Resenha: Dois Irmãos

Dois Irmãos“Dois Irmãos” é a história de como se constroem as relações de identidade e diferença numa família em crise. É a história de dois irmãos gêmeos – Yaqub e Omar – e suas relações com a mãe, o pai e a irmã. Moram na mesma casa Domingas, empregada da família, e seu filho. Esse menino – o filho da empregada – narra, trinta anos depois, os dramas que testemunhou calado. Buscando a identidade de seu pai entre os homens da casa, ele tenta reconstruir os cacos do passado, ora como testemunha, ora como quem ouviu e guardou, mudo, as histórias dos outros. Do seu canto, ele vê personagens que se entregam ao incesto, à vingança, à paixão desmesurada. O lugar da família se estende ao espaço de Manaus, o porto à margem do rio Negro: a cidade e o rio, metáforas das ruínas e da passagem do tempo, acompanham o andamento do drama familiar. Prêmio Jabuti 2001 de Melhor Romance. Fonte

Eis um livro que me surpreendi.

No início desse ano houve um certo alarde quanto à série Dois Irmãos, que é baseada no livro homônimo. Eu comprei o e-book do livro acho que uma semana antes de começar a série e o li meio que intercalando os capítulos da série com os capítulos do livro – e aí acabei avançando a leitura, para terminar antes de a série acabar.

Eu simplesmente adorei a forma como o livro foi narrado. É ao mesmo tempo prosa e poesia. Aliás, a frase que inicia o livro é a mesma frase de abertura na narrativa da série.

A história vai além da rivalidade entre os irmãos Omar e Yaqub. Se você for analisar bem, verá que a trama na verdade é  a busca do filho de Domingas pelo seu pai – filho esse que só tem seu nome revelado várias páginas depois.

Pela narrativa, nós acabamos descobrindo a história dos irmãos gêmeos desde antes de seu nascimento, como o amor desmensurado de Halim por Zana e como ele fazia seus caprichos. Ele não queria filhos, mas ela sim. Então, tudo bem. Quando Zana descobre que Omar quase morre durante o parto, ela passa a sentir um amor um tanto obsessivo em relação ao filho, que o chama de “Meu Caçula”.

Eu acredito que isso foi o que mais deixou Yaqub amargurado. Afinal, ele sempre foi preterido pelo irmão, mesmo depois que Omar o feriu no rosto, por um ciúmes doentio que sentiu, ao se ver pela primeira vez preterido, quando uma jovem prefere receber a atenção de Yakub e não a sua.

É complicado tentar explicar a relação entre os irmãos, porque os dois são diferentes por natureza, mas são iguais em essência. Ambos possuem orgulho desmedido, querem fazer as coisas de seu modo, seja mais planejado, ou seja em um impulso. Nenhum deles tem o dom de perdoar, eles alimentam o rancor por uma vida inteira.

Isso é algo muito triste. Eu, que tenho duas irmãs e um irmão, não vejo minha vida sem eles e, mesmo quando eu tenho alguma raiva deles, nunca é daquelas que perduram. Eles nunca vão deixar de ser meus irmãos e eu espero que eu nunca deixe de amá-los como tal.

Uma característica que adorei na história: ela conta a influência que os árabes, caixeiros viajantes, tiveram aqui no Brasil, principalmente na Região Norte, onde se passa a história. Além disso, o cenário da história também é muito bem descrito. Outros personagens da trama, como a irmã mais nova dos gêmeos, Rânia, Domingas, também são destacados. Claro, não posso deixar de mencionar Halim e Zana, dois personagens únicos. Halim tem todo o meu amor. Zana… Bem, Zana tem seus momentos, mas com certeza vocês sentirão tanta raiva e depois simpatia por ela.

Li algumas críticas negativas quanto à obra, mas já adianto que para mim ela funcionou com maestria e recomendo muito a leitura. Depois, para quem quiser e conseguir, recomendo a série que foi muito bem feita.

Ficha técnica:

Nome: Dois Irmãos
Autor: Milton Hatoum
Páginas: 270
Editora: Companhia das Letras
Onde comprar: Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Pah disse:

    Oi Lucy, tudo bem? Eu tinha ouvido falar da série, mas desconhecia a existencia do livro. Além disso, achei bem interessante a sua experiencia de intercalar a leitura com os episodios da série, acho que deve ter sido um processo bem legal para comparar ambos.
    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

  • Mariana Lopes disse:

    Oi, tudo bem?

    Sou louca para ler esse livro desde que foi lançada a série na globo. Fiquei ainda mais ansiosa depois de ler sua resenha” Parabéns! Amei.

    Beijos.

    Três Livrólatras
    http://www.treslivrolatras.blogspot.com

  • Jessica Christina Soares dos Santos disse:

    Oie, tudo bom?
    Eu não gosto muito de prosa, acho que não é meu tipo de leitura, rs. Então passo a dica, mas é muito bacana ver o quanto você gostou dessa obra! Adorei a resenha!

  • Lilian de Souza Farias disse:

    Ainda não comprei o livro, mas vou comprar o físico, a série também não vi, quero primeiro degustar a obra. ainda não li críticas negativas da obra e espero que também funcione comigo, parabéns pela excelência do texto.

  • Shadai disse:

    Nunca li nada do autor, e acho alguns autores nacionais um pouco difíceis na sua escrita regionalista.
    Não vi a série, raramente assisto algo da globo, e não sei se lerei o livro.
    Mas a resenha ficou ótima e demonstrou ser uma história muito boa.

  • Salvattore Mairton disse:

    Olá,
    Eu comprei este livro, logo após assistir a série da globo e assim como voce acabei me encantando pelos personagens e narração do enredo. A minha maior alegria ao ler o livro, foi ver como o autor descrege cada momento, pesspa e acontecimento da história. É uma dica necessária, é um livro que deve ser lido por todos.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem