Resenha: Os segredos de Emma Corrigan

Eu ia postar a resenha dele dia 31, mas não deu tempo. Depois, decidi que ia postar a resenha só mais para o fim do mês, mas resolvi não adiar mais. Fazia tempo que estava devendo a resenha desse livro, assim como estou devendo ainda as resenhas dos livros da Becky Bloom.

Ele faz parte do Desafio realmente desafiante 2013 proposto pela Clícia do blog Silêncio que eu to lendo, item 16: Reler e resenhar um livro que leu a muito tempo e nunca resenhou.

Na verdade, eu li e reli esse livro tem um tempo, várias vezes e agora reli novamente. Isso acontece com os chick-lits da Sophie Kinsella e outros títulos que tenho aqui.

Esse é o livro que eu chamo “Livro da vergonha alheia”. Tenho certeza de que se você já leu concorda comigo e quem ainda não leu e vai ler, vai concordar também!

emma_corriganSinopse: Com humor e muito charme, Sophie Kinsella nos apresenta a Emma, uma inglesa perto dos 30 anos, mas longe de uma definição na vida. Na memória ela guarda situações ultra-confidenciais: como perdeu a virgindade enquanto os pais assistiam Ben-Hur na sala de TV, o que pensa sobre o namorado, as peças que prega nos colegas de escritório, seu peso real.
Funcionária Júnior da Panther Corporation, uma empresa de produtos energéticos e esportivos com filiais por toda Grã-Bretanha, Emma vai a Glascow participar da reunião de marketing sobre um novo refrigerante, a Panther Cola. O que parecia uma grande oportunidade profissional se transforma num pesadelo. Como se não bastasse ter derramado a bebida num superior, seu voo de volta para casa quase cai. Em momentos de tensão as pessoas fazem as coisas mais estranhas. E Emma Corrigan não é exceção. Acreditando estar a um passo de uma morte trágica, ela conta todos os seus pequenos pecados para o passageiro ao lado. Afinal, qual a probabilidade de vê-lo de novo? Ainda mais com vida?
Mas o destino decide brincar com a protagonista: o avião pousa em segurança e o distinto cavalheiro nada mais é que o fundador e presidente da empresa onde trabalha. E além dos segredos pessoais, Emma abriu o verbo sobre todos os colegas da Panther e suas estratégias para enrolar no serviço. Para recuperar o respeito profissional – e voltar às boas com o pessoal do escritório – Emma se mete nas situações mais inusitadas, quase novelísticas. Mas com as quais todas as mulheres acabam se identificando. (Fonte)

Poxa, a sinopse entregou a história, não? Pois é, Emma está tendo o pior dia de sua vida e ainda por cima seu voo sofre uma grave turbulência.

Bem, o que você faz quando acha que vai morrer? Não sei quanto a vocês (e não tenho ideia do que eu faria, sinceramente), mas Emma ficou só um pouco, hm… nervosa… E começou a contar todos os seus segredos para o desconhecido da poltrona ao lado.

Quando percebe que ela NÃO vai morrer, Emma morre de vergonha de ter contado todas as coisas. Mas, tudo bem! Afinal, quais as chances de encontrar aquele desconhecido novamente? Nulas, certo?

Errado! Eis que ele surge em seu escritório no dia seguinte e ela descobre que ele é o dono/fundador da empresa em que trabalha, o famoso Jack Harper. A partir daí, Emma tenta agir discretamente com seu chefe – pois ele não quer que as pessoas saibam que ele esteve naquele avião – e com seus colegas de trabalho, já que Jack sabe todos os seus segredos e ela teme que de repente ele abra o bico e as pessoas a coloquem contra a parede para tirar satisfação.

Eu sinceramente adoro esse livro. A primeira vez que o li eu ria de gargalhar e sempre o chamei de “livro da vergonha alheia”. Emma é uma jovem de quase trinta anos, porém percebemos que ela é uma pessoa insegura: Seu emprego, embora estável, não está progredindo muito bem, ela se sente desmotivada, mas não quer demonstrar desânimo, porque quer vencer; seu namoro é praticamente perfeito. Mas perfeito DEMAIS! Você já pensou em namorar um cara igualzinho ao namorado da Barbie? E Connor é legal, mas… é um tédio. E tem sua família, que a deixa nas sombras de sua prima Kerry, “a estrela da família”.

Kerry realmente é a personagem mais chata da história, ela foi morar com a família de Emma aos 14 anos, quando a mãe morreu. Mas ela simplesmente faz de tudo para deixar Emma como sua sombra, sempre desdenhando dos esforços de Emma em conseguir um emprego mais estável. Por isso dei pulos de alegria quando Jack tem uma pequena conversa com Kerry, mas se quiserem saber sobre o que falaram, terão de ler o livro!

As situações em que Emma se envolve, no geral, são muito engraçadas e embaraçosas. Desde o primeiro capítulo, não tem uma cena que não seja engraçada. Mesmo quando não envolve Emma diretamente e ela mesma tem aquela sensação de vergonha alheia. Ao mesmo tempo, acabamos interagindo com Emma e torcendo MUITO por ela, sentindo mesmo a sua tristeza quando acha que tudo vai desabar em seus ombros.

Outra coisa que gostei bastante da história é que mostra o cotidiano da área de Marketing de uma empresa (sou publicitária de formação) e o modo como as pessoas tentam elaborar uma campanha ou simplesmente ter uma ideia sobre um produto. Os funcionários tentavam parecer mais intelectuais, falando palavras difíceis (a maioria delas englobando “logística”, quando às vezes as ideias surgem da forma mais simples e são essas ideias mais simples que dão o maior e melhor retorno à campanha.

Super recomendado! (Mas confesso que sou suspeita para falar, já que sou fã da autora e dos livros dela).

Uma coisa que me chateia é que o livro aparentemente teria uma versão cinematográfica, mas o projeto foi engavetado. Seria uma ótima comédia (não só ele, como outros livros da autora, mas abafem, porque minha opinião é bem parcial).

Ficha técnica:

Nome: Os segredos de Emma Corrigan
Autor: Sophie Kinsella
Páginas: 383
Editora: Record
Onde comprar: Livraria Cultura
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

  1. Eu virei muito fã da Sophie Kinsella depois de ler ‘Fiquei com o seu número’, daí eu fiquei com vontade de ler outros livros dela, mas não sabia por onde começar.
    Agora tá decidido, com certeza vou ler esse daí, parece ser tão engraçado. Adoro livros assim.

    Beijos,
    Resenhando Books

    1. Oi, Renata! Sempre gostei da Sophie, desde Delírios de consumo de Becky Bloom! Ainda estou lendo Fiquei com seu número, mas também adorei Menina de 20. Você pode procurar outras resenhas dos livros dela aqui no blog, aí terá mais opções sobre por onde começar! 😀
      Bjos!

  2. Parece um livro bem típico da Sophie hehe – não que eu tenha lido muitos dela, mas pelas suas resenhas parece que o sentimento vergonha alheia é sempre necessário!

  3. Assim como em “Fiquei com seu número”, não consegui terminar de ler esse livro: eu acabo entrando demais no clima da personagem e fico com muita vergonha alheia, chego a ficar desconfortável mesmo! Sei que parece loucura, mas até assistir Delírios de consumo foi quase um martírio hahahaha
    Enfim, acho que Sophie Kinsella não é pra mim, mas quem sabe tento de novo um dia desses….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.