Resenha: O Falso Príncipe

Esse foi o primeiro livro que comprei no ano de 2013. Mas eu tenho uma mania muito chata de colocar na pilha de leituras por ter outras prioridades, então acabei adiando a leitura dele por tempo indeterminado. Como não queria deixar de adquirir logo a continuação que será lançada em breve, resolvi lê-lo.

Eu devia ter lido esse livro antes, isso sim.

O_FALSO_PRINCIPESinopse: Em uma terra muito distante, a guerra civil é iminente. Para unificar o reino, um nobre chamado Conner trama um plano ousado, procurando por um garoto que se passe pelo filho desaparecido do rei e assuma o trono. Quatro órfãos são forçados a competir pelo papel, entre eles o rebelde e esperto Sage. O garoto sabe que os motivos de Conner são mais do que questionáveis e que sua vida está por um fio – se ele não for escolhido como príncipe na farsa, será morto. Seus rivais tem suas próprias táticas para vencer, e Sage não pode confiar em ninguém. Depois que Sage se muda do orfanato miserável onde vivia para o suntuoso palácio de Conner, os planos de seu novo mestre vão ficando mais e mais claros, até que finalmente a terrível verdade é revelada, provando-se muito mais perigosa do que qualquer mentira na qual ele já acreditou.  Fonte

A vida de Sage já não era nada fácil. Depois de ser vendido pela dona do orfanato que morava, Sra Turbeldy, ele é obrigado a acompanhar Bevin Conner e outros garotos e a participar de uma competição para determinar quem poderá se passar pelo príncipe desaparecido de Carthya. Segundo Conner, o país está em crise agora que os reis e o filho primogênito morreram e vários regentes estão interessados em assumir o trono. A única forma de amenizar a crise é que o príncipe Jaron, desaparecido há quatro anos, ressurja e assuma o trono.

Até aí tudo bem. Pelo que vocês podem ver, a premissa do livro nos aponta para um final previsível e aí você deve pensar “será que vale a pena?”

Eu respondo: Vale MUITO a pena.

A trama é recheada de intrigas políticas, traições e mentiras. A forma com que Sage narra sua própria história cativa desde o início por ser dinâmica – e pela completa impertinência beligerante do protagonista. Os garotos têm duas semanas para treinarem para se tornarem príncipes e aquele escolhido por Conner irá governar Carthya sob seus “conselhos” como primeiro regente e cada um deles teme não ser o escolhido.

– Como chegamos a isso? – perguntei, cheio de temor de que não houvesse resposta – Não importa o que façamos, os demônios nos têm. (página 103)

Todos ali ambicionam o trono, não apenas pelo poder, mas por querer permanecerem vivos. Então muitas vezes podemos ver situações em que os órfãos têm que escolher a quem de fato devem ser leais. Ninguém confia em ninguém completamente ali, por temerem alguma traição. Não vou mencionar muito os outros três órfãos, mesmo porque temos uma mudança logo no começo sobre eles, um tipo de “incentivo” (ou terror psicológico) que Conner usa para que eles continuem o treinamento até o fim.

Diante de tantos treinos, Sage se recusa a abaixar a cabeça para Conner, desafiando tudo e a todos – e muitas vezes sofrendo com as consequências de formas pavorosas. Ele mostra que mesmo diante do treinamento para ser um príncipe nas aparências, mentindo, manipulando e sendo manipulado, ele ainda é um jovem de personalidade forte, irascível e, por que não dizer, honrado, que não quer dar o braço a torcer e se recusa a servir alguém como Conner.

Seria tão ruim assim ser quem você é? (página 159)

Conner é um homem sem escrúpulos disfarçado de um nobre. Para ele, os fins justificam os meios, e os meios que ele usa para que Carthya seja como ele sempre sonhou são cruéis. Muitas vezes parecia que ele tinha olhos atrás das costas, sempre à frente do que acontecia dentro de sua mansão.

Conner dissera que venderia a alma ao demônio, se fosse preciso para ter sucesso em seu plano. Tive a sensação de que, quando ele fizesse isso, a alma de todos nós pertenceria ao demônio também.

Outros personagens que chamaram a atenção foram Mott e Imogen. Ambos são servos de Conner, apesar de Mott negar. De certo modo, mesmo parecendo que Mott é cruel como todo bom capanga tem que ser, ele se mostra o único em quem Sage pode chamar de aliado e passamos a simpatizar com ele durante a narrativa. Já Imogen é uma jovem que foi obrigada a trabalhar para Conner para pagar a dívida da família. Ela aparece tímida a princípio, sem falar qualquer palavra, mas se torna amiga de Sage.

A história de Sage é como um quebra-cabeça. Você nunca sabe exatamente o que ele está pensando, mesmo a narrativa sendo em primeira pessoa. Ele tem um senso de estratégia admirável, revela apenas o que for conveniente para ele e no momento certo. Em outras palavras, ele é ardiloso e quem o subestima acaba se dando muito mal. Coloco o Sage como um dos meus queridinhos literários, bem perto do Percy Jackson e Harry Potter, já que acho que ele é uma mistura dos dois (e tem alguma arrogância que é muito do Draco Malfoy também, mas totalmente justificada).

– Estou unicamente do meu lado. Seu enigma será me convencer de que ajudar o senhor será bom para mim. (página 33)

A história simplesmente me encantou. A linguagem é simples, flui rapidamente. Mesmo descobrindo que rumo a história tomaria durante a narrativa, eu já não pensava tanto no final, porque não queria que acabasse. A reviravolta da história, quando o mistério em torno do príncipe desaparecido é revelada, foi o ponto alto.

– Eu sempre achei que me parecia mais comigo mesmo do que com qualquer outra pessoa – dei de ombros. (…)

Para não dizer que foi tudo lindo, achei a explicação sobre a morte da família real muito corrida, foi algo que talvez a autora pudesse ter nos mostrado com mais detalhes, em vez de simplesmente dar uma explicação de meia página. Porém, isso não faz com que eu mude a classificação da leitura, que com certeza é de cinco estrelas. O_REI_FUGITIVO

Estou ansiosa pelo próximo livro, que a Verus já divulgou a capa e a previsão de lançamento para novembro de 2013.

Se vocês quiserem acompanhar a série, não percam tempo!

Ficha técnica:

Nome: O falso príncipe
Autor: Jennifer A. Nielsen
Páginas: 298
Editora: Verus
Onde comprar: Livraria Cultura / Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Caroline Centeno disse:

    Oi Lucy.
    Não é a primeira resenha que leio sobre O falso príncipe ,mas fiquei bem mais animada para ler porque adoro leituras bem fluidas. O último livro que terminei que foi A outra Vida de Susanne Winnacker de maneira que precisei de dois dias para terminar porque te envolve demais.
    E como esse livro tú diz que mesmo sendo narrado em primeiro pessoa, tem surpresas e você não consegue identificar sempre o que ele tá pensando.
    Pretendo adquirir para também adorar ;D

    http://romances-para-te-fazer-feliz.blogspot.com.br/

  • Lucy disse:

    Oi, Carol!
    Espero mesmo que você goste! Algumas pessoas criticaram por acharem previsível demais, mas isso nunca me atrapalhou numa leitura (mesmo porque eu leio spoilers normalmente. rsrs)
    De qualquer forma, o Sage consegue te surpreender. ;)
    Bjos!

  • Melissa de Sá disse:

    É tão bom quando histórias pegam clichés fáceis e previsíveis e transformam isso tudo em algo diferente… Fiquei curiosa com esse livro e nunca tinha ouvido falar dessa autora.

  • Lucy disse:

    Oi, Mel! Concordo com você! Nada como um clichê bem trabalhado!
    Também é o primeiro livro que leio dela, eu acho que você vai gostar :D
    Bjos!

  • Jullyane Prado disse:

    Ainda não tinha visto falar desse livro, mas pela sua resenha Lucy, eu já fiquei com muita vontade de lê-lo, é simplesmente um dos meu tipos de histórias favoritos, um rei, um trono, um príncipe, um nobre fingido e um orfão???? Isso é maravilhoso e nossa que legal que o segundo livro ja´está para sair, porque eu simplesmente odeio ficar esperando!! rsrs

  • Lucy disse:

    Oi, Ju! Realmente, eu acho que li até em momento bem propício. rsrs Espero que vc leia e goste como gostei, vale muito a pena!
    bjjos

  • Tâmara Moya disse:

    Oi flor
    No inicio o livro parece ser bem obscuro, uma sucessão de fatos são apresentados, mas sem muita explicação, mas acredito que eles estão ligados.Livro que aborda a disputa por um trono onde apenas um vencerá e a vitória significa a própria sobrevivência. Nossa!
    Parece que a narrativa da autora é muito dinâmica, a leitura flui super bem e é rica em detalhes. E ainda existe um segredo no livro?
    O Falso príncipe parece ser um livro fantástico onde seus personagens são pessoas de carne osso, humanas, que lutam por seus ideais e por sua sobrevivência. Livro recheado de honra, dignidade, caráter, e muita aventura.
    ótima resenha
    Bjus

  • Ana Paula Ramos disse:

    seriesssss.. ok vamos marcar mais uma p ler =D
    muito legal! acho que vou me encantar pelo Sage (percy jackson, harry potter e um “pouquinho” de drago malfoy, como não gostar?)
    Gosto muito quando a historia flui, com misterios revelados e com bons personagens…. mesmo se for previsivel… é tão bom livros assim….

    bjosss

  • Lucy disse:

    Oi, Ana! Eu me encantei de vez pelo Sage, acho que vc também vai gostar! Adoro livros que adicionam mistério e aventura, mesmo que pareça clichê!
    Bjos!

  • Rossana Batista disse:

    Não conhecia a saga, mas fiquei com muita curiosidade de ler. Adoro tramas recheadas de intrigas políticas, traições e mentiras, só faz aumentar minha vontade de leitura. Espero poder ler em breve.

  • Jessica Lisboa disse:

    Ja curti e ja quero. Adoro livros cheios de ‘teterete’ espero qeu a serie nao seja muito longa pois me interessei muito pela historia!!

    xxx

  • Lucy disse:

    Oi, Jéssica! O livro é bem legal mesmo, eu recomendo!
    A série é uma trilogia, o segundo sairá ainda esse ano. :D
    Bjos!

  • Roberta Moraes disse:

    Eu quero muito ler esse livro. Fiquei muito curiosa para descobrir o mistério do desaparecimento do príncipe. Tomara que minha leitura também flua bem e eu goste para continuar a ler a série.

  • Lucy disse:

    Oi, Roberta!
    Espero que você goste da leitura, é bem divertida! :D
    Bjos!

  • Resenha: O Rei Fugitivo « Por Essas Páginas disse:

    […] animadíssima quando esse livro foi lançado. Isso porque eu amei a leitura do primeiro livro, O Falso Príncipe. Fiquei ainda mais feliz quando recebi esse livro da Editora Record (porque já havia um bom tempo […]

  • Top Ten Tuesday: Dez livros que passei a gostar mais com o tempo « Por Essas Páginas disse:

    […] 8. O falso príncipe, Jennifer A. Nielsen: Uma aventura estilo capa e espada que eu dificilmente vou me cansar um dia. Um personagem que esconde um ás na manga até o último segundo. Uma pena que a série não foi tão bem divulgada, porque merecia um grande destaque, sinceramente. Resenha […]

  • mafalda oliveira disse:

    Oi lu eu queria saber se vc já leu um livro tao ou mais espetacular quebesse oq eu não consigo encontrar e mais nenhum livro parece bom estão a ficar frustrada
    Bjs

  • Mafalda disse:

    oiiii eu amei esse livro obrigada, mas agora estou com um problema mais nenhum livro me agrada eu amei tanto esse que esta dificil encontrar um ao nível, vc tem alguma ideia de como me ajudar sabe de algum livro tao bom ou melhor que essa trilogia é que esse faz mesmo o meu tipo de livro queria encontrar uma personagem parecido com o sage porque ele muda completamente a historia entao se encontrares um assim, pf me indica porque eu nao estou encontrando

  • Lucy disse:

    Oi, Malfalda! Tudo bem?
    Realmente, eu adorei o livro, a série inteira é muito boa. Sobre livros parecidos… Difícil dizer se encontrei livros com essa pegada. Acho que não.
    Recomendo que dê uma olhada em Gata Branca, da Holly Black e também nos livros do Rick Riordan, não são tão estrategistas, eu acho, mas tem personagens masculinos muito legais!
    Bjos

  • Top Ten Tuesday: Dez livros que eu poderia reler para sempre « Por Essas Páginas disse:

    […] O Falso Príncipe, Jennifer A. Nielsen: Já falei e repeti aqui várias vezes nessa coluna: Essa série é muito boa e vale a leitura. Uma pena que teve tão pouco destaque na época do lançamento, mas simplesmente adorei e releio sempre que posso. Resenha […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem