Resenha: Minha Metade Silenciosa

Eu vi várias críticas positivas sobre a história e por isso solicitei esse livro para leitura. Confesso que ele me passou sentimentos conflitantes porque mostra uma realidade nua e crua, angustiante, que é impossível você não se emocionar pelo menos uma vez. Ao mesmo tempo, Stark narra sua história de tal forma que você se vê sorrindo em suas descobertas.

MINHA_METADE_SILENCIOSASinopse: Stark McClellan tem 14 anos. Por ser muito alto e magro, tem o apelido de Palito, mas sofre bullying mesmo porque é “deformado”, já que nasceu apenas com uma orelha. Seu irmão mais velho, Bosten, o defende em qualquer situação, porém ambos não conseguem se proteger de seus pais abusivos, que os castigam violentamente quase todos os dias. Ao enfrentar as dificuldades da adolescência estando em um lar hostil e sem afeto – com o agravante de se achar uma aberração –, o garoto tem na amizade e no apoio do irmão sua referência de amor, e é com ela que ambos sobrevivem. Um dia, porém, um episódio faz azedar terrivelmente a relação entre Bosten e o pai. Para fugir de sua ira, o rapaz se vê obrigado a ir embora de casa, e desaparece no mundo. Palito precisa encontrá-lo, ou nunca se sentirá completo novamente. A busca se transforma em um ritual de passagem rumo ao amadurecimento, no qual ele conhece gente má, mas também pessoas boas. Com um texto emocionante, personagens tocantes e situações realistas, não há como não se identificar e se envolver com este poético livro. Fonte

Então, antes de mais nada, para mim a sinopse é um baita spoiler. Mas vou explicar isso mais tarde, calma aí.

Primeiramente, temos Stark, o Palito, narrando a história e explicando sobre sua “deformidade”. Por conta da ausência de sua orelha direita, ele tem uma baixa auto-estima muito grande – e não por causa do bullying que sofre na escola. Ele tem certeza de que não é querido em casa, que seus pais o odeiam, assim como não gostam de Bosten.

A relação entre Palito e Bosten com seus pais não era fácil. Os dois viviam em um lar totalmente sem amor, apenas com regras e punições para quem as infringia. Simplesmente são cenas que me deixavam arrepiada, não apenas por serem violentas (na verdade, somos poupados das cenas mais fortes, uma vez que elas aconteciam com Bosten e o livro era do ponto de vista apenas de Stark), mas pelo que representavam. Os irmãos não sentiam amor pelos pais, porém é compreensível e mais triste ainda constatar que eles ficaram assim por nunca receberem amor.

Por causa disso, eu sofria com o Stark e o Bosten. Ao mesmo tempo que Stark era uma criança, algumas vezes ele parecia um adulto amargurado e deprimido. Por isso a minha leitura acabou se arrastando um pouco, acho que foi como se eu estivesse em estado de negação quanto ao que acontecia no livro, porque eu sei que isso acontece em muitas famílias na vida real. E Stark e Bosten sofrem muito, são reprimidos ao extremo, apenas contando um com o outro.

O que eu gostei muito do livro foi a relação entre Stark e Bosten. Era a representação de amor incondicional entre irmãos. No decorrer da trama, Stark começa a amadurecer e ele demonstra ser muito mais sensato do que Bosten, que é aproximadamente dois anos mais velho. Bosten defendia o irmão dos colegas da escola custasse o que for, e Stark apoiava o irmão no que fosse, além de tentar fazer de tudo para ajudar.

Uma peculiaridade no livro que achei muito interessante é que Stark às vezes narra com o texto alinhado à direita, além de alguns trechos que ele narra como ele ouve, ou seja, com um espaçamento bem maior entre uma palavra e outra. Eu lia e imaginava exatamente como o Stark se sentia com esses intervalos entre uma palavra e outra.

foto (1)

Agora deixa eu explicar para vocês sobre o spoiler da sinopse: O livro é muito mais do que simplesmente a busca de Stark pelo irmão. Quando eu o peguei para ler, achei que Bosten fugiria logo nos primeiros capítulos, o que não aconteceu. O rito de passagem descrito na sinopse existe mesmo, mas eu tive a impressão que esse “rito” foi acontecendo gradualmente durante a história, não simplesmente durante a busca pelo Bosten – se bem que concordo que foi a parte mais tensa do livro. Imaginem um menino de 13, quase 14 anos dirigindo em busca do irmão, sem sequer saber para onde ele foi?

Enfim, é uma história de amadurecimento, em que Stark vai se descobrindo, aprendendo que a vida pode ser dura e que ele não tem que depender sempre do irmão para se safar. Afinal, ele também tem que ser o apoio do irmão algumas vezes.

Quando eu comecei a ler, eu não consegui me apegar às personagens. Mas no decorrer da leitura, isso mudou completamente e lá estava eu, pensando nas decisões desses dois e como eu queria estar lá para ajudá-los também. O livro é muito bem escrito, a narrativa é simples e, por se tratar de um drama, o ritmo pode ser mais lento do que o normal, mas com certeza não é desperdício de tempo, muito pelo contrário. Por isso a leitura é mais que recomendada.

Esse livro foi gentilmente cedido para resenha pela Editora Gutenberg.

 gutenberg

Ficha técnica: 

Nome: Minha metade silenciosa
Autor: Andrew Smith
Páginas: 304
Editora: Gutenberg
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book) /Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Nayara Duarte disse:

    Confesso que não conhecia! Acho que não me chamaria tanta atenção pq não é o meu estilo de leitura, mas vou procurar ler ele um dia. ^^
    Que maldade spoiler na sinopse! kkk Sempre tento fugir de um antes de ler o livro.

    Beijos

  • Lucy disse:

    Oi, Nayara! Na verdade, não é um spoiler que atrapalhe sua leitura, mas achei meio fail. rsrs
    Dá uma olhada sim, acho que você vai gostar.
    Bjos!

  • Douglas Fernandes disse:

    Drama não é meu estilo favorito… mas eu adorei a resenha, me interessei pelo livro, muito triste isso mesmo, os pais não darem a atenção aos filhos, ele por ter nascido com esse problema devia ter mais amor pra ajuda-lo e acontece o contrario… 🙁
    Felizmente ele tem o irmão, que muitas vezes achamos chato, brigamos, mas que no fim fazem tudo por nós, tenho 1 irmão e 1 irmã, ambos mais novos e apesar das brigas eu faria tudo que fosse pra defender se alguém quisesse machuca-los… hahahahaha

  • Lucy disse:

    Oi, Douglas! Eu tenho esse mesmo sentimento com meus irmãos, no caso eles são mais velhos. hahaha
    Eu fiquei chocada acho que por isso, meus pais me dão amor e carinho e é tão estranho ver um menino falando dos pais com indiferença, como se fosse “normal” não receber carinho…
    Bjos

  • Fabiana Strehlow disse:

    Oi, Lucy!
    Há algum tempo atrás, quando li a sinopse deste livro, fiquei bastante curiosa com a história narrada.
    Mas confesso, também fiquei confusa, por se tratar de um drama familiar com características tão peculiares e que eu sabia, tocaria fundo na emoção.
    Agora, não sei ao certo a razão, quero muito ler este livro!!

  • Lucy disse:

    Oi, Fabiana! É bem intrigante mesmo!
    Espero que consiga lê-lo um dia! 😀
    Bjos!

  • Gustavo disse:

    Em primeiro lugar eu AMEI a capa desse livro, eu amo capas assim com um tom meio impactante, com uma paisagem de fundo. Já começou por ai meu interesse pelo livro kkk. Li a sinopse e realmente adorei, um livro que compraria sem nem pensar duas vezes, mas no momento tenho que me segurar kkk. Embora eu tenha achado essa deformidade e o bullying sofrido por ele um pouco parecido com “Extraordinário”, não acho que seja algo igual, talvez seja só uma impressão inicial – espero que sim – mas mesmo assim não me desinteressou. A única coisa que me deixa com dúvidas sobre comprar o livro é o tratamento que ambos os personagens recebem dos pais. Eu me ligo MUITO a personagens, quase como se eles fossem da minha família, então quando vejo algo como alguém batendo neles, ou xingando, ou sei lá eu tenho que respirar fundo e lembrar que é uma história kkk quase choro de raiva as vezes por ser incapaz de fazer algo pelo personagem amado kkk. Então estou com uma dúvida enorme se compro ou não o livro num futuro próximo kkkk acho que sim. E minha lista só aumenta T-T kkkk
    PS: achei o detalhe da escrita as vezes ser como ele escuta incrível *—–*

  • Lucy disse:

    Oi, Gustavo! Eu li Extraordinário e não sei se tem alguma diferença entre um bullying e outro, mas eu achei que o do Stark é mais agressivo, talvez por ele ser mais velho que o Augie. Mas eu acho que você vai mesmo sentir muita raiva dos pais do Stark. rsrs.
    Sim, a escrita é bem peculiar! Inclusive a capa também parece retratar isso. Uma parte colorida, em que ele ouve, a outra cinza, em que ele não ouve. rsrs
    Bjos!

  • Shadai disse:

    adoro dramas com personagens que sofrem demais, e esse protagonista me chamou muito atenção, e toda sua família desfuncional também.
    gosto da capa e do título, então acho que um dia vou comprar.

  • Lucy disse:

    Oi, Shadai! Compre sim! Vale a pena a leitura! 😀
    Bjos

  • Marília Sena disse:

    Eu vi esse livro na livraria e fiquei com vontade de comprá-lo, justamente por ter ouvido falar muito bem dele. Esse amor entre irmãos é MUITO lindo, parece uma história realmente envolvente e comovente (prevejo estado de negação para mim também haha). E adorei aquela peculiaridade do Stark, de algumas vezes escrever como ouve. Muito boa a resenha, beijos!

  • Lucy disse:

    Oi, Marília! Pois é, esse livro consegue emocionar! rsrs Espero que vc consiga lê-lo em breve!
    Obrigada!
    Bjos

  • Rita Cruz disse:

    Não havia curtido muito esse livro quando o vi nos lançamentos da editora. A sinopse não me atraiu, sabe?
    Mas agora conhecendo melhor a obra revejo minha opinião inicial. Parece ser um livro interessante com uma temática forte, e livros que mechem com nossas emoções geralmente trazem lições de vida sempre bem vindas.

  • Lucy disse:

    Oi, Rita!
    Concordo com você sobre livros que geralmente trazem de lições de vida, eu acho que este vai te surpreender.
    Bjos!

  • Lais Cavalcante disse:

    Nossa, quero deixar expresso aqui minha vontade em ler esse livro. Tudo o que tem nele me atraiu… a capa é perfeita, a sinopse me deixa curiosa… e pra complementar, uma resenha de tirar o fôlego hahah mesmo pegando um spoiler maldito na sinopse, eu ainda estou com uma baita vontade de ler hehe

  • Lucy disse:

    Oi, Lais! Que bom! Obrigada pelo elogio! hehe
    O spoiler não vai atrapalhar sua leitura, te garanto! 😉 Mas pra quem não gosta, é mesmo incômodo!
    Bjos

  • Michelli Santos Prado disse:

    Confesso que, quando li a sinopse do livro, fiquei com receio de que fosse uma história simples ou escrita de uma forma “superficial” sua resenha me fez mudar de ideia!É muito bom quando a gente se conecta com os personagens, durante o decorrer da historia.
    Entrou para a minha lista de futuras leituras!!

  • Lucy disse:

    Oi, Michelli! Que bom que mudou de ideia!
    Bjos!

  • Top Ten Tuesday: Dez livros que acho que são ótimas leituras na praia « Por Essas Páginas disse:

    […] 9.Minha metade silenciosa, Adrew Smith: Livro simplesmente perfeito! Há trocas de cenários que incluem o litoral e vocês vão se encantar com a história de Palito. A leitura é recheada de surpresas e acho que é um drama perfeito para regiões praianas, você entra mais no clima rsrs. (Resenha) […]

  • Resenha: A Lente de Marbury « Por Essas Páginas disse:

    […] a prova de A Lente de Marbury, pela Editora Gutengerb. Eu já tinha lido o ótimo Minha Metade Silenciosa, então é claro que quis conferir essa nova […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem