Resenha – Ele: Quando Ryan conheceu James

Ficha técnica:

 Nome: Ele: Quando Ryan conheceu James

 Autores: Sarina Bowen e Elle Kennedy

 Tradutor: Lígia Azevedo

 Páginas: 256

 Editora: Paralela

Compre aqui

Sinopse: James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo. Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato. O que aconteceu na última noite daquele acampamento de verão, quando tinham apenas 18 anos, não muda uma verdade simples: Jamie sente saudade de Wes.
O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles. Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente.
Jamie esperou bastante tempo pelas respostas sobre o que aconteceu com seu relacionamento com Wes, mas, ao se reencontrarem, surgem ainda mais dúvidas. Uma noite de sexo pode estragar uma amizade? Essa e outras questões sobre si mesmos vão ter que ser respondidas quando Wesley e Jamie se veem como treinadores no mesmo acampamento de hóquei.

Eu já tinha falando em um dos meus Top Ten Tuesday que nesse ano eu queria ler livros LGBT porque eu já li alguns com personagens secundários, mas nunca com um personagem principal. Por isso, quando a Editora Paralela começou a divulgação de “Ele: Quando Ryan conheceu James” (que a partir de agora vou chamá-lo só de “Ele” porque o título é muito grande) eu fiquei muito curiosa e logo o coloquei na minha lista de pedidos.

Jamie e Wes tinha o hóquei como uma paixão em comum e eles se conheceram em um acampamento desse esporte. Os dois jogam em posições completamente diferentes: Wes é atacante e Jamie, goleiro. Porém, por causa de uma aposta que os dois fizeram no último acampamento, Wes simplesmente parou de falar com o amigo. Eles ficaram 4 anos sem nenhum contato até que os dois acabam ficando no mesmo hotel por causa de uma competição. Só de olhar para o seu crush de adolescência, Wes percebe que os seus sentimentos ainda estão lá. Ele resolve voltar a entrar em contato com Jamie, nem que seja para eles serem apenas amigos. Mas isso é bem mais fácil falar do que fazer…

O livro tem cada capítulo narrado por um dos protagonistas e apesar de em nenhum lugar ficar explícito isso, eu acredito que cada autora (Sarina Bowen e Elle Kennedy) ficou com um dos personagens. Eu já disse algumas vezes que sempre acho bastante desafiador para uma mulher escrever sobre um homem em primeira pessoa, porque você tem que conhecer bastante o universo masculino para ter uma caracterização bem próxima do real. Nesse caso, o desafio foi duplo porque os dois protagonistas são homens. Obviamente que eu não sou a melhor pessoa para julgar isso, mas eu fiquei com a sensação de que a caracterização dos personagens ficou muito verdadeira. Aliás, esse livro já avisa logo na capa que tem “conteúdo adulto”, e ele é indicado para esse público não só pelas cenas de sexo mas também por causa do vocabulário utilizado. As autoras não fizeram nenhum romance utópico: ele é bem pé no chão mesmo. Inclusive em alguns livros anteriores da Editora Paralela, que também diz que possui conteúdo adulto na capa, eu comentei que nem tinham tantas cenas de sexo assim. Para quem possa ficar com dúvidas caso pense em presentear esse livro, ele tem MUITO conteúdo adulto. Ele é basicamente o que faz movimentar uma boa parte do enredo.

“Ele” é um livro bem rápido de ser lido, não só porque ele não é muito grosso, mas também por causa do enredo que flui. O único problema é que ele acaba sendo superficial demais. As autoras poderiam ter se aprofundado um pouco mais nos conflitos internos dos protagonistas e também nos acontecimentos, principalmente quando chega no clímax. A caracterização do Wes eu até achei mais completa porém a do Jamie… Ficou faltando. Eu fiquei esperando elas colocarem alguma coisa relacionada a preconceito e demorou tanto que eu achei que não fosse mesmo aparecer. O tema apareceu mas de uma forma muito rasa. Dava para introduzido o assunto de uma forma mais presente sem também puxar para um drama muito pesado, que não era o que as autoras queriam com essa obra.

Enfim, “Ele: Quando Ryan conheceu James” é uma ótima leitura para quando você quer aquele romance somente para distrair um pouco do mundo à sua volta, porém não espere muito mais do que isso.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Paralela, selo da Companhia das Letras.

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Dayhara disse:

    O único romance LGBT que li e que tinha como protagonistas esse nicho, foi Um milhão de finais felizes, e que história mais amorzinho! Eu venho namorando esse livro tem um tempinho, mais pelo seu valor simbólico do que pela história em si, acho bacana esse tipo de representatividade pra um publico que também é leitor e por muito tempo foi silenciado.

  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Eu adoro romances bem clichês, então acho que iria curtir bastante esta leitura. O que eu não curto muito é a parte erótica. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • Yvens disse:

    Olá, tudo bem?

    Eu não tenho o costume de ler romances sejam eles eróticos, lgbts ou de época, acompanhei pela internet “Ele” e vi que fez sucesso. É uma pena que a leitura tenha sido superficial e não tenha te conquistado totalmente. Gostei da sua sinceridade Lany.
    Abraço!

  • Taísa disse:

    Apesar das suas ressalvas quanto a superficialidade do livro em alguns momentos, eu fiquei interessada na leitura, leio pouca coisa LGBTQ+ apesar de ser do meio.

  • No Conforto Dos Livros disse:

    Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas fiquei curioso! QUe bom que gostaste!

    Enfim, acho ótimo que o enredo flua e que os capítulos sejam alternadamente narrados, mas e pena que este seja superficial.

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

  • Beatriz Andrade disse:

    Eu tive o prazer de ler esse livro e adorei demais a história desses dois, ao contrário de você, não achei superficial, pelo contrário, eu achei bem explorado e gostei muito de poder conhecer a história linda desse casal. Agora eu quero ler o segundo volume.

  • Garotas Devorando Livros disse:

    Olá!

    Não comprei esse livro na bienal por muito pouco e nem tinha reparado que contém conteúdo adulto, não que me incomode só não prestei mesmo a atenção. Talvez (um TALVEZ enorme de quem ainda nem leu) as autoras queriam que o romance fluísse como um romance hétero qualquer, sem a necessidade de frisar o preconceito para que possamos ir nos acostumando com a temática abordada de forma mais romântica, sei lá, to divagando, mas se essa for realmente a proposta faz todo o sentindo para mim. Enfim, adorei a dica e o aviso de conteúdo sexual rs.

    Beijos 😚

  • Carolina Durães de Castro disse:

    Oi Lany, tudo bem?
    Eu não li o livro e ao ler sua resenha, fiquei com a impressão de que não vou curtir a leitura, pelo fato de ter sido superficial.
    Bjkas

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem