Resenha: Feita de fumaça e osso

Olá! Esse foi o primeiro e-book que eu comprei diretamente para meu Kindle (se não o primeiro, está entre os primeiros), comprei tem quase um ano e só consegui lê-lo agora, aproveitando o Desafio realmente desafiante 2013, que é promovido pelo blog Silêncio que eu to lendo da Clícia Godoi.

Por falar nisso, esse livro é uma das opções para o item número 5. Ler um livro que o autor tenha a mesma inicial que a sua.

Para ler as outras resenhas feitas para o Desafio, é só dar uma olhadinha na minha meta de leitura.

feita_fumaça_ossoSinopse: Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu. Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo. O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito. Fonte.

Eu terminei de ler esse livro hoje e estou com a sensação ainda de confusão. O livro é bom, mas… Sempre tem um “mas”.

Karou é uma jovem que vive em Praga e não sabe muito de si mesma. O que ela sabe é que é órfã de cabelos azuis, tatuagens de olhos em cada palma da mão, tem um talento nato para o desenho e que foi criada por um quimera que negocia dentes em troca de desejos.

Pois é, parece simples, mas não é tudo tão “simples” assim. Brimstone  é um monstro, ou melhor, um quimera, com rosto ovino e chifres enrolados. Desde que se lembra, Karou foi criada por ele e mais três quimeras, Twiga, Issa e Yasri. Ela nunca entendeu como ou porque eles a criaram, nem de onde vem. Ela só sabe que boa parte de sua vida foi vivida no armazém de Brimstone, cuja a porta da frente abria para diferentes partes do mundo, para que Karou procurasse os dentes que ele precisava.

O começo do livro é bem centrado em Karou e a questão QUEM/O QUE SOU?, o fato de ela ter que mentir para os amigos, pois ninguém acreditaria que seus cabelos são azuis porque ela desejou que fossem assim sempre e o drama do coração partido pelo primeiro amor. Aliás, o cara é um sacana. Bem feito para ele.

“Não coloque nada desnecessário dentro de você. (…) Pare de se desperdiçar tanto, criança. Espere pelo amor.”

Confesso que achei a primeira parte um pouco cansativa e muito dramática, a narrativa me cativou, porque a autora tem uma forma de romancear que atrai bastante, para mim soou quase como poesia (mas quando o livro todo passa a ter essa característica, meio que você cansa).

Logo em seguida, nos deparamos com um novo ponto de vista na história: um serafim aparece, marcando as portas onde são, na verdade, portais para o mundo de Brimstone. Quando ele vê Karou, fica intrigado e não entende o que ela tem a ver com os quimeras. Eles acabam se enfrentando e, mesmo Karou encontrando poder em suas mãos, ela viu que não conseguiria vencer. Mas o serafim acabou poupando sua vida, sem saber por que.

Seu nome é Akiva e ele fica intrigado com Karou. Mais que intrigado, ele praticamente fica obcecado em encontrá-la, não para matá-la, mas se sentia atraído por ela, quase como um tipo de saudade. Karou tinha o mesmo sentimento, não estava necessariamente obcecada em encontrá-lo, mas sabia que iria – e até ansiava por isso.

Isso me irritou um pouco, porque… Foi simplesmente amor à primeira ferida? Em todo o caso, a autora soube expressar os sentimentos das personagens muito bem, de modo que até me arrepiou um pouco e depois de algumas explicações, percebi que foi um sentimento arrebatador entre eles. Complicado de engolir? Um pouco, mas o modo como a autora colocou no texto me convenceu.

Quando comecei a ler, pensei que seria um livro com mais ação, já que se tratava de uma garota “normal” que conhecia seres que pensei que fossem sobrenaturais, de outro mundo. Mas me enganei completamente. Existe a parte de ação, muito rápida, aliás. Mas apenas ficamos sabendo sobre uma guerra secular entre quimeras e serafins e a história de amor arrebatador entre um serafim e uma quimera com um fim trágico.

“Era uma vez um anjo que, caído, morria no nevoeiro.

E um demônio se ajoelhou ao lado dele e sorriu.”

Esse primeiro livro nada mais é que a descoberta de Karou sobre sua própria identidade e seu passado. Karou, na língua dos quimeras, quer dizer Esperança. Tem a explicação sobre o título do livro e o final é o típico cliffhanger, que me fez ficar aflita. E olha que não sou de gostar de livros mega dramáticos (cof-Julieta-Imortal-cof) – e o drama do Akiva era maior que o da própria Karou, porque ele sofreu muito, antes mesmo de encontrar Karou.

Em todo o caso, gostei da narrativa e gostei do universo criado pela Laini Taylor. As lendas de ambos os lados, os dois lados da moeda, propriamente dito, achei bem criativo e recomendo. Quase fica com três estrelas por causa do drama, mas a narrativa estilo poética me cativou. Agora vou esperar pelo próximo livro e espero que tenha mais ação nele – já que esse foi focado mais no romance, descrição de sentimentos e descobertas.

Ficha técnica:

Título: Feita de Fumaça e Osso
Autor: Laini Taylor
Páginas: 384
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Livraria Cultura
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Karen disse:

    Vish, Lucy. O livro é assim? Apesar de você recomendar e dar 4 estrelas, durante toda a resenha fiquei com a impressão de que o livro é simplesmente chato e monótono. Também pelo tempo que eu sei que você levou para lê-lo, não é algo apaixonante. História complicada e, já eu, não sou fã de prosa muito poética. Pra mim não rola.

  • Lucy disse:

    Eu mudei pra 3 estrelas. hahaha
    Pior que eu gostei, o livro convence, mas é parado. Monótono talvez em algumas partes, quando fala do sofrimento sem fim do Akiva, por exemplo. Mas é tudo cheio de sentimento, então de certo modo chamou minha atenção positivamente. hahaha
    Ah, eu coloco às vezes “Lendo” no skoob, mas tive que passar algumas leituras na frente dele, peguei pra valer mesmo dia 20, foram 8 dias (mesmo assim, demorou em comparação a outros mais legais).
    Imaginei mesmo que não seria um livro que você gostasse. hahaha
    Bjos

  • Shadai disse:

    Resenha ótima para eu passar longe desse livro, mesmo se ele pintasse na minha frente para lê-lo hahahaha Achei tudo muito bizarro, os seres, a história, nada me atraiu, e até os nomes não ajudam em nada para a leitura ser mais agradável. Tem gente que goste, mas não é para mim.

  • Lucy disse:

    Oi, Shadai!
    Realmente, os nomes são bem bizarros. rsrs A amiga da Karou se chama Zuzanna! (Assim mesmo, com Z e z! hahaha)
    Não posso dizer que você mudaria de ideia, acho que é um livro para quem não curte muito ação e adora drama. rsrs
    Bjos!

  • Karen Araki disse:

    Oi achei bonita a capa do livro,eu ainda estou engatinhando nessa parte de ler livros como ebooks acho que porque eu adoro pegar em livro sentir o cheiro, folhear as páginas, mas acho que com o tempo irei me acostumar. Em relação ao livro a história me parece uma mistura dos filmes do hellboy com anjos e entre outras coisas, achei os nomes dos personagens bem diferentes do que costumo ver. Apesar da sinopse o livro não chamou muito a minha atenção, porém gostei da sua resenha.

  • Lucy disse:

    A capa também chamou minha atenção, Karen! Sobre e-books, adoro cheiro de livro novo, mas confesso que também adoro a economia de espaço! hahaha Tenho aproximadamente 100 livros no meu Kindle, imagine todos eles na estante? rs

    Hm, sabe que não assisti Hellboy inteiro? Mas agora que você falou, eu procurei umas imagens e parece mesmo. rsrs Acho que é comum colocarem nomes esquisitos em personagens também quando se trata desses universos, vai saber. o.o’
    Pena que não chamou sua atenção, nunca se sabe, às vezes a gente acaba se surpreendendo com a leitura. ^^
    bjos!

  • Juciele disse:

    Não consegui me convencer com essa resenha ou com a sinopse! Tem tantos escritores criando universos com seres fantásticos, lendas e etc, que está me cansando! O pior é que acabam não sendo originais, e posso estar louca, mas pela resenha eu lembrei de Fallen e o anjo (que não lembro o nome) ficava com a sensação de que já se conheciam! Os nomes também são estranhos, mas o que me convenceu a não ler esse livro foi a monotonia, já que você falou que a história se resume aos sentimentos dela e etc.

    Meu Filme virou Livro

  • Lucy disse:

    Oi, Juciele! Sabe, nunca gostei muito de histórias com anjos, comprei esse livro sem saber! o.o’ Por isso eu não tenho como comparar com Fallen.
    Não sei como é o universo de Fallen, mas até que eu gostei do universo criado pela autora. De fato o livro se estende muito falando dos sentimentos e tudo o mais, pode cansar quem não gostar desse estilo de escrita. rsrs
    Bjos bjos

  • ana paula ramos disse:

    Então…. eu ja tinha lido uma resenha dele positiva a muito tempo atras… e estava até na minha lista de desejados… ainda fiquei curiosa para conhecer essa historia, com personagens sobrenaturais, monstros e romances, mas fico com medo dessa narrativa meio poética (preguiça….. :P)
    Não sei ainda, mas talvez eu conheça essa moça de cabelos azuis!!
    bjos

  • Lucy disse:

    Oi, Ana! Dá mesmo uma preguicinha, né? Uma hora ou outra eu tinha vontade de revirar os olhos. hahahah!
    Eu achei os mitos bem bacanas, a autora soube criar um universo bem bacana, mas às vezes senti mesmo que a leitura se arrastou um pouco.
    Dá uma arriscada, às vezes vc acaba gostando mais do que eu. rsrs
    Bjos

  • Jullyane Prado disse:

    Nossa esse livro parece ser muito chato, rsrsrrs, eu não curto esse estilo literário, então não pretendo ler, rsrs!!

  • Lucy disse:

    Hahah! Sabe que eu gostei dele? Mas o ritmo é mais lento em determinado ponto. É uma história parada, mas tem o clímax perfeito. rsrs

  • Lucas Grima disse:

    Eu tenho esse livro, e é um dos meus prediletos. Primeiro porque ele foi dado pela minha irmã quase gêmea e segundo porque não tinha lido nada parecido. O cenário e a protagonista comprovam por si só que o livro merece ser lido por todos. Eu acho que Karou, é uma personagem bem construída e não posso negar que a crise de “quem sou eu?” poderia ter sido um pouco simplificada no livro, até porque, ao longo dele as suspeitas já ficam evidentes. Para mim, triste foi quando terminei de lê-lo. E que venha “Dias de Sangue e Estrelas”.

  • Lucy disse:

    Oi, Lucas!
    Eu achei o livro um pouco devagar, mas isso não quer dizer que eu não tenha gostado. Tanto que tinha dado quatro estrelas, mas depois mudei pra três (porque não temos uma avaliação com 3,5, por exemplo rsrs). Também estou aguardando a continuação, fiquei surpresa que será lançado esse mês ainda (mas nem deveria, porque o primeiro foi lançado já há um ano, mais ou menos, né? rsrs)
    Bjos bjos!

  • Ingryd Melo disse:

    Eu tenho o livro, ele é um dos meus preferidos <3
    Concordo com vc que tem algumas partes paradas… Mas demorei uns 2 ou 3 dias para ler pois nao o li direto…
    Gostei do universo criado pela Laini, pois não é tão clichê é ai que a coisa fica interessante.. *-*

    Não vejo a hora de comprar a continuação <3

    Beijos, Indy.

  • Lucy disse:

    Oi, Ingryd!
    Engraçado que, embora tenha partes paradas, ele fluiu rápido comigo também. Mas como eu tenho um tempo restrito de leitura, demorei mais ou menos uma semana.
    Achei bem criativo o universo da Laini também, eu vou acompanhar essa série. 😀
    Bjs!

  • Top Ten Tuesday: Dez sequências que mal posso esperar para ler « Por Essas Páginas disse:

    […] 3. Dias de sangue e estrelas (Feita de fumaça e osso): Eu li o primeiro livro e gostei bastante. Embora o primeiro livro seja muito romântico, muito parado de certo modo e ter uma carga dramática um pouco acima do que eu tolero, acabou que me encantou – e sei que isso soa contraditório, mas é verdade. Resenha do primeiro livro. […]

  • Sandy Mayara disse:

    A capa é linda *–* vontade de comprar e fazer um mural com ele.. kkk
    ainda nao li, mas poxa fera, to louca pra ler, só que estava esperando coisas bem diferentes do que parece ser …. o-0 bom, ainda sim eu pretendo fazer meu mural u-u kkkk vou ler, se nao gostar fico com a capa ;.;

  • Lucy disse:

    Oi, Sandy!
    Eu também esperava algo bem diferente desse livro, mas o que eu li me agradou bastante. Se o leitor gosta de ação, talvez ele se decepcione, porque esse livro foi todo voltado para a história de Karou. Mas acho que você vai gostar e ele não vai ficar só no mural. hehehe
    Bjos

  • Top Ten Tuesday: Dez livros com cenários de guerra « Por Essas Páginas disse:

    […] 2. Feita de Fumaça e Osso, Laini Taylor: Uma guerra em meio a um romance proibido entre um anjo e um demônio. O primeiro livro não mostra necessariamente a guerra, mas mostra o que aconteceu e o que está por vir. Isso me lembra que tenho que terminar essa série. Resenha […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem