendo Will.

Com amor,

Lany

Resumindo a carta: corram até a livraria mais próxima e COMPREM ESSE LIVRO! AGORA MESMO! E um aviso: não leiam esse livro em lugares públicos, porque você pode começar a chorar no ônibus…

Ficha Técnica

Título: Como eu era antes de você
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Onde comprar: Livraria Cultura/Livraria Cultura (e-book)
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  


PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem