Resenha: Nerve

Quando eu vi que a Planeta faria uma nova edição de Nerve com o poster do filme, eu logo me interessei. Infelizmente, não consegui ler esse livro antes, sequer consegui assistir o filme. Porém, mesmo tendo gostado da história, tem alguns pontos que me incomodaram.

NerveVocê já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também.
Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo.
A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos… e perigosos. Fonte

Vee é uma jovem inteligente, mas que sempre se sentiu ofuscada por sua melhor amiga, Sidney, que é praticamente a garota mais popular da escola. Quando percebe que o garoto por quem tem uma quedinha está a fim de sua amiga, Vee acaba querendo desafiar a si mesma participando do novo jogo online, Nerve, apenas para sentir o gostinho de como é estar nos holofotes.

Afinal, o que é Nerve? É um jogo que você deve cumprir determinados desafios e se for bem sucedido ganha um prêmio e é convidado a participar de novos desafios, sendo todos transmitidos ao vivo via internet. Se tiver uma boa audiência, é convidado a participar de outro desafio, com um prêmio maior, até que concorre a uma final.

Para participar, você deve instalar um aplicativo em seu telefone e você pode se inscrever como como jogador ou espectador apenas. O interessante é que mesmo os espectador, você recebe prêmios se conseguir divulgar tudo no melhor ângulo.

Vee pensa em participar apenas uma vez, para provar que é capaz. Acontece que sua participação começa a virar uma bola de neve. Sabe quando você está jogando e pensa: “tudo bem, a esta será a última partida”? Pois é, ainda mais quando se experimenta toda a adrenalina de um jogador. Já em seu primeiro desafio, Vee conhece Ian, que passa a ser seu parceiro no jogo. Juntos, os dois conseguem alcançar uma ótima audiência e partem em pequenos desafios, cada vez mais complicados, até participarem da final, contra outros jogadores.

Eu achei muito interessante a questão da exposição das pessoas no mundo virtual. O quanto nossas informações estão realmente seguras? Aqui entra até teorias da conspiração para os mais paranoicos, mas a nossa segurança, privacidade e o quanto nos tornamos vulneráveis na rede é a grande questão. Além disso, Nerve é como um “topa tudo por dinheiro”, testando as pessoas para saber até onde elas iriam por um determinado prêmio – e não falo simplesmente de bens materiais, é praticamente como se o jogo soubesse dos seus desejos mais profundos e te tentasse a participar para conseguir o que quer.

Eu mencionei no início da resenha que alguns pontos me incomodaram. Então, vamos lá: A história é curta demais para rolar algum clima de romance. E sim, temos um pequeno romance na história, algo até superficial, mas que poderia ter sido descartado facilmente. Em alguns pontos, a narrativa em primeira pessoa de Vee me incomodou sobre os sentimentos que passou a nutrir por Ian – uma grande mudança em relação ao que ela sentia há poucas horas por outro garoto. E alguns personagens foram bem rasos, não sei se por ser uma história curta ou se foi intencional da autora. A própria Sidney, amiga de Vee, não me agradou muito.

Outra  coisa, achei que os desafios não foram lá tão difíceis (aquela acostumada com Jogos Vorazes). O clima de “perigo” desses desafios não me convenceu. Achei que ficou faltando algo.

Em todo o caso, gostei do final, que não me pareceu um final definitivo, quase como indicando uma continuação. Recomendo a leitura por ser um assunto atual e tema interessante.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela editora Planeta dos Livros.

Ficha técnica:

Nome: Nerve
Autor: Jeanne Ryan
Páginas: 304
Editora: Outro Planeta
Onde comprar: Livraria Cultura / Saraiva / Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Layana disse:

    eu comecei a ler o livro “Jogador #1” que parecer ter a mesma pegada desse e não consegui terminar. Apesar do início da história ser animado e mostrar muito essa coisa de realidade virtual, a história não fluiu. Por isso esse tipo de livro não chama mais a minha atenção… Não entra nem na lista dos “talvez eu leia” kkkk

  • Lucy disse:

    Oi, Layana! Não li O Jogador #1, mas ele foi bem recomendado aqui no blog. Talvez Nerve seja até menos complexo do que ele. Quem sabe um dia, né? rsrs
    Bjos!

  • Maristela G Rezende disse:

    Primeiro li a sinopse e depois assisti ao trailler em outro blog e só então fui ler as resenhas sobre ele. Claro que amei pois gosto desse tipo de história. Gosto de desafios e esse tema me pegou, fazendo com que queira muito ler o livro e assistir ao filme.

  • Francisca Elizabete disse:

    O ser humano é capaz de várias coisas para se destacar. Aqui vemos que Vee querendo ficar cara a cara com os holofotes, através de um jogo!! E pelo jeito ela não está sabendo a hora de parar!! Gosto do clima de romance no livro, apesar dela nutrir sentimentos por Ian muito rápido, já que ela gostava de outo cara anteriormente!! O livro com certeza vai deixar o leitor em expectativa do que vem a seguir a cada capítulo!!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem