Resenha: Como salvar um Herói

Ficha técnica:

Nome: Como salvar um Herói

Autor: Suzanne Enoch

Tradutor: Thalita Uba

Páginas: 320

Editora: Harlequin

“Ele estava todo de cinza, com exceção da gravata branca de nó simples. A cor e a pouca luz escureciam seus olhos, fazendo-os brilhar. Novamente, Lucinda teve a sensação inquietante de que ele podia ler seus pensamentos.
— Eu plantei as mudas — disse ele subitamente.
— Ah, sim? Ótimo.
— E nós fizemos um acordo.
Minha nossa.
— Sr. Carroway, você não precisa…
— Robert — interrompeu ele.
— Robert, então. Fico grata pela oferta, mas, realmente, não é…
Devagar, ele estendeu a mão e tocou seu rosto, os dedos roçando em sua pele como se esperasse que ela fosse evaporar.
— Eu disse que ajudaria — murmurou ele — e é o que farei.
Um arrepio desceu pela coluna de Lucinda. Tivesse Robert aceitado as rosas ou não, ela não esperava que voltasse a mencionar o acordo. E não esperava se sentir tão… eufórica com aquele toque.”

Gente, talvez essa resenha contenha spoilers, mas eu deixo todos eles “apagados”. Só lê quem quiser selecionar o texto.

Sabe quando você começa a ler uma série e um determinado personagem te chama a atenção? Esse é Robert Carroway.

Lady Lucinda Barret é filha de um general do exército britânico e amiga de Georgiana e Evelyn, protagonistas dos livros anteriores. Em cada história, ficamos sabendo dos itens da lista que elas elaboram para dar uma lição a um cavalheiro em particular. Das três amigas, apenas Georgiana sabia quem seria seu alvo, mas isso não foi problema para Evelyn, como descobrimos no segundo livro.

Para Lucinda, no entanto, essa busca se torna mais vaga, principalmente à medida em que ela não quer ensinar uma lição a alguém, ela quer arrumar um marido e está usando as lições como desculpa. Se isso deu certo para as amigas, poderia dar certo com ela, afinal. E um bom pretendente parece ser o jovem Geoffrey, considerado o Adônis da temporada, e praticamente pupilo de seu pai. Mas ele não parecia precisar de lições…

E eis que Robert surge, casualmente, coincidentemente. Robert, que gosta de ficar nas sombras, sem ser notado. Robert, apelidado de Bit pelos irmãos e que agora é só uma parte do que já foi um dia (em tempo: bit pode ser “pedaço” ou “parte” em inglês e fico feliz que tenham mantido o termo, em vez de traduzi-lo).

Para surpresa de Lucinda, ele se oferece para ajudá-la com Geoffrey e, mesmo não gostando do pai de Lucinda por um determinado motivo, ele se vê ainda mais atraído por ela, e começa a tentar sua escalada de volta à normalidade, mesmo sabendo que não seria uma normalidade plena.

Lucinda é uma personagem prática, que quer paz e sossego. Apesar disso, ela gosta de toda a inquietação que a aflige toda a vez que encontra Robert. E cada vez mais a presença de Geoffrey se torna superficial para ela, mesmo porque ele está mais interessado em impressionar o pai de Lucinda do que ela própria.

Não consegui largar esse livro da primeira à última página, mesmo tempo algumas ressalvas, principalmente com o final (foi um domingo inteiro me esquivando de afazeres domésticos para ler! hahaha).

Lucinda, além de prática, é inteligente e perspicaz. Ela não é tão delicada quanto parece, mas mantém uma fachada para a sociedade. Eu gostei muito da cumplicidade dela com o pai, a união dos dois foi muito bem retratada, mesmo quando houve uma desavença entre eles, é palpável o amor que cada um nutre pelo outro.

Além disso, temos a amizade com Georgiana e Evelyn. Nos primeiros volumes, não vemos tanto a participação das amigas coadjuvantes nas histórias, mas a participação delas e seus respectivos maridos é crucial para a história.

A família Carroway também participa em peso, e nisso eu destaco Edward, irmão mais novo de Robert, também chamado de Nanico. Claro que os demais irmãos também desempenham papéis importantes na história, mas o Nanico deu forças a Robert de uma forma que acho que nenhum dos outros irmãos conseguiu.

E Robert… Um personagem que tenta retornar à sua vida, apesar dos traumas. No primeiro livro da série Lições do Amor, nos deparamos com um homem visivelmente perturbado pelos horrores da guerra, mas não imaginamos o tipo de sofrimento ele ao qual ele passou. Neste livro, descobrimos aos poucos o que Robert passou e as dificuldades que vem sofrendo desde que conseguiu voltar para sua casa, assim como sua escalada para superar seus traumas, inspirado em apenas uma pessoa.

A história prende do começo ao fim, mas confesso que achei o final muito corrido. Faltou um epílogo para fechar com chave de ouro algumas pontas, como [spoiler] Robert já ser apaixonado por Lucinda desde antes da guerra e se ele passa a se dar bem com o pai de Lucinda [fim do spoiler] e o que aconteceu de fato após a conclusão daquele capítulo em si. Teve um final, mas foi como se tivessem tacado uma pedra ali e ponto.

Mas isso também não tirou o brilho da história. Super recomendo esse livro, aliás, a série toda é uma delícia, mesmo tendo ressalvas em algumas partes.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Mari Barros disse:

    Olá!

    Eu não leio muitos romances de época, mas quero muito o fazer, tanto que já tenho alguns aqui em casa. Não conhecia esse livro, mas lembro bem do lançamento dele. Da expectativa criada em torno da revelação da capa e que bom que é uma história tão boa. Com certeza vou anotar aqui

  • Jéssica disse:

    Oi!

    Eu li o primeiro livro dessa série e achei delicioso! Tô querendo real comprar esses próximos dois em breve porque tenho a expectativa de que sejam tão bons quanto e fico feliz por saber que parecem mesmo ser! Adorei a resenha, serviu para me encorajar a continuar a ler essa história

  • Ivi Campos disse:

    Não aguentei e li os spoilers também… rs Sou dessas!!! Eu adoro essa autora e estou muito curiosa pra ler este livro e me divertir e suspirar também!!!

  • Elder Koldney disse:

    Oiê. Eu já adorei a sua resenha porque preciso conhecer novos romances de época e pela sua opinião tem tudo pra eu gostar desse. É muito bom quando uma história nos prende do início ao fim, mostra como tudo foi muito bem construído e trabalhado. Dica anotada.
    Abraço.

  • Kênia Cândido disse:

    Oi Lucivania.

    Eu li a resenha completa não importo com spoiler. Eu ainda não conheço a escrita da autora mas pela sua opinião eu fiquei com vontade de lê-lo. Vou anotar a dica junto com o primeiro livro para lê-los. As vezes gosto de ler romance de época quando necessito de uma leitura tocante e leve. Obrigada pela dica.

    Bjos

  • Luna disse:

    Eu sou louca, louca, louca para ler esse livro!kkkkkk… Desde que li o prmeiro e fiquei impressionada pelo ar sombrio e misterioso do Robert, querendo saber o que de fato tinha acontecido com ele. Mas como eu ainda não li o segundo, ainda preciso esperar um pouco. 🙁 Graças a Deus já tenho todos aqui e poderei ler em breve!

    Estou muito empolgada para me envolver pela história de Lucinda e Robert e fico feliz pela história ter tantos pontos positivos, embora você não tenha gostado tanto do final. Espero amar muito esse livro!

  • De Bem com a Leitura Beatriz Andrade da Silva disse:

    Parece ser uma leitura tão gostosa! Eu fiquei curiosa para ler. Acho chato quando a gente fica sentindo falta de um epílogo, me frustra um pouco, ainda mais se a leitura tiver sido muito gostosa quanto essa parece ser

  • Milena Soares disse:

    Olá! Amei essa trilogia, gosto muito da escrita da Suzanne Enoch, também achei todos os finais muitos corridos e faltou mesmo epílogo.
    Bjs

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem