Resenha: Eu odeio te amar

Eu odeio te amar“Débora estava prestes a viver o dia mais feliz de sua vida. Tudo estava pronto para o casamento perfeito com Felipe, o noivo mais lindo e fofo que alguém poderia ter. O apartamento estava arrumado, e todos os detalhes da lua de mel na Grécia, acertados. Até um novo emprego na redação de uma revista feminina a esperava na volta da viagem. Seria o começo de uma nova etapa de uma vida com a qual ela sempre sonhou. Na véspera da cerimônia, o noivo precisou ficar até mais tarde no escritório para resolver as últimas pendências, e ela resolveu fazer uma surpresa e aparecer sem avisar. Mas quem foi surpreendida foi ela: pegou Felipe em flagrante com a irmã do sócio, na situação mais comprometedora possível. O que fazer? Armar um escândalo e terminar tudo? Esquecer o que viu, casar e ser feliz para sempre? O que fazer quando se sente, ao mesmo tempo, um amor profundo e um ódio avassalador? Para Débora, a resposta é: criar um plano maluco para sair dessa situação e dar a volta por cima!”


Com todo o meu amor por chick-lits, é claro que eu me interessei por “Eu odeio te amar”, de Liliane Prata. Ele tinha tudo para ser aquele livro divertido, que faz o leitor dar várias risadas durante as aventuras da protagonista… Mas, infelizmente, não foi isso o que aconteceu.

Eu odeio te amar é narrado por Débora, que na véspera da cerimônia do seu casamento se depara com uma situação nada agradável. Ela fez uma surpresa para o seu noivo no escritório e acaba o flagrando em uma posição muito comprometedora com Luma, a irmã do sócio. Débora sai sem que ninguém percebesse e então começa a pensar no que fazer. Débora decide continuar com o casamento e na hora do famoso “sim”… Ela iria chocar todo mundo e dizer “não”. Porém, na hora do casamento, Débora muda completamente os planos e decide que ela vai casar sim, mas nada de “felizes para sempre” para eles. Ela pretende traí-lo com alguém… E assim fazê-lo sofrer da mesma forma que ela.

O meu principal problema com Eu odeio te amar foi exatamente como o enredo foi estruturado: eu não consegui ter simpatia pela protagonista por causa disso. Na verdade, várias vezes, eu queria gritar com ela, para tentar fazer com que ela acordasse e percebesse todos os erros que ela estava cometendo. Ela é muito imatura para a sua idade – se fosse uma adolescente, talvez até as atitudes dele fossem mais coerentes. Débora já começa com um grande erro logo no início: por que ela não tentou conversar com o marido ou cancelar o casamento? “Mas então não teria o livro”, alguns podem me responder. Então será que esse é realmente um enredo adequado para esses personagens? Fora que, ela poderia ter tentado conversar com o Felipe e algo a impedisse de fazer isso. Outra coisa: se Felipe realmente a estivesse traindo… Será que realmente ele se sentiria “humilhado” por Débora fazer a mesma coisa com ele? Ele poderia nem se importar com isso… E no final ela ficaria em uma posição pior ainda, porque ela estaria infeliz em um casamento.

Um dos grandes problemas de Débora é que ela toma decisões tão precipitadas que o leitor não consegue acompanhar a personagem – ela muda mais de ideia do que nós trocamos de roupa. Talvez o que tenha faltado foi um maior trabalho na hora de descrever os sentimentos da protagonista e fundamentar mais as suas atitudes. Um dos pontos positivos é uma das amigas de Débora,  Sofia, que é totalmente a “voz da razão” e várias vezes ela fala tudo o que eu gostaria para a protagonista.

“-Débora, você está reduzindo uma crise de casal a um argumento de uma criança de 4 anos.”

Apesar da forma em que o livro é escrito ser bem interessante, porque ele é quase como se fosse uma conversa da protagonista com o leitor, a leitura é bem cansativa. Isso acontece porque 90% do livro é a protagonista e o seu drama de “trai/não trai o marido” e “mas como então eu vou fazer isso?”. E nesse meio tempo o Felipe quase nem aparece, então nós nem podemos julgar muito bem o relacionamento dos dois. Ele parece ser um super fofo, mas em 99% do tempo a Débora é muito grossa com ele, então é meio que impossível fazer uma análise e ter uma opinião sobre ele. Eu li em alguns lugares que a autora teve que cortar uma grande parte do livro. Talvez isso explique tanto a falta de desenvolvimento dos personagens quanto o final que foi muito corrido. Estavam faltando 20 páginas para o livro acabar e eu me perguntei “Como que ela vai conseguir concluir o enredo?”. O final foi bem previsível (isso é normal em chick-lits) mas… Como eu vou explicar sem dar spoilers? Okay, você tem um grande problema durante todo o livro, que se arrasta para ser desenvolvido. Então magicamente, em 5 minutos… Tudo é resolvido. O desenvolvimento do enredo ficou completamente desproporcional.

Enfim, a protagonista atrapalhou bastante a minha leitura e talvez esse tenha sido o meu principal problema. Mas, assim como nós gostamos de pessoas diferentes, nós também podemos ter opiniões que não são as mesmas com relação aos personagens. Alguém já leu “Eu odeio te amar”? Não se esqueça de me contar o que vocês acharam!

Esse livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Gutemberg.

 

Ficha Técnica

Título: Eu odeio te amar
Autor: Liliane Prata
Editora: Gutemberg
Páginas: 234
Onde comprar: Saraiva /Livraria Cultura / Travessa
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Douglas Fernandes disse:

    Esse é um estilo que vejo muita gente comentando, e a maioria dos comentarios sao positivos, esse é um estilo em que vc se diverte rindo da situações dos personagens do livro né…. mas parce que esse nao consegue passar isso ao leitor, eu não tenho o costume de ler esse estilo, mas se fosse ler nao pegaria esse livro… hahahaha

  • Gustavo disse:

    Eu não gosto de personagens assim tão imaturos. Acho que já vemos muito disso no dia a dia, e ao menos em um livro queremos alguem que pense melhor antes de agir, mas essa personagem parece que extrapolou essa atitude infantil. Tirar conclusões precipitadas já é uma droga, agora planejar uma vingança toda em cima de um suposição foi realmente difícil de aceitar em um personagem.
    Até poderia ler, mais pra tirar minhas próprias conclusões do que por outra coisa, mas duvido que isso vá acontecer

  • Larissa Oliveira disse:

    Olá! Não sou muito fã de chick-lits, mas gosto desse clima divertido, característico do gênero. Achei a sinopse até interessante, a gente fica curiosa para descobrir o que a protagonista vai aprontar, mas parece que a autora não conseguiu desenvolver tão bem, né? Também não gosto quando os acontecimentos da trama parecem se desenrolar de uma hora pra outra. Fica tudo muito corrido e acaba não me convencendo. Mas foi ótimo saber sua opinião sobre o livro. =)

  • Maristela G Rezende disse:

    Vendo apenas o título, parece ser um livro drama mas a capa já diz o contrário. Lendo sua resenha, vi que realmente é um drama. Casar para se vingar, é bem triste e muito dramático para quem o faz. Para mim, pessoas que agem dessa forma, são imaturas e tem medo de encarar o problema de frente. Gostaria de ler esse livro.

  • Fabíola Nunes disse:

    O enredo do livro e a capa (okay, me julguem) sempre me chamaram a atenção pois parece ser bem divertido. Aí eu vou ler a sua resenha e fico tipo….”o quê?”… hahah… agora não sei se eu tiro ou não esse livro da minha listinha…é tannnttooo lançamento bom que tô meio sem saco de “perder tempo” com leituras não tão prazerosas. Obrigada pela dica!

  • Lorrane Cabral Gama disse:

    Já vi resenhas sobre o livro e as que ví tinha as mesmas opiniões, e decepções.Amo chick-lits são fofos super engraçados.
    Esse a capa é tão linda,mas pensa porque vingança?,falava com o cara e partisse pra outra,não tudo isso é como vc disse.
    Acho que compraria mas pela capa do que pela história

  • Lana Silva disse:

    A premissa do livro e muito bacana, fala sobre traição bem na véspera do casamento, e ainda ter de lidar com isso. Vejo que a protagonista teve um nível de drama bem acima do esperado, o que tornou a leitura cansativa, como disse suas atitudes eram precipitadas, fazendo com que não conseguisse se envolver com a personagem. Mesmo tendo esse ponto negativo, ainda sim tenho interesse na leitura desse livro.

  • Gizeli Regina Meister disse:

    Já li outras resenhas sobre Eu odeio te amar, os personagens parecem ótimos e a história divertida, apesar da traição, estou muito curiosa pra ler…

  • Rônida Lorenzoni disse:

    Não conheço a autora, mas pela sua resenha não fiquei com vontade de ler, não me despertou interesse, então este eu vou passar.

  • Daniela Silva disse:

    Oláa! Há algum tempo eu li um livro bem sério dessa autora e fico curiosa para conhecer uma de suas obras, de outro estilo completamente diferente. Adoro chick-lit e a capa desse é tão fofinha! Tenho de concordar que o enredo é fraco e achei uma pena não ser bem desenvolvido, ainda por cima.

  • Rudynalva Correia Soares disse:

    Chick lit geralmente são livros descontraídos, onde geralmente podemos dar boas risadas, mas aqui, me parece mais um drama …
    Débora sendo tão imatura e não tendo diálogo com o noivo, tentando se vingar do que acha que foi uma traição… e no final, pelo jeito, tudo acaba dando certo, mesmo que de forma corrida.
    “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy

    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

  • Kemmy Oliveira disse:

    Odeio quando me decepciono assim com um livro de gênero que gosto muito, porque depois fico meio traumatizada haha
    Chatíssimo que a leitura seja uma enrolação sem fim e que o tal marido não apareça nem pra tentar se explicar, embora eu não acredite que ele seja um “fofo” ou não estaria traindo, rs.
    Aposto que nessa vingança toda quem vai se f* é ela.

    bjs

  • Adriana C. Sousa disse:

    Embora seja um livro que tenha um conteúdo que eu não aprovo (trair porque foi traida), fiquei curiosa em ler, mas já dá para perceber a imaturidade da protagonista, parece que ela tem as idéias bem infantis. Gostaria muito de saber o que acontece com esse casal.

  • ELIZABETH DE SALLES NEWBOLD disse:

    Não posso falar por todos os outros leitores, mas pra mim… A história não rolou. Não gostei. A personagem como você mesma diz imatura e chata demais. Uma pena a trama ser assim.
    Beijos,

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem