Resenha: Geek Love – O manual do amor nerd

Quando a Editora Gente anunciou esse lançamento, pensei que ele fosse a minha cara. Oras, eu sou uma nerd assumida: traça de livros, toque do Super Mario Bros. no celular, assisto Sailor Moon religiosamente aos sábados, faço piadinhas que as pessoas não entendem com Silent Hill e Doctor Who, limpo a casa fazendo “uón” quando levanto o aspirador de pó… em resumo, totalmente geek. Achei que seria um livro divertidíssimo, mas demorei cerca de quatro meses para lê-lo. Geek Love – O manual do amor nerd sofre de um problema que alguns nerds sofrem: não saber parar quando a piadinha geek já perdeu a graça.

“Eric Smith sabe mais do que ninguém que existem prazeres imensos na vida geek. Amigos incríveis, conversas até de madrugada sobre realidades alternativas ou até mesmo o simples prazer de ler aquele lançamento de quadrinhos. No entanto, chega um momento na vida de todo nerd em que o amor bate à porta e daí vem a hora de jogar o xadrez tridimensional que é o mundo dos solteiros. Não se desespere, jovem Padawan! Deixe Smith guiá-lo por esse caminho e descubra que amar é muito mais do que flores e bombons. Afinal, nada é normal na vida do nerd, e o amor não é senão o mais extraordinário dos fenômenos humanos.” Fonte

A primeira coisa que preciso dizer é que a edição do livro pela Editora Gente é de babar: todas as páginas (TODAS!) são coloridíssimas, cheias de detalhezinhos nerds, ilustrações, moedinhas do Mario, enfim… super apaixonante! Mas como beleza não põe uma mesa, infelizmente, ela também não sustenta o livro.

20141114_211129

Basicamente, Geek Love – O manual do amor nerd é um livro de auto-ajuda (sim, eu já sabia que era, mas não esperava que fosse TANTO) recheado de piadinhas nerds. Por algum tempo, o livro é engraçado, gostosinho de ler, as referências nerds são delicinha, mas depois de algumas páginas as piadas começam a se tornar um tanto quanto repetitivas e você percebe que o autor está seguindo uma fórmula que deixa de dar certo após sua exaustiva repetição. É como aquelas séries de comédia que são engraçadas nas primeiras temporadas mas, inevitavelmente, acabam esgotando a originalidade no final. É muito difícil ser engraçado por muito tempo e Geek Love é um livro aparentemente curto (pouco mais de 200 páginas), mas que, por ser um livro de auto-ajuda e comédia, acabou ficando muito longo. As dicas são legais e realmente úteis, mas o autor não precisava bater na mesma tecla tantas vezes, apenas para usar todos os tipos existentes de nerdices.

Talvez o autor tenha se empolgado, mas, pessoalmente, acredito que ele seria bem melhor se tivesse a metade de páginas; algumas vezes Eric Smith se alonga demais no mesmo assunto, cansando o leitor. Não há outra palavra para definir: Geek Love é cansativo. Eu lia algumas páginas, cansava do mesmo assunto e partia para outro livro. Li inúmeros outros títulos enquanto lia Geek Love. Por causa desse cansa/para-de-ler/pega-outro-livro/volta/cansa-de-novo, acabei demorando meses para terminar. E só terminei porque era um livro de parceria, porque dava vontade de largar, sinceramente.

“Você se lembra de alguns detalhes da noite anterior: atrasou 45 minutos, ela ficou lhe chamando de Titi, mas seu nome é Quinzinho…” Página 149

Epic Win da tradução da Editora Gente que, muitas vezes, adaptou as nerdices para o nosso território brasuca, como na citação acima, fazendo uma referência deliciosa à Turma da Mônica. Muito amor! Tem muitas coisas bacanas nesse livro, é verdade; mas até elas, repetidas tantas vezes, acabam cansando.

Outro ponto negativo que não dá para ignorar é que o autor direcionou o livro para a somente um tipo de público: homens. Tudo bem que ele dedica uma página (!!!) para dizer às meninas que “elas podem ler o livro e aplicar as dicas para conquistar seu Player 2”, mas, vamos concordar, quando você é uma garota e lê esse aviso, para depois perceber que o livro é totalmente voltado aos garotos… bem, simplesmente você percebe que aquilo não é para você. Talvez o público masculino (e geek) aprecie mais a leitura. Agora, se você for uma geek girl, bem, sinto dizer, esse livro não é para você, assim como não foi para mim.

Esse livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Gente.

unica_logo

Ficha técnica:

Nome: Geek Love – O manual do amor nerd
Autor: Eric Smith
Páginas: 208
Editora: Gente
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon
Minha avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Novembro. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Shadai disse:

    Como não se trata de um romance, eu iria gostar dessa leitura ser arrastada, ser dosada, ler poucas páginas por dia ao longo de vários dias (ou até mesmo meses como foi no seu caso), acho melhor para por em prática, em vez de ler tudo, e portanto não dar tempo de refletir sobre e tentar vivenciar.
    Apesar de eu ser homem e um pouco geek, acho que o livro também não é pra mim, pois parece mais voltado ao público adolescente que está começando na árdua vida amorosa. Mas, se me derem de presente de Natal lerei com o maior prazer em 2015, e quem sabe acho minha player 2 hehehe

  • Karen disse:

    Shadai, acho que é uma boa mesmo ler mais dosadamente, apesar de que eu fiz isso e mesmo assim me cansei. Talvez apenas não fosse pra mim mesmo. Lendo o livro ou não, tomara que você ache logo sua Player 2 e seja feliz pra sempre! :)

  • Ana Paula Barreto disse:

    Não tinha ideia de que é um livro de autoajuda nerd. rs
    Pena que é direcionado para os homens. Confesso que ficaria super curiosa caso as mulheres fossem mais incluídas.
    De qualquer forma, achei bacana algo nesse estilo.
    bjs

  • Karen disse:

    Pois é, Ana, eu fiquei lendo e me sentindo meio excluída, como se tivessem me convidado para uma festa e me deixado num cantinho sem coxinha. Triste. =/
    Mas a proposta até que foi bacana.

  • Suelen Mendes disse:

    Quando esse livro lançou fiquei bem empolgada,achei a proposta bem diferente.Até descobrir que era auto ajuda.Não consigo gostar de livros desse gênero e acabei nem me interessando mais.Ainda bem né! rsss
    Bjus

  • Karen disse:

    Eu até desconfiava que era auto-ajuda, mas não achei que fosse tanto! Fazer o quê… beijos!

  • Cláudia Santana Schumacher disse:

    Eu estava empolgada com esse livro, mas depois de algumas resenhas vi que ele não é mesmo para mim, não sou tão geek mas adoro esse mundo e imaginei que seria uma leitura divertida mas sem ser desgastante.
    Enfim, me decepcionou um pouco.
    Beijos

  • Karen disse:

    É, pois é, Cláudia, também fiquei decepcionada. Esperava me identificar e não aconteceu isso. =/

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu tenho esse livro aqui, ainda nao li, mas a edição ta bacana mesmo, fiquei viajando no livro… *-*
    Ahh para né, que que tem ter um livro voltado para o publico masculino… já to cansado de ver esses livros eroticos com os cara sem camisa na capa.. ¬¬

  • Karen disse:

    Douglas, o que é que tem é que o livro não diz que é para o público masculino e que existem garotas geek também que podem se sentir enganadas ou incomodadas e, por isso, achei bom avisar, já que nem o autor nem a editora o fizeram. Como o livro não avisa que é para homens, achei que fosse me identificar por isso, mas não, então sim, me incomodou. O livro do cara sem camisa provavelmente você já passa longe porque acha que não é pra você, não é mesmo? (e, sim, algumas mulheres como eu também passam longe, o que não desmerece quem curte ;) )

  • Gustavo disse:

    Eu tinha tanta vontade de ler esse livro, me parecia ser tão legal, mas descobrir que é de autoajuda me tirou toda a vontade. Nada contra essa temática, só não é pra mim, nem um pouco (odeio ler esse estilo).
    Eu tenho tantos livros que comprei no fogo da hora, que agora me parecem cansativos, que não estou com nenhuma vontade de ler um que tenho certeza absoluta de que será cansativo (ao menos os outros posso estar errado kkk).
    Não leria, nem a pauladas kkk pena, porque quero ler algo voltado aos nerds kkk :(

  • Clay disse:

    Além do livro ser o máximo, o autor é a uma simpatia =) esteve presente em minha resenha como na foto que publiquei no twitter.. como não amar =D

    Adorei a linguagem do livro ^^ ótima resenha

  • Monique Cristine disse:

    Obrigada pela resenha maravilhosa, estava pensando em comprar o livro, mas agora, acho que só vou pegar emprestado mesmo ^.^

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem