Resenha: Diga sim ao Marquês

Ficha técnica:

Nome: Diga sim ao Marquês

Autor: Tessa Dare

Tradutor: A. C. Reis

Páginas: 288

Editora: Gutenberg

Compre aqui

Aos 17 anos, Clio Whitmore tornou-se noiva de Piers Brandon, o elegante e refinado Marquês de Granville e um dos mais promissores diplomatas da Inglaterra. Era um sonho se tornando realidade! Ou melhor, um sonho que algum dia talvez se tornaria realidade…

Oito anos depois, ainda esperando o noivo marcar a data do casamento, Clio já tinha herdado um castelo, tinha amadurecido e não estava mais disposta a ser a piada da cidade. Basta! Ela estava decidida a romper o noivado. Bom… Isso se Rafe Brandon, um lutador implacável e irmão mais novo de Piers, não conseguir impedi-la.

Rafe, apesar de ser um dos canalhas mais notórios de Londres, prometeu ao irmão que cuidaria de tudo enquanto ele estivesse viajando a trabalho. Isso incluía não permitir que o Marquês perdesse a noiva. Por isso, está determinado a levar adiante os preparativos para o casamento, nem que ele mesmo tenha que planejar e organizar tudo.

Mas como um calejado lutador poderia convencer uma noiva desiludida a se casar? Simples: mostrando-lhe como pode ser apaixonante e divertido organizar um casamento. Assim, Rafe e Clio fazem um acordo: ele terá uma semana para convencê-la a dizer “sim” ao Marquês. Caso contrário, terá que assinar a dissolução do noivado em nome do irmão.

Agora, Rafe precisa concentrar seus punhos e sua força em flores, bolos, música, vestidos e decorações para convencer Clio de que um casamento sem amor é a escolha certa a se fazer. Mas, acima de tudo, ele precisa convencer a si mesmo de que não é ele que vai beijar aquela noiva. Fonte

Esses dias eu consegui adquirir Como se livrar de um escândalo e vi que ele é um crossover entre as séries Spindle Cove e Castles ever after. Embora eu pudesse ler sem problemas, eu resolvi ler este livro para ter um contexto melhor. Então vamos lá.

Na trama, temos Clio, uma jovem que está noiva à oito anos, prometida praticamente ao nascer, mas que virou piada da sociedade pelo seu noivado mega estendido. Piers não dava sequer sinal de vida. Uma vez que Clio acabara de herdar um castelo e já era dona de si, ela decidiu acabar com o noivado através de um documento que, na ausência de Piers, poderia ser validado por seu irmão, Rafe.

Rafe, no entanto, acredita que Piers logo voltará e que ele e Clio ficariam ótimos juntos, então tenta bolar todo o tipo de artifício que pudesse fazer Clio se sentir atraída a se casar. Desde decoração, bolos e vestidos.

Certo, então vamos ao problema.

A leitura desse livro fluiu até que bem, mas quando me deparei com Rafe, que é absurdamente apaixonado por Clio desde sempre, tentando fazer com que ela continuasse noiva de Piers, eu fiquei com muita raiva. Já vi personagens com autoestima bem abaixo da média, mas esse aí eu achei um exagero.

Tudo bem, Rafe é um daqueles personagens que nasce como segundo filho e não foi tão bem amado assim pelo pai e acha que tudo de bom tem que ser voltado para o irmão mais velho, ainda mais quando acha que carrega uma certa culpa nas costas, mas assim, depois de ver como a Clio foi simplesmente colocada de lado na vida do irmão, eu acho que ele deveria ter tido outro tipo de reação.

Enquanto Clio, ela acaba sendo uma moça que até certo ponto da vida deixava que ditassem o que ela faria da sua vida. Inclusive, a mãe a colocava em um regime alimentar que mais parecia uma tortura, tudo isso para que ela pudesse se tornar a esposa perfeita de um aristocrata. Era quase uma boneca nas mãos da mãe e, posteriormente, passou a ser da irmã mais velha, mas talvez com menos rigidez.

Assim, fica muito claro para Clio o que ela quer e não quer da vida: ela não quer se casar com um homem que sequer aprendeu a amar, ela quer fabricar cerveja e ela quer Rafe. Mas Rafe faz o quê? Fica se esquivando, falando que Piers daria um marido muito melhor para ela assim que ele voltasse, que era só Piers voltar e ela entrar na igreja e pronto!

Tudo bem, entendo que Rafe tem bom coração e ama o irmão, apesar de ter se distanciado. Ele é leal aos seus sentimentos tanto por Piers quanto por Clio e tem uma honra ferrenha – e é apenas por isso que ele é perdoado. Ele quer fazer a coisa certa, mesmo sacrificando sua própria felicidade, se ele pudesse ver as duas pessoas que mais ama felizes, então que fosse assim.

Claro que como um bom romance de época, a história tem um final feliz, mas até chegar lá, eu estava com muita raiva das atitudes de Rafe – e de algumas da Clio também. Afinal, são dois turrões.

Para quem gosta da série ou da autora, recomendo a leitura. Talvez você tenha um parecer bem diferente e mais positivo do que eu. Achei que mereceu mesmo só três estrelas, acho que a história poderia ter sido melhor conduzida, mas as soluções da autora para suas histórias continuam muito criativas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 2
  •  
  •  
  •  


  • Ivi Campos disse:

    Eu ainda não li nenhum livro da Tessa Dare e nem posso dizer que foi por falta de indicações e elogios generosos. me faltou oportunidade mesmo. Adorei a resenha sincera e o jeito verdadeiro em que você descreveu o enredo.
    beijos

  • Dayhara disse:

    Olá, gostei bastante dos pontos ressaltados por você porque mostram bem como a leitura pode seguir um caminho duplo, podendo agradar ou não o leitor. A Tessa é uma autora que amo demaaaaais, acho que me agradaria bastante, mas entendo seu ponto.

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!
    Tessa Dare é uma das minhas top 10 dos romances de época, mas as vezes quando os personagens são tão sisudos e demoram muito a se acertarem pode ficar com a narrativa cansativa.
    Ainda pretendo ler esse livro e conferir mais do Rafe.
    Beijos!

  • Anne Viana disse:

    Olá!!
    AMO romance de época e saio casando todos que aparecem.. Hahahahaha… Conheço a autora e essa serie mas ainda não li nada dela e bom saber que a escrita é bem fluida.
    Já está na minha lista de leitura pra esse ano.. já ouvi falarem muito bem da serie e claro que não posso deixar passar e estou bem curiosa sobre o desenrolar dessa estória da Clio com Rafe e como será esse final!!!!

  • Antonia Isadora de Araújo Rodrigues disse:

    Olá!!!
    Eu admito que o livro me ganhou na sinopse e eu fui adicionar logo que você disse que faz parte de um vínculo com duas séries, eu adicionei antes mesmo de ler a resenha porém fico chateada que a história tenha se tornado um tanto chata e que os personagens se rebaixem tanto.
    Mas adorei a resenha e vou dar uma chance ao livro ^^

    lereliterario.blogspot.com

  • Maria Luíza Lelis disse:

    Olá, tudo bem?
    Eu li apenas o primeiro livro dessa autora, mas confesso que, comparado com outros romances de época que já li, eu achei mais fraco. Eu ainda não sabia sobre o que esse se tratava, mas entendo sua irritação com Rafe, acredito que isso me incomodaria também.
    No entanto, apesar das ressalvas, eu ainda pretendo ler essa série para poder ler a outra série da autora que é muito elogiada. Adorei sua resenha e conhecer sua opinião sobre o livro.
    Beijos!

  • Leitura Enigmática disse:

    Ainda não li nada da autora, mas confesso que fiquei bem curioso com essa obra, pois ela aparenta ter um enredo bem intenso e surpreendente. Anotada a dica.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem