Resenha: O Irresistível Café de Cupcakes

café de cupcakes“Ellen é uma advogada de Manhattan e seu noivo está prestes a se tornar um importante político. Tudo em sua vida parece estar perfeito e no caminho certo. Até que ela decide realizar o último desejo de sua avó e entregar em mãos uma carta. Para isso, ela precisa ir para Beacon, uma charmosa cidadezinha do interior. Entre cupcakes de blueberry e deliciosas rosquinhas, Ellen desvenda os mistérios da vida de sua avó. Aos poucos, ela descobre os simples prazeres da vida e que “perfeito” nem sempre é o que parece.” [Fonte]

Vocês algumas vezes devem se perguntar: “Quais são os critérios que elas utilizam para escolher um livro das parcerias?”. Bom, além é claro das séries não finalizadas e dos autores que eu leria até bula de remédio, eu não consigo resistir a um chick-lit. Mesmo quado eu entro no Skoob e no Goodreads e a avaliação não está tão boa assim, na maioria das vezes eu ignoro essas informações. E foi assim com O Irresistível Café de Cupcakes. Algumas pessoas adoraram… Outras nem tanto. Mas a sinopse me chamou muita atenção e por isso resolvi arriscar… E acabei tendo opiniões contraditórias sobre esse livro.

Ellen Brandfort resolve cumprir o último desejo de sua querida avó: entregar uma carta para Chet Cummings. Mesmo faltando poucos meses para o seu casamento com Hayden Croft, ela faz uma viagem de um dia para uma pequena cidade no Maine (Não gente, ela não vai para Storybrooke). Mas os seus planos vão literalmente por água abaixo quando as madeiras de um píer cedem e ela quase se afoga no mar. Por sorte, Roy a salva. Ela fica tão feliz por estar bem que, sem pensar duas vezes, ela joga os braços em volta do pescoço de Rey e o beija. É claro que logo ela percebe o que fez e se afasta. Mesmo virando uma celebridade em Beacon, encontrar Chet não é tão fácil assim… E conforme Ellen vai descobrindo o passado de sua avó, ela começa a pensar sobre o seu próprio futuro.

Eu vou ser bem direta no que me incomodou nessa resenha porque… Esse é um tema central e foi trabalhado desde o início. Eu sempre acreditei que na hora de ler um livro, metade da experiência é a escrita do autor e metade corresponde a toda a bagagem que o leitor traz sobre aquele tema. Por isso que às vezes duas pessoas tem opiniões tão diferentes sobre um livro. Ellen, desde o início, parece estar feliz com o futuro casamento e com o seu noivo. Mas ter beijando Roy, mesmo sem o conhecer tão bem, a deixa muito confusa. Até nesse ponto, tudo bem. Mas então a protagonista começa a se relacionar com Roy e em alguns momentos parece que ela esquece completamente de Hayden. E eu não consegui ficar do lado da Ellen porque… Eu não consegui sentir toda essa química entre os ela e Roy e eu não percebi nenhum problema com Hayden. Okay. ele se preocupa um pouco com a mídia e com aparências, mas ele vai se tornar um futuro político. E a Ellen não faz nenhuma crítica direta sobre isso!!! Eu acredito que o autor tem que tomar muito cuidado quando vai tocar no tema traição. Não acho que o beijo de quando ela foi salva seja encarado assim, mas os outros fatos que aconteceram depois? Sim. E então eu fico me perguntando: por que ela iria casar com ele se foi tão fácil deixá-lo de lado? Conveniência? Mas por que então não colocar a protagonista se questionando sobre isso? Achei os desenvolvimentos dos romances muito rasos. Sim, nessas condições, você tem que focar no emocional do personagem. Eu já deixei de ler uma autora que eu AMO por causa do tema traição e fiquei com raiva de uma personagem que eu gostava por causa disso. Não sei se todo mundo também se incomodaria com esse detalhe, mas foi com esse sentimento que eu fiquei durante a leitura.

Mesmo assim, tiveram algumas partes do enredo que eu gostei bastante. Toda a história da avó de Ellen foi muito interessante – assim como as mudanças que a protagonista sofreu com a mudança de uma cidade grande para uma cidade pequena. Ela chega reclamando da pousada em que ela iria ficar – que mal tinha uma impressora! Mas aos poucos, Beacon vai a conquistando – e Ellen vai percebendo que uma cidade pequena também tem todo o seu charme. Dando um exemplo que tem relação com o título do livro, Ellen só comia coisas saudáveis  mas em Beacon ela não consegue resistir aos famosos cupcakes de blueberry. Apesar do café não ter uma importância tão grande assim para o enredo (e eu fiquei me perguntando muito sobre isso no começo da leitura), toda a parte sobre blueberry tem.

cupcake

O título em inglês é “The Irresistible Blueberry Bakeshop & Café”. Normalmente eu sou completamente a favor da tradução literal mas nesse caso, apesar do título em português ter feito uma referência mais indireta, eu gostei mais dele. Não gosto muito de títulos grandes e o original seria muito difícil de se lembrado. Até porque a fruta blueberry não é tão comum aqui como em outros países… Aproveitando o tema, a capa é muito interessante! Em nenhuma foto dá para perceber, mas ela é como se fosse um quadro negro e o título estivesse escrito em giz. Mas não concordo muito com a frase do James Petterson na capa. Já li Nicholas Sparks e não acho que o livro da Mary Simses seja assim tão indicado para quem gosta dos livros do primeiro autor. Eles são romances bem diferentes…

O final eu também posso dividir em duas partes: um que eu gostei e o outro… Nem tanto. A Ellen teve um crescimento muito bonito em uma parte (principalmente por causa das informações que ela descobre sobre a sua avó) mas em outras ela ainda tem MUITO o que aprender.  Como eu disse no início da resenha, eu tive muitos sentimentos contraditórios com esse livro. Ele é bem envolvente e não demorei muito para terminá-lo, mas O Irresistível Café de Cupcakes tinha tudo para ser muito, muito, muito melhor!

Livro gentilmente cedido para resenha pela Paralela.

Ficha Técnica

Título: O Irresistível Café de Cupcakes
Autor: Mary Simses
Editora: Paralela
Páginas: 286
Onde comprar: Livraria Cultura/Livraria Cultura (e-book)/ Amazon
Avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Junho. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

top-comentarista_junho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Regiane Alves disse:

    Qnd eu vi essa menina da capa eu lembrei da Becky de os delírios de consumo. .. (piro muito) enfim quando eu vi o título falei tenho que lê-lo pq sou obcecada por cupcakes é um vicio incomun no mínimo, mas dps de ler a resenha n sei se leio talvez. .. preciso ler livros assim únicos quase tds que leio são de sagas, trilogia e etc.

  • Gustavo disse:

    A sinopse é bem simples, mas chama a atenção, e gostei do nome do livro, diferente.
    Também tenho um grande incômodo com o tema traição. Não ligo de ler se é bem explicado, ou se tem um fundamento (tipo, o casal se odeia, mas está junto por conveniência e ambos sabem disso.), mas simplesmente por diversão, ou passatempo não consigo engolir, me incomoda. Mas também gostei da parte de ela começar a se interessar pela cidade, e a história da avó dela me deixou curioso.
    Estou com muitas dúvidas sobre o livro. Um grande talvez na minha pequena enorme lista =S

  • Shadai disse:

    Achei a capa e título fofos.
    Mas chick-lit não é um gênero adequado para mim.
    E, também me incomoda bastante histórias com traição, triângulo amoroso e coisas desse tipo da pessoa estar dividida entre 2 amores ou paixões. Pois, acho que acontece pouco na vida real, ou se acontece acho bastante questionável, já que eu nunca traí e não conseguiria.
    Quanto ao livro, leitura leve, rápida, acho que até poderia ler, mas não compraria.

  • Fabiana Strehlow disse:

    Oi, Lany!
    Eu já li algumas resenhas sobre este livro e praticamente todas dizem que o livro é um tanto satisfatório. E agora ao ler a sua resenha, concluo que parece mesmo que o livro deixou um pouco a desejar.
    Posso vir a mudar de ideia, mas não pretendo ler O Irresistível Café de Cupcakes.

  • Nayara disse:

    Oi Lany!
    Parece ser bem fofinho o livro. Mas esse tema da traição é um pouco complicado. Realmente precisava de uma explicação a mais… o motivo dela trair e o por que foi tão fácil assim… daria uma base melhor para a leitura e para entender melhor a personagem.
    Adorei os cupcakes da foto :DD Sou apaixonada por eles *-*
    Beijos.

  • Douglas Fernandes disse:

    Primeira vez que vejo sobre o livro, interessante o titulo… hahahaha
    Ahhh que pena que ela nao vá para Storybrooke, imagina….. haahahhaa
    Por enquanto eu nao tenho vontade de ler o livro não, parece legal e tal, mas por agora não.

  • Érika Rufo disse:

    Eu gostei muito da capa do livro e a sinopse até que me interessou. Mas lendo sua resenha parece que a história poderia ser boa, mas deixou um pouco a desejar. Também me incomodo muito com o tema traição, e já abandonei outros livros por causa disso. Enfim acho que não vou ler esse livro.

    Beijos!!

  • Franciely Bortoski disse:

    Quando vi esse livro achei a capa muito fofa, mas fiquei com o pé atrás pensando no porquê do título. Mas pelo visto só gastei tempo já que o tal café nao é a ideia central do livro hauhauhaua Eu acho chick lits muito divertidos e às vezes bem envolventes como “tem alguém aí” da Marian Keyes (e detestei Melancia dela), mas concordo que os personagnes nao podem ser rasos, vc precisa entender as escolhas q eles fazem baseado no que o autor nos conta sobre eles. Se nao deu pra entender, é pq o personagem nao foi bem explorado. Acho uma pena e não pretendo ler um livro assim já q ia me incomodar essa falta de profundidade.

  • Ana disse:

    Eu não conhecia a história, eu amei a capa e achei o título interessante. Mas eu odeio traição, isso realmente me toca, então a história perdeu a graça pra mim. A história não me conquistou tanto, mas talvez algum dia em que esteja entediada eu posso até ler, mas… acho que melhor não.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem