Resenha: Grey


A mais cobiçada, desejada e esperada do ano. Estamos falando de Anastasia Steele? Não, minha filha, estamos falando da resenha de Grey, porque, afinal, em algum momento da minha vida eu tinha que descobrir porque diabos falavam tanto dessa porcaria. AVISO: Se você não percebeu até agora, esta resenha NÃO É DIRECIONADA A FÃS DA SÉRIE. Então se você aaaama Christian Grey, certamente vai ter um problema com essa resenha. Ou vários. Pule pra próxima e siga no seu mundinho cinza. Nas palavras do próprio Grey – eu não resenho, eu fodo!

GREY_1433965958455754SK1433965958BNa voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.
Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.
Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece? Fonte: Skoob.

A história de Grey é bem simples – garota encontra garoto, garoto tem uma sala cheio de chicotes e correntes, os dois vivem felizes para sempre. Brinks. Anastasia Steele é uma garota sem graça e submissa que um dia resolve substituir a amiga em uma entrevista com o megamultimaximilibilitrilionário Cristiano Cinza e se derrete toda por ele. Já ele fica aficcionado pela guria, dando início a este romance sem sentido.

Alguns pontos altos desta obra-prima: o protagonista já se sente frágil e aberto na primeira vez que encontra a mocinha – a qual entra toda atarantada e tropeçando na sala dele – clichê x2 (você realmente tinha que fazer a mocinha tropeçar, EL James?).

O contrato. Meu Deus, Alá, Buda, Jesus, Maria e José, o que é aquilo? Um contrato que estipula um relacionamento entre um Dominante e uma Submissa. UM CONTRATO DE DOMINAÇÃO EM UM RELACIONAMENTO. Deve ser o sonho de todo machão frustrado e menininha irresponsável. Sim, porque esse livro é o sonho, o ápice da mulher que não quer ter responsabilidade nenhuma na vida é encontrar um Christian Grey e falar “Sim, fale pra mim tudo o que eu tenho que fazer nos mínimos detalhes para agradá-lo.”. ARGH! Porque o contrato é light, tem “só” o que você tem que vestir, o que e quando comer, quando dormir, exercitar e se lavar. Porém se você analisar friamente o protagonista, se você realmente leu e não ficou babando, você percebe quão intensamente Christian é um controlador nocivo – o objetivo dele é controlar Anastasia completamente a todo momento. Quando e aonde ela sai, com quem convive, onde trabalha, o que lê, o carro que dirige. TODOS OS ASPECTOS DA SUA VIDA CONTROLADOS PELO SEU MOZÃO, OLHA QUE LEGAL.

A quantidade de vezes que ele manda Anastasia comer ou implica com a comida dela é nocivo. Tem até um item do bendito contrato que estipula o que ela tem que comer! Como a própria Ana comenta no livro “O que acontece com você e a comida?”. Se você acha que isso faz parte de um relacionamento saudável…

A cabeça e as falas do narrador não é a cabeça de um homem, gente, desculpa. Está mais claro que água pra mim que a mente do Christian é como as mulheres (ou no caso a autora) GOSTARIAM que fosse. As frases que ele diz durante as cenas de sexo – nenhum homem em sã consciência fala essas coisas ou pensa nisso durante o sexo. Nenhum homem fica pensando no cheiro perfumado de jasmim e na pele de alabastro rosado da garota enquanto está transando. Nós somos sensíveis e carinhosos, mas não dá pra ter pensamentos muito complexos e elaborados nessa hora. A imagem abaixo demonstra um pouco como funciona a cabeça do homem neste momento – observe.

Bola, bola, bola, bola , bola!

Bolabolabolabolabolabolabola, bola!

O plot rídiculo da empresa foi uma tentativa tão patética de mostrar que o livro tem mais alguma coisa além dos dois transando que ficou até feio. É tão falso ver o Christian trabalhando, e o trabalho dele não dá em nada e você nunca sabe direito o que exatamente ele faz. Como ele consegue ser esse puta empresário de sucesso se ele NUNCA ESTÁ NA EMPRESA E SÓ PENSA EM SEXO?

E Ana, mesmo virgem, sabe muito de sexo e aceita tudo assim com uma facilidade que é assustadora. Porque o primeiro oral dela já saiu assim divino pro Christian e quando ele mostrou o quartinho dos brinquedos bizarros ela já se derreteu toda. Mas sabe, esse não é nem o meu problema com esse livro. Eu compreendo esta parte, e até visualizado ela sendo melhor aceita se o personagem principal não fosse um controlador possessivo e manipulador.

Eu poderia ficar horas aqui comentando sobre como esse livro é ruim, gente – plot fraco, personagens abusivos, cenas de sexo surreais, como ele é um moneygrab obviamente direcionado para mulheres. Mas é cansativo e já foi pregado a exaustão. Na próxima vez que você se deparar com um livro que promove esse tipo de personagem, pense se esse realmente é o tipo de mensagem que você quer levar pra sua vida, que quer adicionar à sua mente. Não sejamos puritanos, é gostoso ler um erótico – com certeza um pouco mais para mulheres do que pra homens – e nem todo casal ou livro que retrata sadomasoquismo é horrível – e essa não é a parte ruim do livro, como já disse. O problema de Grey é o próprio Grey.

Como o próprio Christian diz “Eu sou 50 tons de fodido”. Como sua mãe um dia te disse, esse é o tipo de livro que você deve ficar longe.

Livro gentilmente cedido para resenha pela Editora Intrínseca.

SELO_INTRINSECA_BLOGSPARCEIROS_2015

Ficha Técnica

Título: Grey – Cinquenta Tons de Cinza pelos Olhos de Christian
Autor: E.L. James
Editora: Intrínseca
Páginas: 524
Onde comprar: Martins Fontes/ Livraria Cultura/ Travessa/ Amazon
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Melissa de Sá disse:

    Passando mal de com essa resenha! Principalmente com o GIF. hahahahahaha

    Sério, não sei como você conseguiu ler esse livro, Felipe. Te admiro. É tudo tão ruim e tão já na sinopse… não tem como.

    Esse livro é surreal em vários níveis. E passa todas as mensagens erradas sobre mulheres E homens. Não é saudável.

  • Nayara disse:

    Eu ri muito!!! E tenho certeza que a resenha é melhor que o livro.
    Eu não tenho coragem de ler Grey… não tive coragem nem de terminar 50 tons pq é tudo tão forçado e ruim que chega a dar raiva do livro e dos personagens!

  • Cristiane Mara disse:

    Melhor resenha ever! Mal consegui terminar o primeiro livro da trilogia, não me arrisco a perder mais tempo da minha vida lendo Grey!

  • Fran Ferreira disse:

    Oi Felipe.
    Olha desde o 1º livro descobri q esse não seria uma seria q passaria pelos meus olhos.
    Nunca tive vontade de lê-los com exceção de um motivo: o livro não pode ser tao ruim como foi filme. Sim, eu assiti a pouco tempo por não aguentar mais me “torrarem” a paciência, e o q aconteceu foi o obvio: eu detestei, já vi filmes mais simples melhores tabalhados, foi a partir dai q decidi q quando chegar o momento loucura, eu o leio para ter certeza dessa ruindade ou quem sabe mudar de ideia (acho beeemmm difícil).
    Agora, tenho que te dar os parabéns porque essa foi a melhor resenha deste livro e explicando esta serie que li até hoje, parabéns Felipe.
    Fique claro para quem gosta, que todos tem o direito de gostar ou não.

    Bjssss

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu ri com essa resenha, pra mim nao precisaria ler nenhuma resenha pra ter certeza do quao ridiculo é esse livro, me desculpe mas é uma bosta mesmo, e o pior é que nao sei como tanta gente gosta, só pode ser bruxaria, eu li o primeiro 50 tons de cinza e foi o unico, que livro chato… kkkkkkkkk
    eu imagino que é igual aquela musica chata que gruda na cabeça sabe… só pode, eita povo que gosta de cada coisa estranha… hahahahaha

  • Drika disse:

    Muuuuito boa essa resenha! Aplausos!!!!!

    Li os 3 livros iniciais pra poder saber o que rolava e poder falar mal :-p e me revoltei profundameeeeente com essa possessão doentia, necessidade de controle absurda de Grey. E aí a autora vem e lança um livro pior ainda uauauauaua

    Certíssima, Melissa… não é nada saudável!

  • Milena Soares disse:

    Chorei de tanto ri com essa resenha e gif foi demais kkkkkkkkkkkkkkk
    li a trilogia e continuo curiosa em ler Grey ;P

  • Rianne disse:

    Esse era um livro que eu estava esperando muito o lançamento.

    Haha adorei o aviso sobre a resenha, certo eu amo o Christian Grey mais mesmo assim gostei de ler sua resenha.

    Não sei se vou gosta do livro ~pelo menos depois que li sua resenha fiquei em duvida rs ~ mais ainda assim quero ler…talvez não tão cedo mais ainda assim mais para frente kk
    Bju

  • Top Ten Tuesday: 10 desejos que eu faria ao gênio dos livros | Por Essas Páginas disse:

    […] de suas compras normais e saudáveis. Imagine um mundo onde Crepúsculo nunca foi publicado, onde Grey não existe, onde a categoria erótica da Amazon está em último […]

  • Top Ten Tuesday: Dez coisas que me assustam em um livro | Por Essas Páginas disse:

    […] apaixonada (e suspiro sim!). Mas alguns romances me assustam como, por exemplo, Belo Desastre e Cinquenta Tons de Cinza; assustam porque romantizam relacionamentos obsessivos. Nos dois exemplos (e em vários romances […]

  • Sorteio: Grey | Por Essas Páginas disse:

    […] da onda de livros eróticos que foi despertada pelo sucesso de Cinquenta Tons de Cinza?”, comentar na resenha do livro e curtir nossa página do Facebook. Mas há várias outras regras opcionais para garantir […]

  • Mayara Pinto disse:

    Quero muito ler “Grey”, foi um livro muito desejado e esperado pelos fãs, a curiosidade pra saber o que o Christian pensa esteve presente desde a fic e não foi a toa que surgiram até versões não oficias. Respeito totalmente sua opinião exposta na resenha.

  • Nil Macedo disse:

    50 Tons de Cinza, tinha erotismo mas era tudo tão forçado e, sinceramente, não queria um Christian Grey na minha vida. Não suporte quererem me controlar. Se a Anastasia era completamente idiota e abestalhada e a versão dela foi tão fraca, imagino que a versão do Christian não seja lá grandes coisas. Até mesmo porque essas frases de poema, nem mesmo as mulheres conseguem pensar na hora do sexo.
    rs.

  • Shadai disse:

    Quero mais resenhas que nem essa! Parabéns, Felipe!
    De forma simples, casual, divertida contou um pouco da história e principalmente seus defeitos, e emitiu bem sua sincera opinião e visão masculina.
    Concordo demais com tudo que você escreveu, Destaco o fato de que há livros que acrescentam muito mais em nossa vida diária do que esse. Não sei como mulheres não ficaram chocadas com esse dominador (quase psicopata?!!!), é tudo muito bizarro!

  • juliana disse:

    hahaha adorei! “deve ser o sonho de todo machão frustrado”.

    Quando eu digo que se o senhor Cinza fosse o Zé que trabalha no bar da esquina todo mundo ia achar o personagem um psicopata violentador os fãs ficam bravos comigo e dizem que ele é muito romântico e sensível. Mas continuo achando que ficam vendo o romantismo no avião dele. E em tudo que ele compra pra ela.

  • Jorge disse:

    Obrigado, pela ótima resenha, esse livro eu já não perco meu tempo lendo. (eu não resenho, eu fodo!) kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • Fábrica dos Convites disse:

    Eu li a série, e gostei de uma forma bem contrária que a maioria. Em relação a este livro, que seria o ponto de vista do Grey, não tenho interesse em ler, por achar que a série já deu o que tinha.
    Bjs, Rose.

  • Suzzy Chiu disse:

    Anastasia Steele ser sem graça vc foi ate legal, haha…eu acho ela uma sonsa mosca morta, afff..como odeio ela.
    Que o livro é cheio de clichês eu até aguento, mas o q me incomoda é a construção de cada personagem, tudo mto chato e tirando a parte do sexo, que depois fica até repetivo, o livro em si tem q comer mto arroz e feijao para chegar aos pés de mto hot que temos agora.
    Sua resenha está perfeitaaa e ja vi que vc pensa igual a mim em praticamente tudo!
    A autora fez um Grey do jeito que a mulherada quer, nao um homem de verdade. Como vc disse: “O problema de Grey é o próprio Grey.”
    Beijos.

    ♥ Blog Livros e Sushi ♥
    https://livrosesushi.wordpress.com/

  • leciteresinharodrigues disse:

    li os 3 primeiros livros, gostei muito e lendo a resenha do senhor Grey o machista , mandão , parece q estou vendo ele conversar c/ a mocinha Anastacia ( digo , mandar em tudo o que ela faz,)

  • Francisca Elizabete disse:

    Não li o livro ainda, mas diga-se de passagem, estou ansiosa para ler!! Li a trilogia e gostei!! Agora este na visão do Cristian, nos faz entender e compreender porque ele é tão possessivo!! Há uma estória por trás de seu comportamento!! Com certeza está na minha lista!

  • Vanessa Riper disse:

    Olá!
    Li a trilogia e gostei em partes, concordo com muitas coisas que você disse, mas é muito difícil largar o livro, sério.
    Quero muito ler Grey pra saber o que se passa na cabela dele, o motivo dos seus gostos, etc.
    Até mais!

  • Marie dos Santtos disse:

    O livro deve ser bem interessante!! Os homens sempre tem uma visão não tão românticas das coisas. Eu li os três livros anteriores e gostei muito!! Apesar dele ser controlador ele é um romântico!! Super ansiosa para ler!!

  • Ana Carolina Ribeiro disse:

    Haha tenho que discordar completamente de você
    Gostei muito do livro por ser surreal mesmo.
    Pq se for pra ler realidade pego um jornal mesmo.
    A visão do Grey gostei bastante pq estava doida pra saber o que ele pensava e sinceramente gostei bastante. Que pena que não gostou do livro tanto quanto eu :/

  • Sueli Cobbos disse:

    Li a trilogia e estou aguardando para ler Grey e ter uma visão da história através dos olhos de um homem. Quando li a trilogia tentei me focar mais na parte complexa de Grey, no que havia passado quando criança e adolescente para tentar entender o porque de sua obsessão por dominação. Pena que a autora não escreveu esse último livro baseado nesses problemas. Espero poder ler Grey, mesmo que sua resenha tenha sido tão contrária ao livro. bjus

  • Maiara disse:

    Hahahaha… eu amei sua introdução. Gosto da trilogia por motivos bem particulares e, apesar de você dizer que quem ama o Grey deveria correr dessa resenha, decidi ir até o fim. Dei muita risada com sua resenha e concordo com você em muitos pontos, principalmente no relacionamento nada saudável e nas cenas de sexo bem forçadas. Não sou puritana, mas pqp.. que mulher virgem aguenta um tranco desses??? Mesmo assim, como sou mega curiosa e amante de livros, quero ler a versão de Grey pelos olhos do machista controlador. Não li ainda, e com certeza depois da sua resenha foquei ainda mais curiosa..hahahaha… Será que a Sra. James explica o que ficou tão raso no último livro? Foquei tanto a leitura em entender o que aconteceu na infância do Christian e achei bem superficial essa parte da narrativa! Beijos!!

  • Marisa Langher disse:

    Amei a resenha. Louca louca para ler o livro, ainda mais depois dessa resenha rsrsrs

  • Top Ten Tuesday: Dez livros aprovados por Killgrave « Por Essas Páginas disse:

    […] Cinquenta Tons de Cinza/ Grey, E. L. James (leia a resenha) […]

  • Alef Cauê disse:

    Eu não li a trilogia de cinquenta tons de cinza, mas assisti o filme (sei que não é a mesma coisa). Eu adorei a temática e sei que no livro tudo é mais forte e mais apimentado, mas não me interessei pela trilogia, mas isso não acontece com GREY que eu estou super afim de ler e de formar a minha opinião. Adorei o seu blog, já está nos meus favoritos.

    Meu Blog: http://www.umcontainer.com

  • Top Ten Tuesday: Dez livros que nunca lerei « Por Essas Páginas disse:

    […] a coisa toda tão ruim (desculpa aí, pessoal!), que sequer conseguimos resenhar. (O Felipe fez uma resenha de Grey porque ele queria zoar o livro; ficou engraçado e o gif do cachorro é uma das melhores coisas que […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem