Resenha: Nocturna

Ficha técnica:

Nome: Nocturna

Autor: Maya Motayne

Tradutor: Flávia Souto Maior

Editora: Seguinte

Páginas: 480

No primeiro volume de uma trilogia de fantasia inspirada na cultura latina, uma ladra capaz de mudar de aparência e um príncipe herdeiro se unem para proteger o reino de uma magia perversa.

Depois de se libertar da dominação dos inglésios, o reino de Castallan não esperava passar por mais nenhuma crise. Mas Dez, o herdeiro, foi assassinado, e agora nobres e plebeus precisam aceitar que o destino do reino está nas mãos do príncipe Alfie, que passou meses fugindo de suas obrigações enquanto bebia tequila em alto-mar.

De volta a Castallan, Alfie não consegue acreditar que seu irmão morreu e, tentando provar o contrário, se depara com Finn Voy. Graças a sua habilidade de assumir a aparência de qualquer pessoa, Finn está sempre usando um disfarce para se proteger dos traumas de seu passado e de qualquer um que se meter em seu caminho.

Quando os destinos de Alfie e Finn se cruzam, eles acidentalmente libertam uma magia poderosa e antiga que, se não for detida, vai mergulhar o mundo em escuridão. Com o futuro de Castallan em suas mãos, o príncipe e a ladra terão de aprisionar essa magia obscura a qualquer custo, mesmo que, no caminho, precisem confrontar seus segredos mais sombrios. Fonte

Eu demorei para resenhar este livro, porque fui avisada de que a história tinha semelhanças a outro livro, de outra série. Tentei ler antes de resenhar, mas não consegui. E foi até bom, acho que acabaria comparando demais uma história com a outra e eu não curtiria tanto.

Nocturna teve um início lento e um pouco cansativo. Mas ao persistir na leitura, fui surpreendida por um mundo diferente, inspirado na cultura latina, mesmo que levemente, o que muito me chamou a atenção! (E que capa linda!)

Como explicado ali na sinopse, o reino de Castallan recém-liberto da dominação dos inglésios perde seu herdeiro, Dez. Seu irmão, o príncipe Alfehr deve assumir seu lugar como herdeiro, mesmo não aceitando seu destino, nem a morte do irmão.

Finn Voy é uma ladra com a habilidade de assumir a aparência de qualquer um (oi, Arya!). Seu caminho cruza com o de Alfehr de forma bem inusitada e os dois acabam liberando acidentalmente uma magia antiga e poderosa e terão que unir forças para evitar que o mundo caia na escuridão.

Agora, a história é legal, porém vi alguns altos e baixos que gostaria que não acontecessem no próximo livro.

Como eu disse, o começo foi mais difícil para mim. Alguns capítulos longos, informações repetidas… E tive um certo ranço inicial de Alfie, que explico logo mais. No entanto, quando a leitura finalmente engrenou, eu imaginava que a história seguiria um curso, mas não foi bem como eu esperava. Porém, também não foi ruim. Só esperava algo mais grandioso, talvez?

As cenas de ação são ótimas, mas eu senti que a autora acumulou tudo em uma única parte do livro, o que me lembrou aqueles filmes em que há uma longa sequência de perseguições, lutas e/ou explosões que você acaba cansando de ver.

Alfie é um personagem um tanto quanto fraco e melancólico, que não muda muito no decorrer do livro. Se isso foi realmente intencional, então tudo bem, vamos aguardar cenas do próximo capítulo para me fazer mudar em relação a esse príncipe. Finn tem uma história de vida também triste, consegue cativar um pouco, mas falta algo nela para que nos conquistasse… Quem sabe no próximo livro tenhamos alguma mudança nesses dois, mas nessa história eu esperava muito mais dos protagonistas.

Acho que fui com muita sede ao pote com esse livro, e por isso me decepcionei um pouco. Recomendo que leiam mesmo assim. Se sentirem dificuldade no começo, persistam! A ideia geral é boa e, sendo este o livro de estreia da autora, acredito que veremos uma evolução tanto na escrita dela, quanto no desenvolvimento dos próximos livros, já que se trata de uma trilogia!

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Companhia das Letras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Yvens Castro disse:

    Olá, tudo bem?

    Eu já conhecia esse livro e quase comprei um tempo atrás, é um livro que me desperta interesse. É uma pena que o livro não te conquistou e te deixou um pouco decepcionada. Eu particularmente não vou com muita sede ao pote quando se trata das coisas, tento manter a expectativa não muito alta.
    Abraço!

  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda e, para ser sincera, não faz o meu tipo de leitura. É uma pena que a obra tenha decepcionado em alguns pontos. Adoreia a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • milca abreu disse:

    olha, eu faço muito isso de esperar demais de um livro e no final acabar decepcionada. esse livro eu não conhecia, mas como gosto de fantasia e aventura vou colocar na minha listinha. como já sei que não é pra criar muita expectativa então talvez eu curta.
    O bom de resenhas sinceras é isso, nos faz decidir melhor sobre o que leremos e a forma como vamos olhar para aquela história

  • Clayci Oliveira disse:

    Desde quando esse livro foi lançado, sinto uma curiosidade louca pela leitura. Pois gostei da premissa e acredito que por se tratar de um gênero que eu goste, vou gostar dos elementos. Acredito que daria uma chance, mesmo com a sua ressalva. Mas já sinto que devo ir com menos expectativa rs

  • Debyh disse:

    Os personagens são bons o suficiente para que eu possa torcer pra eles, especialmente a Finn. E, apesar de não ser surpreendente, o livro foi divertido.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem