Resenha: Depois da Queda

Ficha técnica:

Nome: Depois da Queda

Autor: Dennis Lehane

Tradutora: Sergio Flaksman

Páginas: 392

Editora: Companhia das Letras

Compre aqui

Sinopse:

Um casamento tóxico. Uma rede de mentiras. Neste romance de suspense magistral, é difícil saber em quem podemos confiar.

Depois de ter um colapso mental ao vivo, durante uma transmissão de TV, Rachel Childs, antes uma jornalista obstinada e que desbravava o mundo, passa a viver totalmente reclusa. Fora isso, porém, ela leva uma vida ideal, com um marido que parece ideal. Até que, numa tarde chuvosa, um encontro fortuito abala profundamente aquela vida perfeita, assim como seu casamento e ela mesma. Sugada por uma conspiração cheia de decepções, violência e loucura, Rachel precisa encontrar forças nela mesma para superar medos inimagináveis e verdades transformadoras. Emocionante, sofisticado, romântico e cheio de suspense e tensões, Depois da Queda é Dennis Lehane em sua melhor forma.

Depois da Queda me interessou por sua sinopse e por se tratar de um thriller, porém, por algum motivo, eu sempre deixava a leitura para depois. Relia a sinopse, a orelha, e resolvia passar outros livros da pilha à frente. Acho que era meu subconsciente querendo me alertar. Repleto de personagens esquecíveis e desinteressantes, o livro possui uma trama com complicações desnecessárias e um suspense que falha ao empolgar.

Rachel Childs basicamente vive um dia após o outro sendo apenas arrastada pela correnteza. No começo do livro, ela está apenas interessada em descobrir quem é seu pai verdadeiro após a mãe ter morrido em um acidente sem jamais ter revelado a identidade do homem. Por anos, Rachel tenta descobrir quem era essa figura quase mítica, mas coleciona decepções. Por muitos capítulos, acompanhamos sua busca e os desdobramentos dela para, na segunda parte do livro, a trama ser completamente colocada de lado em prol da trama principal: o casamento aparentemente perfeito de Rachel com Brian, seu segundo marido.

Após um colapso ao vivo em uma cobertura de um terremoto no Haiti, Rachel, que era jornalista, acaba deixando a carreira. Ela desenvolve agorofobia, além das crises de pânico, e passa meses sem sair de casa. Mas, por outro lado, ela agora tem Brian, um marido carinhoso e que a compreende. O único problema é que ele vive viajando a trabalho, deixando-a sozinha com frequência. Mas, um dia, quando Rachel consegue sair na rua, ela vê Brian de relance – quando ele deveria estar viajando em outro país. A partir daí, sua vida frágil, construída sobre mentiras, começa a ruir.

No final, a trama pouco importa, uma vez que tantas coisas acontecem e são abandonadas logo em seguida que você acaba perdendo o interesse pela história. O livro passa a ser uma sequência de acontecimentos e o leitor, assim como a protagonista, é apenas arrastado por eles. Rachel, aliás, é uma personagem difícil de gostar; achei muito interessante ela ter transtornos psicológicos, mas isso não parece algo que ajuda a construir sua personalidade e que realmente tem relevância na história – a verdade é que sua doença é utilizada apenas como ferramenta para tornar a resolução da trama mais simples, uma vez que a ideia central do livro seria difícil de ser sustentada se Rachel fosse uma personagem mais ativa. Em certa parte, o autor deixa os transtornos dela de lado e parece que magicamente ela está curada, de um dia para o outro. Mas isso é apenas um dos vários “Deus Ex Machinas” do livro e das incoerências dele.

O autor tenta dar densidade à história, mas só se complica ainda mais. Algumas explicações são jogadas, enquanto em outras ele se demora, explanando excessivamente e cansando o leitor. Há muitas descrições que poderiam facilmente terem sido cortadas, além de diálogos que tentam ser espertos, mas nada acrescentam, tramas abandonadas, personagens inúteis, complicações demais. Além disso, há alguns erros de tradução (ou de revisão), com palavras desencontradas, que prejudicam a leitura.

Infelizmente, Depois da Queda poderia ser um bom thriller, mas peca em vários aspectos e é apenas uma perda de tempo. Para completar, o final é absurdo e brusco, como se o autor precisasse respeitar um limite de páginas e precisasse terminar logo a história ou, pior, ele não soubesse mais o que fazer com ela e simplesmente resolveu parar de escrever. Várias histórias ficam sem resolução, aliás, nem mesmo a trama principal chega a um desfecho; há vários momentos que eu aprecio um final aberto, mas não neste livro, pois ele sequer deixou que o leitor imaginasse um final, a sensação só foi mesmo de algo cortado, e eu fiquei procurando mais páginas, surpresa por me deparar já com os agradecimentos. É uma pena, mas o melhor mesmo é passar para outro livro.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Companhia das Letras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 3
  •  
  •  
  •  


  • Breno Sylva disse:

    Até eu que não li o livro fiquei confuso com o enredo, a sinospe até que é boa, mas essa mistura de acontecimentos virou uma bagunça.

  • Silvânia Alves disse:

    Menina, eu vi uma resenha falando super bem desse livro e até cogitei em comprar, mas depois de ler sua crítica até desisto, por que terminar de ler com sensação de que a história foi largada pela metade não dá né?
    Eu tava mencionando agora em outro blog, sobre os autores não darem aprofundamento nos livros, fazem algo superficial, pra cumprir tabela, sei lá…
    Parabéns pela sinceridade na resenha. Impecável.

  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Caramba, lendo a sinopse parece ser um livro muito interessante, é realmente uma pena quando um livro que tem tudo para ser bom acaba sendo ruim no final. Adorei tua resenha sincera!

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • Dayane Reis disse:

    Olá! O livro apresenta ter tudo para ser interessante. Pelo que disse do incio do livro parecia que a trama seria bacana, pena que é repleto de personagens desinteressantes além de complicações e suspense que falha. Ler um livro que várias tramas e principalmente a principal se ter chegado a um desfecho no final não dá certo. Beijos

  • Ana Paula Medeiros disse:

    Puxa, a introdução da resenha mostra um livro totalmente diferente do que realmente é. Estava empolgada, mas com suas impressões acabei murchando rsrs Uma pena, pois adoro livros com esse estilo.

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!
    É uma pena que a leitura não tenha sido boa, o livro tinha realmente tudo para ser bom e com uma premissa envolvente, mas gostei de conferir suas impressões sinceras.
    Beijos!

  • Luna disse:

    A sinopse deste livro promete tanto que eu já tinha até ficado empolgada, uma vez que amo thrillers. Todava, lendo sua resenha percebi que seria um grande erro. Detesto perder meu tempo lendo um livro, ainda mais com uma pilha que só cresce me aguardando. E quando um autor deixa uma história tão confusa, ainda mais quando ela tinha potencial para ser boa, eu fico furiosa. Com certeza irei passar longe deste livro.

  • Pensamento Literário disse:

    Oi!

    Primeiro obrigada pela sinceridade, isso é muito difícil vindo de um livro em parceria com uma editora. Segundo, desanimei…. muito ponto sem fim, muito assunto inacabado, muita coisa sendo arrastada. Pela sinopse não iria me sentir compelida a ler e muito menos pelo seu ponto de vista.

    Beijos!

  • Marijleite disse:

    Oi, tem duas premissas no livro que poderiam dar uma história interessante, a da busca pelo pai e do marido que não estava viajando, mas pena que, ao que parece, nenhuma das duas foi bem aproveitada. Bom saber para não correr o risco de ler e me estressar com esse livro.

  • PaH disse:

    Nossa, o livro promete tanto que é uma pena que o desenvolvimento não cumpra o prometido, mesmo assim acho o enredo interessante, pena que nao foi bem trabalhado
    bjo

  • Beatriz Andrade disse:

    Olá, tudo bem?
    Esse é o meu gênero preferido e estou muito curiosa com esse livro, é uma pena que a leitura não tenha sido boa para você. Gostei bastante de ver a sua sinceridade e achei os pontos que você mencionou válidos. Eu ainda não comprei o livro, mas agora acho que vou demorar mais um pouco para comprar e quando o fizer eu espero gostar da leitura ou pelo menos não me decepcionar.

  • Gaby Marques disse:

    Gostei da resenha! Sinceridade é tudo. E que pena que o livro foi assim tão decepcionante. Chato quando isso acontece! Eu adorei a sinopse e acho que leria sim, mas agora vou sem expectativas mesmo, para que o baque não seja tão feio haha,

    Beijos!

  • Pollyanna Assis Campos disse:

    Olá, tudo bom?
    Eu li esse livro no início do ano passado e ao contrário de você, eu gostei bastante. De fato é um livro com muuuuitos acontecimentos, que ao meu ver levam para o acontecimento final. Se Rachel não tivesse a infância sem pai, passasse a procurá-lo, passasse pelo trauma no Haiti, muito provavelmente ela não teria se casado com quem se casou nem passaria pelo que passou. Achei bem interessante essa narrativa de anos para chegar em algum lugar. Quanto a cura dela ser repentina, eu não vi bem assim. Ao longo da trama vemos ela tentando superar isso. As pequenas saídas, a crise de pânico. Não me passou a impressão de ser algo instantâneo. Mas enfim! O legal da leitura é isso, as várias perspectivas e impressões que uma obra pode causar em cada leitor. ♥
    Uma dica, se não curtiu esse, não assista o filme do outro livro do autor, é exatamente nesse estilo rs
    Beijos!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem