Resenha: Fênix, a Ilha

Quando os lançamentos da Novo Conceito chegaram – e foram muitos! – esse livro foi o que mais me interessou. Achei que seria algo meio Lost, sabem? Vários adolescentes problemáticos em uma ilha, isolados, num campo de treinamento. Criei expectativas e, bem, me decepcionei. O livro não era nada do que eu esperava antes da leitura; quer dizer, na verdade, ele foi é muito previsível de um jeito bastante incômodo.

“Sem telefone. Sem sms. Sem e-mail. Sem TV. Sem internet. Sem saída. Bem-vindo a Fênix: A Ilha. Na teoria, ela é um campo de treinamento para adolescentes problemáticos. Porém, os segredos da ilha e sua floresta são tão vastos quanto mortais. Carl Freeman sempre defendeu os excluídos e sempre enfrentou, com boa vontade, os valentões. Mas o que acontece quando você é o excluído e o poder está com aqueles que são perversos?” Fonte

Fênix, a Ilha é o tipo de livro que, assim que você começa a ler, já sabe onde vai dar. Você espera que seja diferente e que o livro o surpreenda, mas ele não o faz. Dá desânimo. Não que ele não tenha partes emocionantes, mas mesmo assim…

Carl é um jovem de temperamento difícil, problemático, que vive para “defender os fracos e oprimidos”. Isso quer dizer que, sempre que ele vê uma pessoa mais fraca – e estou insistindo nisso porque é como o livro mesmo classifica -, Carl vai lá e desce a mão nos valentões. Mas desce a mão mesmo. O garoto é tão bom socando que acaba virando boxeador – e chega a ganhar vários prêmios, mas se mete em tanta encrenca que, bem, tudo vai para o ralo. Para dificultar, ele perde o pai e a mãe e se torna um órfão, pulando de casa em casa adotiva e não parando em nenhuma devido ao seu temperamento. No último de seus descontroles, sua sentença é ser exilado na Ilha Fênix. E aí que todo o pesadelo começa.

A Ilha Fênix é um lugar cheio de regras militares e tudo mais. Na verdade, a Ilha Fênix é um lugar muito chato; desde o instrutor que pratica bullying com seus alunos até a menina que se torna o alvo romântico de Carl. Na verdade, o próprio Carl é irritante. O autor tenta durante o livro inteiro convencer o leitor que ele é inteligente, algo além dos músculos definidos, mas… não. Carl simplesmente não é inteligente. Ele é muito lerdo, sério. E isso me deixou cheia de raiva.

fenix (1)

Há toda uma tensão construída em torno da ilha e dos segredos que ela guarda, dos terríveis mistérios e de uma conspiração, mas na verdade o que eu realmente vi nesse livro foi muita violência gratuita. Assim, coisa de muito sangue, costelas e narizes quebrados, e tudo sendo remendado rapidamente mais tarde. O acampamento todo e o estilo militar dele são de uma ignorância – e algumas vezes, de uma incoerência – sem tamanho. Vai ver o problema sou eu, vai ver o livro não é a minha praia: mas sei que esperava algo muito mais inteligente dessa leitura do que esse monte de pancadaria.

Para completar, o livro é uma série e termina de um jeito bem apelativo e sem graça para fazer um gancho para uma possível continuação que, certamente, não lerei. Gostaria que tivesse algo avisando disso no livro, porém o único lugar que avisa é no Skoob mesmo (preciso ser mais atenta a ele das próximas vezes…). Mas e o leitor que não se atenta ou não usa o Skoob? Como fica? É surpreendido com uma continuação?

fenix (2)

Gostei do trabalho de edição do livro, nesse quesito a Novo Conceito anda caprichando bastante. O papel é muito confortável para leitura, a capa é simples, mas direto ao ponto, e todas as primeiras páginas de capítulos são decoradas com árvores ao redor do texto e no restante do livro há ramos próximos aos números de página. São pequenos detalhes que deixam a leitura mais agradável, mas não salvam um conteúdo fraco. E para mim, que esperava muito mais de Fênix, A Ilha, este foi um livro fraco.

Livro gentilmente cedido em parceria para resenha pela Editora Novo Conceito.

Ficha Técnica

Título: Fênix, A Ilha
Autor:  John Dixon
Editora: Novo Conceito
Páginas: 336
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) / Amazon (e-book)
Avaliação: 

Compartilhe:
  • 2
  •  
  •  
  •  


  • Gustavo disse:

    A resenha me decepcionou um pouco, esperava beeem mais do livro e também não fazia idéia de que seria uma série. Mas eu não sei porque ainda quero dar uma chance. Eu meio que gosto de um sangue a mais, desde que seja com uma finalidade eu não ligo não. Espero que seja só uma impressão sua e que eu goste kkk odeio protagonista burro (me bastou a Lucy e a Ever), espero que o autor não tenha forçado demais pra “provar” que o moleque era inteligente

    [Reply]

  • Marília Sena disse:

    Desanimei total agora. Confiando no seu julgamento… Digamos que o protagonista é ruim, o enredo não traz muito mais que pancadaria e sangue, que não surpreende e que não dá margem para interesse na continuação, esse definitivamente não é um livro do meu tipo. Do jeito que você descreveu achei bem forçado e já até perdi a vontade. Sinceridade nas resenhas é tudo.

    [Reply]

  • Ale Gilos disse:

    Nossa, Ka! Que triste 🙁 Achei que fosse me-ga bacana este livro, mas aparentemente não, né? Tristeza pura. É uma pena quando o autor não sabe desenvolver a história e fica aquele vai, mas não vai que nos irrita…
    E a NC tem caprichado mesmo, no livro que estou lendo também tem detalhes bem bonitos em todo início de capítulo e a página é mara.

    [Reply]

  • Fabiana Strehlow disse:

    Oi, Karen!
    Coincidentemente, li e resenhei este livro no feriado.
    Concordo com você no quesito violência. Principalmente, nos detalhes sanguinários … eeca!
    Também esperei que fosse diferente.

    Abraços!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/2014/04/resenha-fenix-ilha.html

    [Reply]

  • Douglas Fernandes disse:

    Poxa, eu tinha grandes expectativas sobre esse livro… 🙁
    ainda tenho muita vontade de ler, mas o bom que agora nao vou com tantas expectativas e se eu me decepcionar nao vai ser muito assim… hahahahah

    [Reply]

  • Shadai disse:

    Que baita decepção!
    Eu, assim como você e muita gente, adorou a premissa desse livro. Mas o interessante do livro fica só na premissa pelo jeito.
    Parecia um Lost + Jogos Vorazes, mas com personagens ruins e mal desenvolvimento.
    Viraria uma série de tv para ser cancelada facilmente hehehe

    [Reply]

  • SAMUEL CARDEAL disse:

    Karen, você anda muito exigente 🙂
    Acho que quem escreve muito bem acaba esperando o mesmo dos outros. Mas, realmente, violência gratuita, principalmente em um livro, é intragavel.
    Não conhecia o livro, e agora você me convenceu a não conhecê-lo. 😮

    Abraço

    [Reply]

  • Michelli Santos Prado disse:

    Também não sabia de tratar de um livro que havia continuação….Mas confesso que fiquei bastante surpresa com a historia e apesar de você não ter gostado do livro, ainda assim fiquei curiosa pela historia e confesso que meu namorado irá adorar esta historia!!

    [Reply]

  • Lais Cavalcante disse:

    Não acredito que você não gostou desse livro! Foi um banho de água fria em mim! Estou muito afim de ler esse livro e confesso que fiquei decepcionada ao ver que é uma série. Não vejo necessidade de tantas séries assim no mundo hahah mas tudo bem. Eu fiquei curiosa para ler esse livro desde o lançamento e só vou sossegar quando eu o ler e tirar minhas próprias conclusões.

    [Reply]

  • Nayara disse:

    Lembro quando você falou em um TTT desse livro e eu fiquei “UAU, parece ser muito bom” e só de ler a sua resenha, me decepcionei =(
    Concordo com a Ale, horrível quando se tem uma história boa e o autor não consegue desenvolvê-la =/ uma pena mesmo!
    Beijos!

    [Reply]

  • David Galan disse:

    Espero de verdade que esse livro seja bom para mim, também criei grandes expectativas que já tratei de abaixar, caso não goste será mesmo assim uma enorme e gigantesca decepção.
    A ideia do livro é extremamente interessante e podia se bem desenvolvida ter resultado em uma história avassaladora, por se tratar de uma série talvez o autor tenha mais tentado apresentar os personagens para que haja uma identificação do leitor e nos próximos consiga fazer as coisas fluírem.
    O personagem principal é o garoto mau que depois de sofrer muito no último livro ficará bom e se renderá ao amor, caso seja esse o final posso dizer que será uma escrita desnecessária por não nos desafiar, enfim vou ler o livro e já meio com o pé atrás, vamos ver o qual o efeito que ele terá sobre mim.

    [Reply]

  • Top Ten Tuesday: Dez livros para quem gosta de Lost « Por Essas Páginas disse:

    […] Li esse livro justamente por achar que teria uma pegada Lost. Só que não. Bem, o livro foi bastante decepcionante e, tirando o fato de que jovens estão presos em uma ilha, não tem nada que impressione como eu esperava e que fosse remotamente parecido com Lost. Então, se você olhou esse livro e se interessou por esse motivo como eu, pode desistir. Resenha aqui. […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem