Resenha: Confissões do Crematório

CONFISSOES_DO_CREMATORIO_1467907532592303SK1467907532BAinda jovem, Caitlin conseguiu emprego em um crematório na Califórnia e aprendeu muito mais do que imaginava barbeando cadáveres e preparando corpos para a incineração. A exposição constante à morte mudou completamente sua forma de encarar a vida e a levou a escrever um livro diferente de tudo o que você já leu sobre o assunto.
Confissões do Crematório reúne histórias reais do dia-a-dia de uma casa funerária, inúmeras curiosidades e fatos filosóficos, históricos e mitológicos. Tudo, é claro, com uma boa dose de humor. Enquanto varre as cinzas das máquinas de incineração ou explica com o que um crânio em chamas se parece, ela desmistifica a morte para si e para seus leitores.
O livro de Caitlin – criadora da websérie Ask a Mortician – levanta a cortina preta que nos separa dos bastidores dos funerais e nos faz refletir sobre a vida e a morte de maneira inteligente, honesta e despretensiosa – exatamente como deve ser. Como a autora ressalta na nota que abre o livro, “a ignorância não é uma bênção, é apenas uma forma profunda de terror”.

Vamos falar sobre a morte?

Esta é a biografia de uma moça incrível chamada Caitlin Doughty. Nascida e criada no Havaí. Formada em história medieval. E fascinada pela morte.

Apesar do tema mórbido este não é um livro gótico e sombrio que romantiza a morte. São as experiências de uma mulher que trabalha em um crematório e suas impressões sobre a “indústria da morte” (funerárias, cemitérios, vendas de caixões, etc.) nos Estados Unidos.

Apesar de ser bastante diferente da nossa realidade no sentido cultural e prático, são informações muito interessantes e é um livro que nos faz pensar na morte de forma clara e como sendo parte das nossas vidas. Porque é!

Caitlin explica como é feita uma cremação e várias de suas experiências como responsável pela cremação em um crematório. Ela nos conta detalhes como, por exemplo, a caixa de papelão na qual o corpo é colocado para ser inserido no forno crematório, a busca de corpos em residências, quando necessário, e outras curiosidades.

Este foi um livro que li em praticamente 2 dias. Teria lido em 1 se tivesse mais tempo. Apesar do tema que ainda consideramos pesado, o livro é fácil e gostoso de ler. E acho que o mais interessante é que ele nos faz pensar sobre a morte como um processo natural da vida. Ele não trata de temas como vida após a morte ou crenças religiosas, mas da morte como um fato em si.

Caitlin Doughty questiona o porquê da necessidade tão grande dos norte-americanos embalsamarem seus mortos, os colocarem em caixões vedados para evitar ao máximo a decomposição, que é o processo natural após a morte, o distanciamento imediato dos mortos.

Achei a capa da Darkside um pouquinho exagerada. A capa original é bem mais discretinha. Sem esse olho em chamas! Em tradução livre o título original seria “A Fumaça entra em seus Olhos”, e não “Seus Olhos Ficam em Chamas”. hehe

SMOKE_GETS_IN_YOUR_EYES_1424338987436932SK1424338987B

Ela possui um canal no YouTube (Ask a Mortician), em inglês, no qual fala sobre todas estas questões e responde a perguntas. E também um site (orderofthegooddeath.com) que fala sobre a aceitação do morte como um processo natural da vida.

Super interessante!!! Eu recomendo!!!

Ficha Técnica

Título: Confissões do Crematório
Autor: Caitlin Doughty
Editora: Darkside
Páginas: 260
Onde comprar: Livraria Cultura / Saraiva / Amazon
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Rônida Lorenzoni disse:

    Nossa… tenho pavor de enterro, defunto, caixão, tenho certeza que não lerei este livro, só em comentar, estou em pânico.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem