Resenha: Doctor Who – Shada

Doctor Who foi uma série que me conquistou aos poucos. Quando comecei a assistir a primeira temporada de New Who, vi uns quatro episódios, fiquei de saco cheio e abandonei a série. Voltei a assistir por pura teimosia após vários meses, mas quando me dei conta estava apaixonada (muito por culpa de David Tennant, o 10th Doctor). A Melissa de Sá, do Livros de Fantasia, que compartilha desse amor não tão incondicional assim (nós duas concordamos que a temporada do 9th Doctor é um tragédia e não gostamos de jeito nenhum da Rose Tyler), resolveu me emprestar Shada, de Gareth Roberts, e disse que eu ia adorar. E não foi diferente: assim que embarquei na Tardis do 4th Doctor nessa aventura que originalmente era um episódio da TV escrito por Douglas Adams fui arrebatada. Impossível ler esse livro sem um sorriso no rosto.

shada“Vista e cultuada em mais de 200 países, a série de TV Doctor Who é um ícone cultural britânico que conquistou mais de 70 milhões de fãs em 50 anos de aventura.

O seriado acompanha o Doutor: um viajante misterioso, vindo do planeta Gallifrey, movido pelo desejo de explorar todos os cantos do tempo e do espaço. Um dos Senhores do Tempo, o Doutor é capaz de se regenerar para escapar da morte, mudando de corpo, rosto e personalidade. Com seus companheiros, humanos e alienígenas, ele protege a Terra e o cosmos contra perigos de todos os tipos.

Shada reconta um episódio que nunca foi transposto para as telas de televisão, uma aventura “perdida” de 1979. Escrita pelo então editor de roteiros da série, Douglas Adams, o autor de O guia do mochileiro das galáxias, Shada traz a quarta encarnação do Doutor e sua companheira Romana II.” Fonte

Esse livro é tão legal que é até difícil fazer uma resenha dele. Shada tem todos os elementos que os fãs de Doctor Who amam: aventura, mistério, ficção científica, romance e, claro, muito humor. O 4th Doctor é uma delícia de Doutor, cheio de personalidade e energia que saltam das páginas; não acho fácil captar a personalidade dos Doutores no papel, mas Gareth Roberts conseguiu. Mas, além de todos esses elementos, há um que pra mim foi a melhor coisa do livro; por ser um Doutor da série clássica, a história se passa antes da terrível Time War – evento que separa a série clássica da nova série – e, como só assisti até agora a nova (e o filme do 8th Doctor, que definitivamente não foi muito bom), foi delicioso ler uma história onde Gallifrey, o planeta dos Senhores do Tempo, estivesse presente, assim como os próprios Senhores do Tempo (e temos dois no livro, um deles aliás é a companion do Doctor, Romana II).

shada2

Narrado em terceira pessoa, Shada conta uma aventura em que o 4th Doctor e Romana vão até a Universidade de Cambridge encontrar outro Senhor do Tempo, o Professor, e resgatar um livro muito importante que é a chave para um dos maiores mistérios de Gallifrey. Mas há um vilão também em busca desse livro, e o Doctor e seus amigos precisarão enfrentá-lo para proteger o universo da destruição (sempre!). Há também mais outros dois personagens na história, alunos da universidade: Chris e Clare, que dão o tom mais humano ao episódio/livro. Todos os personagens são incrivelmente bem delineados e cativantes, e as mulheres têm um papel fundamental na história. Minha preferida foi Romana, mas Clare também foi importantíssima. Além disso, há, é claro, todo o mistério em torno de Shada, que dá nome ao livro – um lugar que até os próprios Senhores do Tempo esqueceram. O que será? Só lendo para saber.

shada1

O livro segue em um delicioso clima de aventura e humor, típico da série; não dá vontade de largar e você se pega imaginando com perfeição todas as cenas e cenários. O mistério também é envolvente e inteligente; é claro que existem as clássicas “saídas fantásticas de momentos aparentemente sem saída”, mas em Doctor Who isso não é um problema – você se acostuma com isso e se pega até gostando. Lendo o livro tive um certo pesar pelo episódio não ter ido ao ar – algumas cenas até foram gravadas, mas acabou não dando certo no final – mas Gareth Roberts (que já fez também alguns episódios em New Who) fez jus ao brilhante roteiro de Douglas Adams e trouxe um ótimo livro para os fãs. No final, talvez esse formato fosse, de fato, o melhor para a história, que era grande e complexa demais para um único episódio com os poucos recursos da época.

shada3

Se você curte Doctor Who, ficção científica, aventura e muito humor, leia Shada. É até difícil explicar em uma resenha o quanto esse livro é incrível. Uma delícia de ler, é daqueles que te curam de qualquer ressaca literária e deixam um enorme sorriso e um sentimento gostoso ao término da leitura. Quero mais 4th Doctor agora! Quero mais livros da série! Suma de Letras, me aguarde (e traga mais livros de Doctor Who, sim?)!

Ficha Técnica

Título: Doctor Who – Shada
Autor: Gareth Roberts (adaptação do roteiro de Douglas Adams)
Editora: Suma de Letras
Páginas: 338
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) Amazon / Saraiva / Livraria da FolhaLivraria da Travessa
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Melissa de Sá disse:

    Que bom que você gostou do livro! Eu tinha imaginado mesmo que você ia curtir.

    Caramba, eu ri tanto com Shada. Eu passava mal. Aquelas cenas com a nave eram simplesmente anormais de tão engraçadas. Mas o que achei incrível foi mesmo como tudo de bom de Doctor Who está lá, como você disse. Tem episódios não própria série que não conseguem fazer isso.

  • Helio de Oliveira e Souza disse:

    Assisti muitos episódios de Doctor who a serie e incrível e esse livro com certeza engrandece a esta serie muito bom e terem aproveitado o roteiro de Douglas Adams escritor que admiro gostei muito da resenha as informações sobre o livro e personagens me deixaram interessado nesta obra e com certeza vou querer ler este livro e ter em mãos o universo de Doctor Who.

  • Nayara disse:

    Estou apaixonada pelo livro sem ter lido! Como é possível??? Hahahaha.
    Adorei muuito a resenha, Karen! 😀 Parabéns!
    Quero ler o mais rápido possível e assistir a série tbm… tô adiando há um tempo!!!
    Beijos

  • Juliana Salles disse:

    Ler essa resenha me fez ter vontade de ver a série….pode isso??rsrsrs

    Nunca assisti um episódio sequer…quem sabe agora me animo 🙂

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu ja li muita coisa boa dessa série, infelizmente ainda nao tive a oportunidade de ler ainda, mas eu quero muito, adoro ficção cientifica, misterios, e com humor, perfeito né!! Eu já tinha vontade de ler, agora minha vontade dobrou…rsrs

  • mirian kelly disse:

    Achei que Doctor Who não fosse meu tipo de gênero, porém ele faz até demais meu tipo, mais não vou assistir a série agora pois estou atrasada com as minhas. Porem achei interessante, por praticamente ter todos os meus gêneros favoritos, só o medo de ver a série me decepcionando.

  • Resenha: Doctor Who – Mortalha da Lamentação | Por Essas Páginas disse:

    […] comparações, mas já fazendo: Shada, de Gareth Roberts e baseado no roteiro de Douglas Adams (resenha aqui) é bem […]

  • Top Ten Tuesday: Dez livros para quem gosta de tecnologia « Por Essas Páginas disse:

    […] Doctor Who: Shada, Douglas Adams e Gareth Roberts (resenha) […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem