Resenha: Feitiço Azul + Coração Ardente


Não, vocês não leram errado: essa vai ser uma resenha de dois livros de uma vez só! Mas como isso vai funcionar? Há, eu já explico, porque essa resenha é direcionada para todo mundo, até para quem nunca leu a série Bloodlines, da diva Richelle Mead!

– A primeira parte do post é uma lista com 5 motivos para você começar a ler Bloodlines e não contém spoilers! SIM, porque eu quero que todo mundo comece a ler essa série maravilhosa, então nesse caso, spoilers não são amigos;

– A segunda parte é a resenha de Feitiço Azul, terceiro livro da série e contém spoilers dos dois livros anteriores;

– A terceira (e prometo última) parte é a resenha de Coração Ardente, e contém spoilers dos três livros anteriores.

Então vamos lá?

Cinco motivos para você largar esse post correndo e ir ler a série Bloodlines

1) Esse livro possui um dos melhores romances que provavelmente você já leu até hoje. SÉRIO. E eu sou a pessoa que ama  romances e já li quinhentos mil livros com esse tema. O motivo? Nada é rápido. Os protagonistas não se conhecem na página 10 e fazem juras de amor na página 20. Tudo é lentamente trabalhado.

2) “Mas Lany, eu não li a série anterior”. Não tem problema nenhum! Você não vai ficar sem entender, porque tudo o que é necessário é explicado  nessa série. Claro que você pode perder algumas ironias, mas o sentido em si do livro fica todo preservado. Infelizmente, se depois você quiser ler Vampire Academy, você vai saber alguns spoilers (você vai saber o que aconteceu, mas não como).

3) Os protagonistas Adrian Ivashkov e Sydney Sage. Eu AMO os dois. Não, eles não são perfeitos. Muito longe disso. Mas eles tem um crescimento enorme durante toda a série. A evolução dos personagens é linda, linda, linda. Não tem como não se encantar por eles!

4) Os personagens secundários também são muito bons. Infelizmente, alguns personagens secundários não aparecem tanto quanto deveriam… Isso é para vocês perceberem o quanto eu adoro todos eles! Cada um deles deixa a sua marca no livro. Alguns apareceram em Vampire Academy e outros que são novos.

5) Nenhum capítulo é parado. Talvez a única exceção dessa regra seja o primeiro livro, principalmente o início, porque é uma apresentação dos personagens e do enredo. Mas, quando a Richelle começa a desenvolver o enredo… Ela não para!

Atenção: Essa parte resenha contém spoilers dos dois primeiros livros da série Bloodlines. SIM, SPOILERS! CUIDADO!

O feitiço azul“A atual missão da alquimista Sydney Sage fez com que ela revisse seus conceitos não só sobre os vampiros, mas também sobre a própria organização à qual pertence, responsável por esconder a existência dessas criaturas do resto da humanidade. Sydney acabou descobrindo um grupo dissidente que tinha muito em comum com os alquimistas, mas objetivos bem mais radicais. Certa de que seus superiores estão guardando segredos sobre essa facção paralela, ela contará com a ajuda do misterioso ex-alquimista Marcus Finch para tentar desvendá-los. Mas isso só será possível se ela conseguir escapar de uma ameaça ainda mais urgente; uma feiticeira cruel que suga a alma de jovens usuárias de magia. Enquanto isso, a garota luta contra os sentimentos cada vez mais fortes pelo rebelde vampiro Adrian Ivashkov. Há tabus e preconceitos milenares arraigados entre as duas raças, que representam um obstáculo enorme para esse relacionamento. Mas Adrian é persistente e é o único em quem ela confia para enfrentar as ameaças que se aproximam. Será que Sydney conseguirá se libertar do seu modo de vida e se render a esse romance?”

Com certeza, quase todo mundo que terminou de ler O Lírio Dourado ficou com a mesma frase na cabeça: “NÃO SYDNEY, NÃO, NÃOOO!”. Depois de Adrian ter se declarado para ela e a beijado, Sydney diz que não pode se relacionar com o Moroi. Ela é uma Alquimista e ele uma criatura das trevas. É claro que o nosso lado fã fica completamente triste com essa atitude, mas levando em consideração todos os ensinamentos que ela teve desde criança, a gente consegue entender os motivos que a levaram a fazer essa escolha. Mas O Feitiço Azul é aquele livro que vem para acabar com qualquer certeza que Sydney tinha sobre certo e errado.

Logo no primeiro capítulo a sra. Terwilliger pede para que Sydney faça um feitiço de localização: ela precisa encontrar a irmã, mas ela não pode fazer o feitiço em questão. Sydney não quer continuar praticamente magia, porque ela considera que esse não é um poder para os humanos, mas não adianta: ela está cada vez mais envolvida nesse mundo. No segundo capítulo (e eu posso dizer um dos meus favoritos de toda  a série), Sydney vai para o casamento de Sonya Karp. Por um acaso do destino, ela acaba se sentando ao lado de Adrian Ivashkov no avião. E não tem para onde fugir: eles tem que conversar. Se você esperava um Adrian completamente temperamental e deprimido, dando respostas sarcásticas para esconder a sua dor (que era o que eu imaginava), você está muito enganado! Adrian parece muito tranquilo com tudo o que aconteceu e quem acaba se incomodando com essa nova situação é Sydney. Adrian então conta para a Alquimista como será a sua atitude para o que (ou melhor, não) aconteceu entre eles:

“- Eu sei. Para mim não é mesmo. E é por isso que não vou dificultar as coisas para você. – Ele fez uma pausa dramática. – Simplesmente vou amar você, quer você queira ou não.” – página 31

Sydney fica completamente frustrada com a resposta dele. Ela diz que ele não pode, que ele está perdendo o tempo com ela mas ele se mantem firme.

“- E, ei, se eu continuar amando você, talvez um dia consiga fazer você me amar também. Na verdade, tenho quase certeza de já está meio apaixonada por mim.” – página 33.

Claro que Sydney nega. Porque essa é a Sydney no começo de O Feitiço Azul: ela nega tudo o que está na frente dela, mesmo sendo óbvio para os leitores. E não me perguntem como, mas a Richelle conseguiu desenvolver o crescimento da personagem tão bem, que em nenhum momento eu fiquei com aquele sentimento que ela estava enrolando.  Por que sim, esse livro é um grande desenvolvimento da protagonista. A Sydney já é muito diferente da Sydney que nós conhecemos lá na série Vampire Academy – mas ela ainda está tentando se encontrar. Ela fica em conflito entre o que ela sente e tudo o que os Alquimistas a ensinaram. E ela tem que decidir em quem acreditar…

Além disso, ele é um dos livros mais românticos da série e somos apresentados a personagens novos muito bacanas. Ah, e tem uma cena que se eu contasse fora de contexto, vocês iriam se perguntar o que Richelle estava realmente pensando ao escrever isso. Mas no livro… Ah fez todo o sentido do mundo e ficou excelente!!!

Ficha Técnica

Título: O Feitiço Azul
Autor: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Páginas: 416
Onde comprar: :Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) / Amazon

Avaliação: 

Atenção: Essa parte resenha contém spoilers dos três primeiros livros da série Bloodlines. SIM, SPOILERS! CUIDADO!

coração ardente “No quarto volume da série Bloodlines, enquanto Sydney Sage esconde seu romance ardente com o vampiro Adrian Ivashkov, a ameaça de ser descoberta — e mandada para a terrível reeducação — é maior do que nunca. Criada desde criança para desprezar os vampiros, a alquimista Sydney Sage acabou vencendo seus preconceitos em sua última missão. Aos poucos, a garota não só criou laços de amizade com esses seres como acabou se apaixonando por um deles — o irresistível Adrian Ivashkov — e, surpreendendo até a si mesma, decidiu levar o relacionamento proibido adiante, em segredo. Tudo se complica quando Zoe, sua irmã, se junta à missão. Sydney precisa guardar seu segredo enquanto tenta fazer com que a caçula perceba como as crenças alquimistas estão equivocadas. Enquanto isso, Adrian sofre com os fortes efeitos do espírito — um elemento mágico que, ao mesmo tempo em que lhe confere poderes, pode levá-lo à loucura. Sydney é seu maior incentivo para abrir mão desses poderes e buscar uma saúde mental equilibrada, mas Adrian nem consegue imaginar como seria vê-la machucada e não poder fazer nada. Agora, ele precisa escolher entre sua sanidade e a capacidade de ajudar a todos — especialmente aqueles que ama.”

A grande diferença entre Coração Ardente (eu sei, o título parece de Novela Mexicana) e os outros livros da série está logo no primeiro capítulo. Sim, nesse livro, nós temos capítulos narrados pelo ADRIAN (os capítulos são alternados entre Sydney e ele). E o que eu posso dizer disso? Que ideia MARAVILHOSA da Richelle! Claro que isso poderia dar muito errado, mas nós nem precisaríamos do nome antes do capítulo para saber quem estava narrando. Adrian tem uma voz muito única, completamente diferente dos outros personagens da Richelle, e até do livro de outros autores. Enquanto Sydney é muito metódica, Adrian consegue se distrair facilmente. E ele é um personagem muito complexo, porque existe o Adrian que ele mostra ao mundo e o Adrian que ele verdadeiramente é. Ao mesmo tempo que ele solta piadas hilárias, ele começa a filosofar sobre o amor. Não é fácil descrever Adrian, mas Richelle conseguiu perfeitamente passar isso para o papel.

Bom, voltando ao enredo, no final de O Feitiço Azul, Sydney finalmente assume os seus sentimentos e Adrian e ela ficam juntos em uma cena linda. Mas Coração Ardente já começa com a dura realidade: com a chegada da irmã de Sydney para ajudá-la a proteger Jill, Sydney e Adrian quase não tem nenhum tempo juntos. Além de esconder seu relacionamento, Sydney também tem que esconder que é uma bruxa. Pois é, nada é facil para a nossa Alquimista favorita… Enquanto isso, Adrian sofre as consequências de usar o espírito. E ter a visão dele na história é importantíssima porque a gente realmente consegue entender o que está acontecendo.

Richelle Mead falou em diversos momentos que Coração Ardente era o livro mais romântico e sexy da série. E eu tenho que totalmente concordar e até confessar que fiquei surpresa com o quão sexy ele é. Mas é claro que tudo dentro do que é permitido por ser um livro Young Adult… Ou seja: você não precisa de cenas altamente descritivas para ter uma cena mais… han… quente.

Eu li algumas reclamações do final, dizendo que ele foi previsível mas… sinceramente? Eu acho que às vezes é muito mais difícil um autor escrever um final que o leitor espera acontecer e ainda conseguir o emocionar do que fazer um final completamente surpreendente.

Existem livros ruins. Existem livros mais ou menos. Existem livros muito bons. Existem livros favoritos. E existem livros que simplesmente mudam a gente e levam um pouco da nossa alma junto. E  Coração Ardente se enquadra exatamente nessa última categoria.

 

Ficha Técnica

Título: Coração Ardente
Autor: Richelle Mead
Editora: Seguinte
Páginas: 416
Onde comprar: :Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) / Amazon
Avaliação: 

Livros gentilmente cedidos para resenha pela Editora Seguinte

 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Janeiro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Nathalia Simião disse:

    Meu Deus Lany, acho que você ama essa série até demais.
    Aliás, você escreveu dez motivos mas só tem 5 ;)
    Eu sou complexada, não conseguiria começar uma série spin-off sem ler a outra série antes.

  • Lany disse:

    Muito obrigada! Já corrigi! :)

  • Gustavo disse:

    Eu tenho muito interesse por esse spin-off, mas eu não leria antes de Vampire Academy porque não gosto de ler fora da ordem de lançamento (neurose minha kkk). Estou só esperando a série acabar para comprar os dez de uma vez kkkk

  • Nayara disse:

    Concordo com a Nathalia… não ia conseguir ler a série sabendo q tem coisa pra trás! Hahahha
    Mas seus motivos foram beeem convincentes!!! Série parada ou série muito rápida perde totalmente a graça e o enquanto.
    Tem q ter emoção, romance e ser escrita na medida certa! :D
    Adorei.
    Beijos

  • thayna ta disse:

    Fiquei bem curiosa há muito tempo. O livro parece ser ótimo e de belo enredo. Se não me lembro, foi originado de alguma saga vampírica. Mas por o enredo e amor entre os personagens ser desenvolvido devagar eu gostei, nada daquela coisa rápida e de ficarmos confusos. Ah, sim, agora que vi, vampire academy. Soube que é bem melhor. Por ter gostado dos personagens, já torna a leitura gostosa. E damos falta de personagens secundários mesmo, que quase nem aparecem. Os livros parecem ótimos, com um enredo intenso e fluido. E vi que narradores são trocados em algumas partes? Ou no segundo. Isso torna a leitura diversificada, por não focar em apenas um personagem e não enjoarmos dele.
    Abraços Lany,
    ThayQ.

  • Carolina disse:

    Oi Lany, tudo bem?
    Eu gosto mais dessa série spin off do que da série original (fãs da Academia, por favor não me batam!). Apesar de amar a Rose sarcástica, eu amo muito mais esse casal de protagonista. Agora que realmente conhecemos o Adrian, tudo o que eu posso falar é que a Rose perdeu a chance de estar com um cara incrível.
    Parabéns pela resenha!
    Bjkas

  • Brenda Carolina disse:

    Tenho muita vontade de ler Vampire Academy, mas até hoje não tive oportunidade. Vou colocar essa série na minha wishlist também *-*
    Obrigada pela dica e beijos <3

  • Douglas Fernandes disse:

    Essa é outra serie que vejo muita gente falando bem, eu ainda nao li nada da autora… :( mas tenho alguns dos livros dessas series, quando tiver todos pego pra ler…rsrs. Esses motivos são mais que suficientes pra eu querer ter todos os livros aqui.

  • isa aragao disse:

    Nossa Lany. To muuuuuuuuito viciada nessa serie. Serio mesmo. Desde o carnaval que to lendo e acabei hj. Mas desde a academia de vampiros<3 quero maaaais livros!!

  • Thaynara Ribeiro disse:

    Eu preciso ler Bloodlines!! Estou terminando Vampire Academy, mas para falar a verdade eu tenho estado meio cansada com essa leitura, não sei se é porque eu decidi ler tudo de uma vez só :(

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem