Resenha: Doctor Who – Mortalha da Lamentação


E olha nós aqui outra vez com resenha de Doctor Who! Nessa edição da Suma de Letras de Doctor Who – Mortalha da Lamentação, encontramos o 11th Doutor de Matt Smith em uma aventura com Clara Oswald nos Estados Unidos, logo após a morte do Presidente Kennedy. Não é meu Doutor preferido, de longe, mas é Doctor Who, então resolvi ler. O livro mistura aventura, drama e humor, tudo no estilo Who de ser. Mas será que a leitura vale a pena?

doctormortalha“Humor, drama e aventura dignos de adaptação para a tevê!
Doctor Who é a série de ficção científica mais antiga no ar e uma das mais cultuadas no mundo. Veiculada no Brasil pela TV Cultura e a BBC HD, série britânica de TV completou 50 anos em novembro de 2013 com grande repercussão, sendo o programa do gênero transmitido há mais tempo e para mais países no mundo.

Em Doctor Who – Mortalha da lamentação, é o dia seguinte ao assassinato de John F. Kennedy — e o rosto de pessoas mortas começa a aparecer por toda parte. O guarda Reg Cranfield vê o pai na névoa densa ao longo da estrada Totter Lane. A repórter Mae Callon vê a avó em uma mancha de café na mesa de trabalho. O agente especial do FBI Warren Skeet se depara com seu parceiro falecido há muitos anos olhando para ele através das gotas de chuva no vidro da janela.

Então os rostos começam a falar e gritar. São as Mortalhas, que se alimentam da tristeza alheia, atacando a Terra. Será que o Doutor conseguirá superar o próprio luto para salvar a humanidade?” Fonte

Sim, é divertido, é Doctor Who, afinal! Mas não é o melhor livro que já li da série. Sem querer fazer comparações, mas já fazendo: Shada, de Gareth Roberts e baseado no roteiro de Douglas Adams (resenha aqui) é bem melhor.

Logo após o atentado John F. Kennedy, o Doutor e Clara encontram um país – e o planeta – em luto. Prato cheio para uma raça alienígena, as Mortalhas, que começam a se alimentar da tristeza humana, parasitando as pessoas de um jeito bem sinistro. Em sua saga para salvar novamente o planeta, o Doutor e Clara fazem algumas amizades que os ajudam nessa empreitada.

doctorclara2

Não me entendam mal, está (quase) tudo lá: o 11th Doutor extravagante de Matt Smith (e realmente achei que o autor captou bem a alma dele), as tiradinhas bem-humoradas, alienígenas bizarros e malvados, a sempre bem-vinda ficção científica da série, o drama dos personagens que conhecemos e dos novos. Então, qual o problema?

Clara e os personagens coadjuvantes. Sobre Clara, não achei que o autor conseguiu captar exatamente a alma da personagem, se eu não soubesse que era ela, não a reconheceria. E a relação dela com o Doutor não parecia a mesma; o Doutor se preocupa com ela, claro, mas fica o tempo tratando-a mal, rebaixando-a até. Não gostei. Não sou lá muito fã do 11th Doutor, mas não é assim que ele e Clara se relacionam; pelo contrário, acredito que o relacionamento dos dois é um dos mais bonitos entre um Doutor e sua companheira. Pelo fato de – spoilers da série – ele já ter “perdido” Clara algumas vezes antes de encontrá-la – fim dos spoilers -, o Doutor é muito gentil com ela. No livro, ele a trata de um jeito grosseiro, e Clara responde de maneira apática, apenas com piadas. Não achei que o autor captou a essência dos dois, de maneira alguma.

doctorclara

Quanto aos personagens coadjuvantes, eles são totalmente sem graça. Não consegui me interessar pela história deles, por seus dramas, e talvez por isso tenha arrastado por uma semana a leitura de um livro tão curto, que deveria ser lido em uma sentada. A primeira metade do livro é arrastada, tediosa, e o livro só realmente deslancha quando o Doutor finalmente descobre o que são as Mortalhas e como detê-las, ou seja, praticamente no final. Aliás, o final foi o que mais valeu a pena, com uma cena verdadeiramente emocionante, com uma retrospectiva triste e sensível dos momentos mais difíceis e tristes de todos os Doutores. Melhor cena do livro, com certeza.

doctor

A edição está simples, mas competente, sem problemas. Vale a leitura? Vale, especialmente se você curte muito a série e o 11th Doutor. Mas não é um dos melhores livros, não pela ideia, que foi bem elaborada, mas realmente pela escrita e pela falta de sensibilidade em captar alguns personagens e relacionamentos. Diverte fãs de Doctor Who, mas não passa disso.

Ficha Técnica

Título: Doctor Who – Mortalha da Lamentação
Autor: Tommy Donbavand
Editora: Suma de Letras
Páginas: 176
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) Amazon / Saraiva / Livraria da FolhaLivraria da Travessa / Submarino
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Fran Ferreira disse:

    Olá Karen.

    Olha, se eu não estiver viajando na “maionese”, eu vi falar desta serie me tv, foi algo bem superficial e simples. Posso falar por essa resenha, que esta serie parece bem legal, mas nada além disso. Vou procurar saber mais sobre ela e todo esse mundo que a envolve, inclusive quantos livros já estão publicados.

    Bjsss

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem