Resenha: O Estranho

Um livro que comecei a ler e achei que seria algo mais do mesmo. Pois até que me enganei!

O_ESTRANHOKasie Fitzgerald sabe quem deve ser. Responsável. Confiável. Previsível. Ela é uma ambiciosa workaholic, fiel ao homem com quem pretende se casar. Mas uma noite selvagem e impulsiva, em Las Vegas, vai despertá-la para novas experiências… Tentando a sorte em uma mesa de vinte e um, Kasie conhece ele.

Intenso. Sensual. Perigoso. Ela aceita seu convite para um drinque… e depois para o quarto. Ela não sabe o nome dele. Mas nunca vai se esquecer do sexo. Forte. Excitante. Explosivo.

Então, quando aquele homem misterioso aparece inesperadamente em sua empresa, ela se entrega ao domínio dele, tanto na cama quanto no trabalho. Não há como prever aonde o rico e poderoso Robert Dade vai levá-la. Mas também não há como resistir aos seus desejos. A única questão é quem Kasie será, quando a jornada chegar ao fim. Fonte

Kasie é uma jovem aparentemente decidida quanto ao seu trabalho e fiel ao seu namorado. Ela leva uma vida rotineira e, embora confortável e sem riscos, não gosta do rumo que está tomando, como se estivesse se acomodando e vivendo uma vida que a família quer para ela, mas não ela mesma. Por isso, sua amiga Simone a arrasta para Las Vegas, cidade onde tudo pode acontecer.

Lá, Kasie acaba conhecendo um homem com quem passa a noite inesquecível, ambos sem saber a identidade um do outro. A ideia era justamente essa: uma noite de sexo casual, na qual Kasie poderia desfrutar sem culpas, se libertar um pouco dela mesma.

O que ela não contava era que aquele homem, que agora ela sabe se chamar Robert Dade, quer contratar os serviços da empresa para a qual ela trabalha e exige que ela seja seu contato. Sem querer se expor, Kasie aceita, mas tenta tratar apenas de assuntos profissionais com ele – falhando miseravelmente logo de cara.

Então a trama é basicamente essa: Kasie tendo que decidir se quer viver sua vida com Dave, que é bem morno em tudo o que faz, e seguir adiante com sua carreira, ou terminar tudo e sair da sua zona de conforto com Robert, que a faz se sentir mais livre, sem máscaras.

À primeira vista, Kasie pode parecer aquela personagem sem sal, indecisa sobre tudo, inclusive sobre seu relacionamento. Porém, percebemos aqui que ela sofre uma grande pressão por parte da família: seus pais tiveram duas filhas, mas uma delas, ao que parece, “se perdeu no mundo”, como diria minha avó. E então todas as expectativas de sucesso caíram para Kasie, que sofreu junto com os pais por sua irmã e o que menos quer na vida é decepcioná-los. Claro que ela não contava que com isso ela acabaria se anulando, colocando os interesses de outras pessoas a frente dos seus, sendo obrigada a usar uma máscara de jovem recatada e sem pecados. Por isso, não considero Kasie uma personagem chata, ou mesmo Mary Sue, acho que ela é bastante humana e carrega um grande peso na consciência ao não conseguir confessar para sua família que ela não quer mais seguir as regras imposta por seus pais e Dave.

Robert Dade é um personagem bem instigante e um dos melhores e piores “mocinhos” de livro erótico que já li. Melhores porque ele realmente tem aquela chama que faz a mulherada sentir calor só de pensar. Piores porque ele é inescrupuloso demais e está acostumado a ter tudo o que quer, sem medir esforços ou passar por cima de alguém. Talvez isso nem esteja tão implícito nesse livro, mas se vocês lerem, saberão do que estou falando.

Eu recomendo a leitura, como livro erótico ele superou minhas expectativas e o final me deu um frio na barriga de curiosidade pelo segundo volume, que já foi lançado e em breve terá resenha aqui no blog.

Ficha técnica:

Nome: O Estranho
Autor: Kyra Davis
Páginas: 160
Editora: Suma das Letras
Onde comprar: Livraria Cultura / Livraria Cultura (e-book)Amazon / Saraiva / Saraiva (e-book)
Minha avaliação:

Compartilhe:
  • 1
  •  
  •  
  •  


  • Gustavo disse:

    Eu nunca sei o que esperar sobre um livro erótico, geralmente não espero nada, e esse livro me trouxe o mesmo sentimento. Não me interessei muito pela personagem, mesmo ela tendo essa pressão dos pais para ser uma menina boa e recatada, ainda mais com o tema da traição sendo bem banalizado (pode ser muito antiquado da minha parte, mas não sou exatamente fã de traição tão aberta e intencional assim). Enfim, acho que não leria esse livro :/

    [Reply]

  • Douglas Fernandes disse:

    Já vi tudo, mocinha inocente e boba, playboy riquinho e sarado, Ahhh esse povo ta precisando ter novas ideias, já deu né, esse tipo de livro já tem muito por ai, já passou da hora de alguem ter uma boa ideia, quando comecei a ler a resenha já vi de cara , se eu visse na livraria ignoraria e nem indicaria pra ninguem!!

    [Reply]

  • Shadai disse:

    Fui enganado pelo título!
    História meio bobinha a meu ver. Parece livro de banca hehehe
    Mas tem quem goste.

    [Reply]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem