Resenha: Doctor Who – O prisioneiro dos Daleks


Andava doida para ler esse livro, portanto, no meu aniversário, encontrei-o com desconto na Saraiva e pensei “é agora, mereço um presente!”. Li tudo de uma vez, num dia só; Doctor Who – O prisioneiro dos Daleks não é apenas um livro divertido com o melhor Doutor de todos (#LoveTennant), é também um livro bem escrito, com uma trama inteligente de ficção científica e um drama com um protagonista solitário e atormentado.

prisioneiro-dos-daleks-doctor-who-suma-de-letras“O Império Dalek não para de se expandir, e batalhas eclodem em vários sistemas solares. Quando o futuro da galáxia está em jogo, o Doutor se vê a bordo de uma nave próxima à linha de frente, junto a um implacável grupo de caçadores de recompensas.
O Comando da Terra paga a eles por cada Dalek morto, por cada olho entregue como prova. Mas, com a ajuda do Doutor, os caçadores conseguem algo de valor inestimável: um Dalek inteiro, vivo, com os sistemas desarmados e pronto para ser interrogado. No entanto, com os Daleks nada é o que parece e ninguém está a salvo. Quando o jogo virar, como o Doutor sobreviverá ao se tornar prisioneiro de seu maior inimigo?
Uma aventura inédita do Décimo Doutor, interpretado na tevê por David Tennant.” Fonte

O prisioneiro dos Daleks se passa perto dos últimos momentos do Décimo Doutor, após a saída de Donna Noble de sua vida. Pra quem já assistiu a essa temporada, é talvez um dos momentos mais sombrios do Doutor, quando ele está sozinho como nunca, sabendo que a morte (ou melhor, sua próxima regeneração – mas ele a vê como morte) está próxima. Encontramos nesse livro, então, um Doutor melancólico, que chega a um planeta vazio e sinistro, conduzido por sua TARDIS desobediente. Lá, ele se mete em mais uma enrascada e encontra a tripulação de uma nave de caçadores de recompensas, um grupo de viajantes espaciais que caça Daleks e vende seus olhos. Para o Doutor, está tudo errado: ele voltou para o passado, em sua própria linha do tempo, no meio de eventos que culminaram na Guerra do Tempo, na qual ele foi protagonista e carrasco. Ele sabe que não pode interferir, mas como fugir da cadeia de eventos que o envolve de maneira tão brutal?

Diferente de outras aventuras, nessa o Doutor se sente completamente só; ele não está com nenhuma de suas antigas companheiras e sequer encontra outra que possa fazer esse papel. Encurralado pela teimosia humana e a crueldade dos Daleks, ele se vê numa encruzilhada. Como escapar?

doctorwho_dontwannago

A escrita vibrante de Trevor Baxendale consegue envolver o leitor logo nas primeiras páginas. O livro é alucinante, quase não há momentos para respirar; de maneira brilhante, ele consegue captar a personalidade ao Décimo Doutor: divertido, pretensioso e melancólico. Uma das melhores coisas desse livro, aliás, é que temos uma visão pessoal do Doutor, de seus sentimentos e conflitos, algo que geralmente não acontece, tanto na série quanto nas demais obras. O Doutorna maioria do tempo, é descrito pelos olhos de seus companheiros, mas nesse livro nos deparamos com a visão do universo pelo próprio Doutor e sentimos de perto o abismo de emoções dele perto dos outros, e ele como se sente só. Aliás, esse é um dos motivos pelos quais gosto tanto do Décimo Doutor, justamente porque ele é um Doutor que temos a rara oportunidade de acompanhar sozinho, enxergando-o não pelos olhos de suas companheiras, mas de si mesmo. Isso o deixa muito mais próximo do leitor/telespectador do que outras de suas encarnações.

doctorwho_prisioneirodaleks

Os demais personagens da obra também são extremamente bem desenvolvidos e conseguem cativar o leitor; você torce e se importa com todos eles. Há momentos de verdadeira tensão e medo no livro, intercalados, é claro com o humor um tanto cáustico do Doutor. Não sou lá muito fã dos Daleks, mas nessa aventura eles não deixaram a desejar; realmente passaram aquela sensação pânico e da morte inevitável, de perigo. A edição da Suma das Letras foi muito acertada ao mudar a fonte dos diálogos dos Daleks, e não sei se era toda a atmosfera do livro, mas até a fonte conseguia ser assustadora. Toda a diagramação é bastante confortável, imprimindo ainda maior velocidade à leitura.

David-Tennant-doctor-who-33057561-500-215

Em suma, um livro brilhante que fãs de Doctor Who não podem perder. Simplesmente leiam!

Ficha Técnica

Título: Doctor Who – O prisioneiro dos Daleks
Autor: Trevor Baxendale
Editora: Suma de Letras
Páginas: 208
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon / Saraiva / Livraria da FolhaLivraria da Travessa
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Douglas Fernandes disse:

    Eu vejo falando muito bem dessa série, dos livros e tal, mas nunca parei pra acompanhar :/
    Mas pelo que vi acho que eu ia gostar muito, nada melhor que um livro que te prende desde o começo né, quem dera fossem todos assim…rsrs
    Mas algum dia eu irei ver a série e ler os livros.

  • Layana Macedo disse:

    Também nunca vi a série e olha que é super antigona!! Parece que de uns tempos pra cá ela “voltou à moda” e deu até vontade de assistir!
    ps. será que tem no netflix? rsrs

  • Daniele Reis disse:

    Já vi algumas coisas sobre Doctor Who , porém nunca parei para ver/ler.
    Acho que para acompanhar o universo envolvido, necessita tempo para ver a série e entender os livros. Com tanta coisa pra ver e ler acaba não sobrando tempo para adicionar mais. rs
    É um ótima recomendação. :)

  • Milena Soares disse:

    Estou doida pra começa a ler essa série, curto muito aventura e ficção científica e cada resenha que leio dos livros me deixa ainda mais interessada em conferi essa história.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem