Resenha: Coroa Cruel

COROA_CRUELDuas mulheres — uma vermelha e uma prateada — contam sua história e revelam seus segredos.
Em Canção da Rainha, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal — tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte.
Já em Cicatrizes de Aço, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta — e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho.
Esta edição traz, ainda, um mapa de Norta e um trecho exclusivo de ‘Espada de Vidro, o aguardado segundo volume da série A Rainha Vermelha. Fonte

Coroa Cruel faz parte de um livro de contos da série A Rainha Vermelha. São dois contos, eles podem ser adquiridos separadamente e gratuitamente para e-book. O plus do livro físico é que no final dele tem os primeiros capítulos de Espada de Vidro.

Eu não sei vocês, mas eu adorei A Rainha Vermelha e acho que é uma série que você pode dar uma chance. Mesmo com um pouco da carga dramática que temos entre a relação de Cal x Mare x Maven, vale a pena. Por isso os quatro capítulos foram muito bem-vindos como preparação para o lançamento agora em fevereiro do segundo livro.

Desculpem, me empolguei.

Vamos falar dos contos: Em Canção da Rainha, conhecemos a jovem Coriane, que vem de uma família prateada nobre, porém falida, de cantores, prateados que com sua voz podem persuadir você a pular de um desfiladeiro sem pensar. Claro que para isso é preciso prática e Coriane não tem. Depois da morte do tio, seu pai se torna chefe da casa Jacos e ela vai morar na corte, com seu irmão Julian e sua prima idosa Jessamine. Lá, ela conhece Tiberias, o príncipe herdeiro e eles formam um laço de amizade que vai além das expectativas de Coriane.

Sem pretensões de se tornar rainha, Coriane sabe que não tem muita chance na Prova Real, onde as filhas das casas nobres prateadas mostram seu valor. Principalmente contra Elara Merandus, uma murmuradora que consegue ler mentes e fritar cérebros com a força do pensamento. Porém, ninguém contava que Tiberias fosse quebrar o protocolo, tornando Coriane sua esposa – e que se dane a Prova Real.

É complicado falar desse conto, porque no fim das contas sabemos o que acontece – principalmente se você leu A Rainha Vermelha. Eu achei bem escrito, mas infelizmente a própria Coriane pode nos decepcionar um pouco, porque você sempre espera uma protagonista mais forte e durona (tipo Katniss), mas ela é uma jovem não necessariamente fraca, mas muito sensível e fragilizada. O resultado vocês sabem qual foi e se refletiu nos acontecimentos de A Rainha Vermelha.

Em Cicatrizes de Aço, o tempo avança alguns anos para a já estabelecida Guarda Escarlate, o grupo rebelde que quer libertar os vermelhos da vida opressora dos prateados. Conhecemos um pouco mais de Farley e sua função dentro da organização. Ficamos sabendo também como ela conhece Shade Barrow, irmão de Mare, e como ele passa a fazer parte da guarda. Não sei se posso contar até onde o conto vai (acho que a sinopse já deu a dica rs), mas a história faz um paralelo com a do primeiro livro, ambas se cruzando aproximadamente na metade de A Rainha Vermelha.

Farley, ao contrário de Coriane, é determinada. Ela pode não ser forte, já que não tem poderes de prateada, mas sua determinação e teimosia se destacam, mesmo quando ela toma decisões que colocam em risco não apenas seus companheiros de luta, como a própria missão.

Eu gostei dos contos, embora tenha me decepcionado um pouco com Coriane. Acho que também me decepcionei com o rei Tiberias (o marido da Coriane, não o pai dele – todos eles tem o mesmo nome…). Embora ele tenha mostrado um lado mais humano do que mostrou em A Rainha Vermelha, acho que ele foi cego quanto ao que acontecia na corte, sempre focado na guerra que acontecia. Farley também tem sua cota de exageros, já que ela parece obcecada com a missão, doa a quem doer. Mas, vendo pelo lado dela podemos entender, já que a guerra que os prateados obrigam os vermelhos a lutarem trouxe consequências para a família de Farley.

Recomendo muito a leitura para quem é fã da série. Se você leu e não gostou, mas quer insistir para ver se muda de ideia, eu acredito que o conto da Farley será bem recebido.

Esse livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Seguinte.
logo_seguinte

Ficha técnica:

Nome: Coroa Cruel
Autora: Victoria Aveyard
Páginas: 232
Editora: Seguinte
Onde comprar: Saraiva / Livraria Cultura / Submarino / Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem