Resenha: Depois Daquela Montanha

Você assistiu o filme, mas não leu o livro? Sabe de nada, inocente! Esqueça tudo o que você viu e leia o livro!!

O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo.

Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida.

Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada.

Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem

agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.

Publicado em mais de dez países, Depois Daquela Montanha chegará às telas de cinema em 2017, com Kate Winslet (de Titanic) e Idris Elba (de Mandela) escalados para os papéis principais de uma história que vai reafirmar sua crença na vida e no poder do amor.

Dois desconhecidos presos em um aeroporto, seus voos cancelados por causa de uma tempestade de neve. Cada um tem seus motivos para precisar muito voltar pra casa. O Dr. Ben Payne tenta achar uma forma de ir para casa e tem a brilhante ideia de ajudar a moça simpática que só queria ir para casa pra poder se casar!

Mas… nem tudo sai como o planejado e eles sofrem um acidente em montanhas isoladas e cobertas de neve. E pra piorar um pouco a situação, Ashley está muito machucada e levantar e andar é impossível.

A partir daí, vemos as lutas e soluções para que saiam em busca de auxílio. O Dr. Payne usa todo seu conhecimento para conseguir que se mantenham hidratados e conseguir algum alimento. Ele cria uma forma de transportá-la pelas montanhas, porque se continuarem onde estão, eles não sobreviverão. E sabem que ninguém está procurando por eles.

Devido à situação de Ashley, Ben precisa até mesmo ajudá-la para fazer xixi e isso acaba gerando situações de intimidade que seriam constrangedoras se não fosse a situação e a possibilidade de morrerem ali.

Aos poucos eles também passam a se conhecer melhor, a conhecer o que move cada um. Mas, ainda assim, há algo de misterioso a respeito da vida do Dr. Payne.

Confesso que achei um pouco estranho, quando eles estão finalmente abrigados em uma cabana no meio do nada, que ela tenha questionado se ele não se sentia atraído sexualmente por ela. Gente! Sério! O livro está o tempo todo dizendo que eles estão perdendo peso sem parar, que até a roupa íntima está pendendo solta do corpo, ela está com uma fratura horrível na perna, ele costurou um talho que ela fez na testa, deve estar com uma olheira digna do Tio Chico da Família Adams, sente dor o tempo todo, e a preocupação dela é se ele sente ou não atração por ela? Sério?!?!?!

Fora isso, o leitor acompanha toda a trajetória das personagens com o coração na mão, torcendo pelo melhor.

Mas o mais interessante no livro é o desenrolar da personagem do Dr. Ben Payne. Os capítulos são intercalados entre mensagens que ele grava em um gravadorzinho digital, pelo qual ele “conversa” com a sua esposa, e a narrativa da história.

O final me surpreendeu e até fiquei com uma lagriminha nos olhos!

O livro, eu recomendo!

Quanto ao filme… pode-se dizer que ele foi livremente baseado na ideia do livro. E só.

Ficha técnica:

Nome: Depois Daquela Montanha
Autor: Charles Martin
Páginas: 304
Editora: Arqueiro
Onde comprar: Amazon
Minha avaliação:

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Carolina Durães de Castro disse:

    Oi Drika, tudo bem com você? Eu ainda não li o livro e nem assisti ao filme, mas estranhei essa parte do questionamento dela ao ler sua resenha. Honestamente, a parte sexual seria o último item da minha lista em uma situação de vida ou morte dessas rs.
    Bjkas

  • Ana Souza disse:

    Eu vi o filme só por causa do Idris Elba… Admito! huauhahuahu
    Não sabia que existia uma obra …. Fiquei bem curiosa agora!
    Adorei sua resenha e com certeza a dica está mais que anotada!
    Vamos ver as diferenças entre o livro e o filme! Adoro fazer isso! rs

    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

  • Fabiana Scola de Azevedo disse:

    Assisti o filme assim que foi lançado e eu já namorava essa capa a algum tempo, mas na verdade li comentários que o livro não era essas coisas, desanimei um pouco, mas vendo o filme vi que sim, pode ser um bom livro. Até pq no filme o foco dela não é saber se ele se sente atraido por ela ou não, parece que no filme a historia é mais “madura” mas a leitura está valendo

  • Cabine de Leitura disse:

    Não vi o filme e menos ainda li o livro, mas a algum tempo esse livro (com a capa banner do filme) fez sucesso e vi diversas resenhas, mas nenhuma me abri o os olhos para a parte do relacionamento entre Payne e Ashley, não sabia que os dois estão só os frangalhos, por outro lado saber que despertam empatia para torcermos por eles mostra que a história é envolvente e palpável. Fiquei curiosa com o final surpreendente, quero ler/ assistir.

  • Carol Mendes disse:

    Já vi o livro por aí e acho a capa tão simples e bonita, e a história parece ser bem interessante; mas realmente não faz sentir passar por poucas e boas e a preocupação de sentir atração sexual hahaha.
    Se eu tiver a oportunidade quero ler!

    Virando Amor

  • Juliana Campos disse:

    Parece ser interessante e surpreendente esse livro, mas essa parte que ela o questiona sobre se ele sente atração por ela é estranho, justamente pelas condições físicas deles no momento. Não tive ainda a oportunidade de ler e nem assistir o filme.

  • manuscrito literario disse:

    Olá!
    Eu já tentei ler esse livro e não consegui concluir.
    Achei a capa linda e fui muito interessada na premissa, mas não rolou.
    Que bom que você curtiu a leitura, vou deixar sua resenha salva aqui e dá mais uma chance ao livro no futuro!
    Beijos
    http://www.manuscritoliterario.com.br

  • Aline M. Oliveira disse:

    Oi! Sempre que lia sobre este livro, achava que fosse só um romance, mas é muito mais que isso. É algo que vai fundo na vida dos personagens. São suas vidas, literalmente, jogadas ali, na montanha. A premissa é muito interessante, gosto de livros que trazem reflexão e superação.

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!
    Eu tive oportunidade de ler e assistir o filme. Confesso que gostei bastante da adaptação pois senti dificuldades na narrativa. Principalmente por trazer muito sobre mecânica, mas depois a trama engrena e o drama vividos pelos personagens é muito bom e envolvente.
    Beijos!

  • Carolina Trigo disse:

    Oi Drika!
    Eu soube um pouco da história por causa do trailer do filme, mas foi o máximo que assisti. Não tinha me interessado, e agora sabendo que não é uma boa adaptação, fiquei menos curiosa ainda, até porque lendo a sua resenha, fiquei mais interessada na história do livro do que achei que fosse ficar. Adoro histórias de sobrevivência, então entrou na lista.
    Bjss

  • Bruna Eduarda disse:

    Olá! Tudo bom?

    Confesso que ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas acho que é porque não sou de ler livro nesse estilo. Não sabia que tinha um filme, achei bem legal apesar de só ter pego a ideia do livro em si, acredito que eu até possa vê-lo. Acredito que o que mais me agradaria e prenderia na história seria esse tal desenrolar do Dr.. Enfim, adorei a resenha e a dica ♥

    Um beijo

  • Tamires Marins disse:

    Olá, Drika

    Jura que ela tava pensando em saliências no meio de uma situação tão difícil? Ai, ai, ai! Hahahaha
    Eu não assisti ao filme e agora que você comentou que ele é apenas levemente baseado eu acho que posso até assistir antes de ler. Rs
    Acho a proposta do livro ótima e sempre fico curiosa para saber sobre o desfecho.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  • Wellida Danielle disse:

    Olá, tudo bom?

    Eu ainda não assisti ao filme, pois queria ler o livro antes… E ainda bem que eu fiz isso, já que os dois são diferentes. Achei meio esquisito ela querer saber se o cara sente atração por ela, ainda mais que eles estão nessa situação de vida e morte, ela é noiva e ele é casado. Tipo, você tem que se preocupar de não morrer congelada ou com alguma infecção (ou até mesmo de fome/sede), não se o cara é atraído por você! Que sem noção, ai ai, rs. Acho que ficaria irritada com essa parte, mas tirando isso, quero muito ver como esse livro foi desenvolvido e o final (espero que não seja daqueles tristes). Além disso, estou curiosa sobre a vida do protagonista.

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

  • Jessica Santos disse:

    Oie!
    Eu quero muito ler, pois a Winslet está no filme e eu AMO todos os filmes que essa mulher faz. Adorei a resenha, saber um pouco mais sobre o enredo. Amei o post!

  • Alice Teixeira disse:

    Oi oi querida!
    eu já li esse livro e adorei adaptação dele, pois não deixaram escapar nenhum detalhe da obra. A sua resenha ficou linda, pois abordou pontos que nem mesmo eu consegui observar durante a leitura. A capa é linda e o enredo ficou bem dramatico, e isso por alguns momentos ficou bem tedioso pois não sou fã de drama. Bom, adorei a dica e sua resenha ficou linda. Espero que todos gostem.

    Beijoss, Enjoy Books

  • Francisca Elizabete Bezerra dos Santos disse:

    Fique super instigada em conhecer a história Ben Payne e Rachel! Ele parece ser muito prestativo e ela bem humorada apesar de tudo que aconteceu com eles. Os personagens parecem ser bem cativantes, cada um com suas características peculiares. Fiquei também bem curiosa para saber se eles conseguem ser resgatados, se sim, o que vem a seguir!! Já quero ler!! A capa chama bastante a atenção, bem elaborada!!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem