Resenha: Hacker

Ficha técnica:

Nome: Hacker

Autor: Ray Tavares

Páginas: 446

Editora: Autopublicação

Compre aqui

Hannah Knight é uma jovem estudante da Universidade de São Paulo, completamente comum e com alguns problemas de socialização, dona do incrível dom de sempre passar despercebida. Assim, é na rede que ela consegue ser ela mesma – conhecida por suas habilidades em tecnologia, a hacker é contratada para atuar em pequenos trabalhos em troca de remuneração e ensinamentos de seu melhor amigo e tutor, L. Love. Além disso, é online que a garota consegue se comunicar com o seu único e grande amor, Oliver Morais. Porém, quando ela aceita o desafio de investigar Sergio Maia, o poderoso agente literário de Oliver, a sua vida começa a mudar. Fonte

Da mesma autora de 12 Signos de Valentina, esse livro me foi recomendado e decidi pegar pelo Kindle Unlimited. Como não li o livro anterior, essa é minha primeira experiência com a autora, mas já adianto que foi uma leitura bem legal e diferente das histórias nacionais que encontramos por aí. Dito isso, dei 3 estrelas por alguns motivos e vou explicar logo mais.

Conforme descrito na sinopse, Hannah é uma estudante universitária tipicamente introvertida. Estudante de Ciência da Computação, ela tem mais desenvoltura no mundo virtual, onde assume seu alter-ego K. Hunter, hacker profissional.

Como K. Hunter, ela aceita trabalhos pequenos, que cobrissem gastos da faculdade, já que sua família passa por algumas necessidades. Depois que a mãe dela precisa iniciar um tratamento caro para esclerose múltipla, pago por Emanuelle, Hannah acaba aceitando um trabalho que vai lhe render o dobro do valor, podendo assim pagar Emanuelle de volta.

Porém, ao investigar Sérgio Maia, ela começa a ver que o caso é mais grave do que o normal e Hannah tem que decidir se vai mesmo colocar a vida em risco para desmascarar esse homem, além de lidar com toda a rotina de vida universitária – que não é fácil para ninguém.

Gostei da ambientação da história, mostrou bem a realidade de muitos universitários que moram em São Paulo durante a semana e viajam para ver a famílias nos fins de semana.

A caracterização dos personagens também foi muito boa, tinha de tudo um pouco, a “estudante de computação introvertida”, o “garanhão pega-todas”, a “piriguete” gente boa, o “mocinho com coração partido”. Pode parecer tudo meio estereotipado, mas foi muito bem construído, sem forçar a barra.

Então, vamos ao que me incomodou:

Ela faz uma coisa ilegal. Ora essa, invadir o computador dos outros é crime. Eu sei que ela é a mocinha da história e que ela deve ter um código de conduta do tipo “só acesso os dados de bandidos” e a história de que “os fins justificam os meios”. Uma Robin-Hood virtual, que seja, mas isso me incomodou, porque parece legal você fazer algo contra a lei e não é bem assim, né?

Fora isso, teve outros elementos, alguns bem repetitivos, outros que não me desceram, mas não dá pra contar detalhadamente aqui, tem que ler o livro e conferir por si próprio.

É uma história bacana e bem criativa, não lembro de ter visto essa temática por aqui. A forma como a trama foi conduzida foi bastante coerente e a escrita da autora é muito leve, a leitura flui naturalmente. Achei alguns erros de revisão, além de algumas partes que achei desnecessárias para o andamento da história.

Apesar disso, eu recomendo a leitura. Eu não concordar com a forma como a protagonista age, não quer dizer que eu não tenha feito uma boa leitura.

Observação: Vi várias trufas de maracujá na trama, esperava que tivesse alguma referência escondida em algum canto, mas não encontrei. Se alguém souber, me avisa!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Tenho bastante curiosidade de ler o outro livro da autora, pois vejo falarem super bem; esse eu ainda não conhecia, mas pelo o que tu disse parece ser uma leitura diferente e bem divertida. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • Clayci Oliveira disse:

    Ainda não li os 12 signos da Valentina e tenho vontade.
    Gostei da proposta desse livro e quero conhecer a escrita da autora.Mesmo com as suas ressalvas, acredito que daria uma chance pra historia.

  • Debyh disse:

    Olá,
    Eu li os 12 signos de valentina, e gostei muito (você devia ler esse!) e uma pena o livro não ter te agradado tanto. A coisa de ser ilegal também me incomodaria, mesmo o personagem dando justificativa eu não acho certo. O tema deste não me atraiu muito, mas ainda continuo gostando da escrita da autora.

  • Tahis disse:

    Olá!
    não conhecia esse livro e nem a autora, gostei dessa premissa universitária brasileira rs’ deve ser uma leitura bem rápida. Dica anotada, quem sabe eu não venha a ler

    beijos!

  • Paac Rodrigues disse:

    confesso que mesmo não sendo meue stilo fiquei curiosa com essa tematica de uma mulher hacker metida a robin hood, eu leria por causa dessa personagem *–*

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem