Resenha: O sal da vida

O sal da vida“Existe uma forma de leveza e de graça no simples fato de existir, que vai além das ocupações, além dos sentimentos poderosos e dos engajamentos políticos. É sobre isso que este livro fala. Sobre esse pequeno plus que nos é dado a todos: “O Sal da Vida”. Nesta meditação, nesta espécie de poema em prosa em homenagem à vida, totalmente íntimo e sensorial, a renomada antropóloga Françoise Héritier vai atrás das pequenas coisas agradáveis (às vezes nem tanto) às quais aspira o mais profundo do nosso ser: as imagens e as emoções, os momentos marcados de recordações que dão sabor à vida, que a tornam mais rica e mais interessante do que muitas vezes acreditamos que ela seja, e que nada nem ninguém poderá nos tirar, nunca, jamais!”

Logo quando a Editora Valentina divulgou a capa de O Sal da Vida com essa torre Eiffel, as meninas disseram que esse livro era a minha cara. Mas sabe como é, as séries que eu acompanho também foram lançadas, cada mês uma seleciona um livro… Então só pude solicitá-lo agora.

Eu nunca li um livro como O Sal da Vida. Como diz a sinopse, ele é na verdade um poema na forma de prosa. A autora, Françoise Héritier, havia recebido um cartão-postal de Jean-Charles Piette. Nele estava escrito “Uma semana roubada de férias na Escócia”. Então a autora começa a divagar sobre como o trabalho ocupa o nosso tempo e o que seria o sal da vida.

“Existe, sim, uma forma de leveza e de graça no simples fato de existir, que vai além das ocupações profissionais, além dos sentimentos poderosos, além dos engajamentos políticos e de todos os gêneros, e foi unicamente sobre isso que eu quis falar. Sobre esse pequeno plus que nos é dado a todos: O Sal da Vida.” – página 10

E assim, os capítulos na verdade são uma lista com tudo o que autora acredita ser seu Sal da Vida. São citados pequenos momentos, sensações, dores, experiências, lembranças… Vocês devem estar achando estranho. Eu também achei muito estranho quando comecei a ler. Mas antes de chegar no final do primeiro capítulo das listas, eu já estava completamente envolvida e emocionada. Porque… Esse é aquele livro em que o leitor tem que interagir com ele. Você começa a se lembrar de todos os seus momentos que dão um tempero especial no seu dia-a-dia. Em vários momentos eu parei, com um sorriso no rosto, para me lembrar de uma experiência que eu tive igual a da autora (ou semelhante). E então, assim como ela, eu percebi que são pequenos detalhes que acabam nos marcando.

Então, resolvi fazer a minha lista do “Sal da Vida” (inclusive no final do livro tem um lugar para fazermos as nossas anotações), mas focando no tema “Leitura”!

Chorar com um livro , suspirar por mocinhos fofos, ter uma imaginação fértil, aguardar o carteiro, cheirar um livro novo, ser fangirl com as suas amigas, receber um abraço (mesmo virtual), fazer coleção de marcadores, ir a eventos literários, receber um comentário dizendo que alguém amou o livro que você recomendou,  esperar para sempre a minha carta de Hogwarts, ser respondida por um autor no twitter, todas as amizades feitas, abraçar a Meg Cabot, rir com Adrian Ivashkov, escrever resenhas, começar a ler um livro no dia em que ele foi lançado, receber comentários nas resenhas, reclamar quando um livro não for bem adaptado…

E eu tenho que comentar sobre essa capa! Ela é muito bonita e o título tem um efeito que quando você toca, parece que ele é feito realmente de sal. A fonte utilizada é muito confortável para a leitura e o livro possui pequenos detalhes lindos!

O Sal da Vida é aquele tipo de livro perfeito para dar de presente, mesmo para pessoas que não gostam muito de ler. Ele é curtinho e transmite uma mensagem muito bonita. Esse é aquele tipo de leitura que você não termina da mesma forma que começou…

Ficha Técnica

Título: O Sal da Vida
Autor: Françoise Héritier
Editora: Valentina
Páginas: 108
Onde comprar: Livraria Cultura
Avaliação:  

Compartilhe:
  • 2
  •  
  •  
  •  


  • Fabiana Strehlow disse:

    Oi, Lany!
    Este livro deve ser muito interessante mesmo!
    Bacana este lance da lista. É o que nos move: o sal da vida!

    Beijokas!

    [Reply]

  • Nayara disse:

    Lany!!! Fiquei encantada pela sua resenha!!
    E morrendo de vontade de ler (e de ver os detalhes da capa)! Que lindo.
    Já tá na lista!
    Parabéns pela resenha.
    Beijos.

    [Reply]

  • Jaynne Souza disse:

    Não tinha ouvido falar desse livro ainda, amei a capa *-*, apesar de ser mais ligada a detalhes ingleses…

    [Reply]

  • Marília Sena disse:

    Um livro bastante diferente, mesmo! Adorei a forma como você disse interagir com o livro, isso é importante! A capa e aquele detalhe das anotações no final são ótimos. Vai para a lista. 😉

    [Reply]

  • Dâmaris Carvalho Lima disse:

    O livro não me chamou atenção.

    [Reply]

  • camila rosa disse:

    Nossa, essa é a primeira vez que vejo falar desse livro, ele parece ser ótimo, é tão bom, quando vemos que o livro tem uma mensagem super legal para passar. A capa dele é linda, e que legal parecer que ela é feita de sal, eu quero tocar nesse livro.
    Beijos!!!

    [Reply]

  • Caroline Evans disse:

    Eu não conhecia o livro, mas admito que não me interessou muito, mas gostei da capa.

    [Reply]

  • Gustavo disse:

    Achei uma idéia extremamente interessante, mas não obteria o livro, nem um pouco meu estilo, não me chamou a atenção. Gosto de sair da minha zona de conforto, mas esse seria ultrapassar os limites demais kkk gosto mais de algo que me tire da minha vida do que algo que me aprofunde nela kkk

    [Reply]

  • Aline Ramos Costa disse:

    Eu achei a capa muito fofa e a sinopse é bem interessante… amei sua resenha, muito bem elaborada e nos instiga a ler o livro..eu quero com certeza.
    bjs

    [Reply]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem