Resenha: Graffiti Moon

Quando a Valentina disponibilizou Graffiti Moon, eu logo me interessei. Primeiro, adorei a capa e a sinopse! Segundo, tem uma personagem com meu nome (pelo menos o meu nick rs). E ainda bem que o livro é uma fofura!

Eu já li um livro em que a história se passava em 24 horas e algumas pessoas podem pensar que tudo o que se passa em um livro que descreve apenas poucas  horas de convivência é forçado e tudo o mais. Fico feliz em dizer que isso não acontece em Graffiti Moon.

GRAFFITI_MOONSinopse:Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro. Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa? O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade. A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida. Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos. Fonte

O livro é narrado em primeira pessoa e somos apresentados a três pontos de vista: de Lucy, que está atrás do Sombra, um grafiteiro misterioso com uma arte peculiar; Ed, um jovem com problemas financeiros e certa dificuldade de leitura e que não tem muita expectativa em sua vida, apenas as pinturas nos muros; e o Poeta, o companheiro do Sombra, que no decorrer da história nos apresenta seus sentimentos em forma de verso.

O que acontece aqui: Lucy e suas amigas saem à noite para comemorar o término do ano letivo e acabam encontrando Ed e Leo em um pub com o (ex-)namorado de uma das amigas de Lucy. Leo logo está interessado na amiga solteira de Lucy, então ela e Ed são obrigados a dividirem o mesmo espaço físico, algo que ambos não queriam. Os dois já haviam se encontrado antes e foi, digamos, desastroso. Quando Leo revela que sabe o paradeiro de Sombra, Lucy logo se anima e acaba deixando de lado suas diferenças com Ed (ou pelo menos passa a tolerar sua presença) para ir em busca daquele por quem ela nutria uma paixão.

Primeiramente, a paixonite de Lucy pelo Sombra pode parecer infantil. No decorrer da história, descobrimos melhor o motivo que a leva a gostar do Sombra e passamos a torcer muito por ela, principalmente para que não se decepcione. Quanto ao Ed, ele é aquele cara que tem certo orgulho e vergonha ao mesmo tempo de falar de suas limitações e dificuldades, mas não hesita em ajudar seus amigos ou sua mãe no que for. E sua missão daquela noite, além de ajudar Lucy um tanto à contragosto, seria assaltar a escola em que estudava para ajudar Leo a pagar uma dívida alta contra alguém que estava ameaçando sua avó.

Embora o leitor descubra quem são o Sombra e o Poeta logo no início – e isso soar bastante clichê – o livro vai muito além desse “mistério”. Eu vi a história quase como um rito de passagem, uma noite de autoconhecimento e magia (sim, magia! – mas o livro não é sobrenatural, calma.), em que as decisões ali tomadas seriam as decisões de uma vida, e não estou falando simplesmente de romance, tem muito mais ali do que imaginamos. Eu até gostaria que, além dos versos do Poeta, o livro tivesse os grafites do Sombra. Mas já ao imaginá-los em nossa mente e na descrição que a autora dá sobre o que ele sentia no momento em que o desenhou sentimos aquele arrepio bom que dá quando alguém compartilha o que está sentindo diretamente para você.

Eu gostei muito do livro, achei brilhante a forma como a autora mostrou o processo de arte em vidro e como Lucy se sentia ao fazê-lo, assim como o grafite e o que o Sombra sentia ao grafitar, mesmo que outras pessoas só pudessem captar isso pelas imagens que ele fazia. Além disso, ela também nos dá uma visão de como a realidade pode ser triste e cruel e que nem sempre as escolhas mais fáceis são as melhores para nossa vida. O clichê que mencionei acima não atrapalha em nada a leitura, muito pelo contrário, você apenas acaba criando uma expectativa diferente para o final e que isso não tire o brilho da aventura que esses jovens passavam.

Outra coisa muito legal é que a autora é australiana, logo, eu me vi em um cenário totalmente novo e diferente do que já li antes. Simplesmente adorei e recomendo muito a leitura.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Valentina.

Ficha técnica:

Nome: Graffiti Moon
Autor: Cath Crowley
Páginas: 240
Editora: Valentina
Onde comprar:Livraria Cultura /Amazon
Minha avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Junho. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

top-comentarista_junho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Ana disse:

    Acho que consegui descobrir esse “mistério, mas não dá pra ter certeza. Não gostei muito da gata, gosto de coisas coloridas. Nunca li algo sobre grafite , não diretamente , acho algo interessante. Talvez eu goste, talvez não. A resenha me deixou dividida quando a isso.

  • Lucy disse:

    Oi, Ana! Nossa, quantos sentimentos conflitantes eu te passei! rsrs
    Eu acho que você vai acabar gostando sim, dá uma chance. 😉
    Foi melhor que muito YA que vi por aí, viu?
    Bjos!

  • Fabiana Strehlow disse:

    Surpresa total!
    Esse livro não me chamou atenção em momento algum, mas ao ler a sua resenha, Lucy, fiquei querendo muito conhecer esta história que parece ser bem bacana!
    Além de conhecer um pouco mais desta arte, ainda podemos nos encantar com esta aventura “mágica”.

  • Lucy disse:

    Oi, Fabiana! Pois é, talvez a capa engane porque passa certa melancolia, mas o livro é simplesmente uma graça! Recomendo bastante!
    Bjos

  • Douglas Fernandes disse:

    Quando vi esse livro nao tinha me chamado a atenção não, mas agora lendo mais sobre ele, vendo as resenhas nos blogs parece ser bem interessante.

  • Lucy disse:

    Oi, Douglas! O livro é realmente interessante, talvez um dia vc possa dar uma chance a ele. 😉
    Bjos!

  • Shadai disse:

    Difícil a Editora Valentina decepcionar, então não duvido nada de sua resenha e das 5 estrelas, deve ser uma obra excelente.
    Mas, romance adolescente que tenha sua parte bem clichê, mesmo com seus dramas, não é o que estou procurando ler por um tempo.

  • Lucy disse:

    Oi, Shadai! Pior que é verdade, até agora só li livros legais da Valentina. 😀
    Uma pena que não seja o que está procurando, quem sabe vc pudesse abrir uma exceção?
    Bjos!

  • Raquel Pereira disse:

    Esse é um livro que eu não compraria pela capa, mas adorei a sinopse e a resenha. história apesar de ser um pouco clichê aprece ser bem interessante. Fiquei curiosa pra ler.

    Bjok

  • Lucy disse:

    Oi, Raquel! Pelo visto a capa não agradou bastante gente, né? Mas compensa muito pela história! Eu curto clichês, desde que bem escritos, e achei esse aqui bem legal!
    Bjos

  • Érika Rufo disse:

    Não gostei da capa e não tinha tido nenhum interesse no livro por causa dela. Sei que não se deve julgar um livro pela capa, mas eu faço isso o tempo todo… rsrs
    Pela resenha até parece ser um livro interessante, mas não fez muito o meu estilo. Provavelmente não lerei.

    Beijos!!

  • Lucy disse:

    Oi, Érika! às vezes faço isso também. rsrs Mas eu até gostei da capa nesse caso e a sinopse chamou bastante a minha atenção. Eu acho que você podia dar uma chance a ele qualquer dia desses, sem se arrepender. 😉
    Bjos

  • Gustavo disse:

    Acho que os únicos livros que li que se passamem 24hs foram do Dan Brown. Gosto de livros assim. Mas a capa e a sinopse, diferente do que aconteceu com você, não me agradou muito.
    A sua resenha me tirou um pouco minha falta de interesse, realmente parece ser algo bem mais intenso e interessante d que a sinopse apresenta. Agora o livro me interessa, mas não é algo que “preciso” imediatamente.

  • Lucy disse:

    Oi, Gustavo! Pelo visto infelizmente a capa e a sinopse não chamam mesmo a atenção! rsrs Uma pena, a história é uma graça e espero que você consiga ler e tirar suas conclusões um dia. ^^
    Bjos!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem