Resenha: Origem

De onde viemos? Para onde vamos?

Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete “mudar para sempre o papel da ciência”.

O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento… algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana.

Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre.

Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch.

Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo.

Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch… e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo. (Fonte)

E aqui vamos nós… de novo!

Eis que o Professor Robert Langdon se vê mais uma vez em uma corrida contra o tempo, com mais uma companheira de aventuras belíssima, com pessoas correndo atrás deles tentando matá-los. Infelizmente, temos mais do mesmo.

Quando comparo primeiros livros de Dan Brown (Fortaleza Digital e Ponto de Impacto) com os livros sobre o Professor Langdon tenho a impressão que nos primeiros o autor estava se encontrando. Depois, ele encontrou sua fórmula e tem aplicado essa mesma fórmula em todos os seus outros livros. Cada um permeado por lugares e informações diferentes, mas com o mesmo esqueleto.

No caso de Origem, esse mesmo esqueleto se repete conforme falei aí acima (Professor Langdon + lugar interessante + conspiração + simbologia + moça bonita). A diferença é que dessa vez o autor leva o leitor à Espanha. Começamos em Bilbao, no Museu Guggenheim, com sua arquitetura incomparável. Langdon é convidado por um ex-aluno famoso no meio da tecnologia e ateu convicto, Edmond Kirsh. Kirsh convidou várias pessoas influentes para sua mais recente apresentação, na qual promete responder às duas perguntas mais famosas da humanidade desde a antiguidade: De onde viemos? Para onde vamos?

Felizmente aí, Dan Brown consegue seu gancho que prende o leitor até o final, porque a apresentação é interrompida quando Kirsh é assassinado na frente dos convidados e de milhares de pessoas que acompanham a apresentação online, e você fica querendo saber qual era afinal a resposta.

No meio desta confusão toda Langdon é ajudado por Winston, uma inteligência artificial que se comunica com ele por meio de um fone que ele recebeu ao chegar ao museu.

A moça bonita dessa vez é ninguém menos que a futura rainha da Espanha, Ambra Vidal. E seguindo as instruções de Winston Langdon e Ambra saem correndo do museu e começam uma corrida contra o tempo para chegar ao computador de Kirsh onde a apresentação está armazenada, para conseguirem, por fim, torná-la pública, como era a vontade do falecido.

A partir daí dá-lhe o professor desvendar o código que dará acesso ao computador e a procurar sua localização. Há várias pistas escondidas por onde eles passam e o leitor vai junto visitando lugares incríveis de Barcelona, como a Casa Milà, onde Kirsh morava, Parque Güell e a Sagrada Família, todos obras do arquiteto catalão Antoni Gaudí. Vocês que já me conhecem como leitora sabem que fiquei pendurada no celular enquanto lia para acessar as imagens de todos estes lugares. Vale a pena! Além de lindos você se situa melhor na história!

Dos livros que trazem o Professor Langdon como personagem principal, acho que este foi o mais fraquinho. Li com a mente mais aberta possível, assim como o tão criticado e ao mesmo tempo aclamado Código da Vinci. Acho que por não ser católica Anjos e Demônios e o Código da Vinci não me afetaram tanto no sentido de cutucar minha fé ou algo assim. Já no caso de Origem, o livro bate na tecla do evolucionismo todo o tempo e naquela mesma história de “como as pessoas podem acreditar na criação?”. Confesso que dessa vez me incomodou um pouco por ser criacionista. Sim, eu acredito num Deus criador! E fiquei curiosa pra saber no fim das contas qual seria a conclusão do livro… se a religião é ou não dispensável, independente de qual seja ela.

Então, resumindo para vocês queridos leitores, se quiserem saber as respostas quanto à origem e o fim desta nossa existência, segundo Edmond Kirsh, leiam! hehe
Se quiserem saber qual é a conclusão nesta obra sobre a crença em um criador, leiam!

Aí você me pergunta, mas Drika, você não falou lá muito bem do livro! Pois é. Realmente achei mais do mesmo, mudando lugares e tema, mas pra quem curtiu os outros livros até vale a pena! Esse fala sobre tecnologia com pitadas de física, química e biologia. Só não espere o mesmo impacto que você teve ao chegar ao final de O Código da Vinci. Sinceramente não sei se Dan Brown conseguirá impactar tanto o leitor novamente como o fez antes!

Ficha Técnica:

Título: Origem
Autora: Dan Brown
Editora: Arqueiro
Páginas: 427
Onde comprar: Amazon
Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Sofia disse:

    Oi, tudo bem?
    Do autor, só li O Código Da Vinci, que adorei! Este, minha amiga falou maravilhas dele, até tenho interesse em ler, mas não de momento. Adorei sua resenha e a sinceridade! Dica anotada para futuras leituras!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Nunca li nada do autor, mas tenho bastante curiosidade. É uma pena que este não tenha funcionado muito pra você, estava bem curiosa pra ler, haha. Ótima resenha!

    Beijos,
    https://duaslivreiras.blogspot.com.br/

  • Morgana Brunner disse:

    Oiii linda tudo bem?
    Que pena que o livro não tenha despertado e dado certo dessa vez, eu amo os outros livros que já li do autor e espero que quando eu for o ler, não me decepcione também.
    Beijinhos

  • Beatriz Andrade disse:

    Eu tenho visto muitas pessoas comentando que o livro não é o melhor do autor e até repetitivo, mas eu acho que essa é a marca dele e ainda mais para os livros da série. Não li ainda, mas estou bem curiosa. Pode ser que eu também ache fraquinho, mas sei que não será uma leitura ruim.

  • Cabine de Leitura disse:

    Tenho dois livros do Brown na minha estante e nunca consegui passar da quinta página, o mesmo acontece com os filmes baseados nos livros, não me prende. Mesmo sendo leituras ricas em informações, agregando conhecimentos, tem as partes de conspiração que sempre acho muita viagem.
    Esse livro em questão não aborda assuntos que me atraiam, como caso de quimica e arquitetura. Mas como não li, posso estar perdendo uma grande aventura com o famoso Langdon.

    Beijos.

  • Viviane Almeida disse:

    Olá, tudo bem?
    Sei que os livro do Dan Brown são muito clichês, mas eu amo os personagens criados por ele mesmo assim, já li todos os livros que ele escreveu anteriores a esse há alguns anos atrás, quero reler todos e fazer uma resenha no meu blog. Amei a resenha desse livro que também está na minha lista de leituras desse ano.

    Beijos e abraços da Vivi
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

  • Clayci disse:

    Eu comprei, mas ainda não consegui me jogar na história. Faz tempo que não leio nada do autor e não vejo a hora de iniciar essa leitura <3

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem