Resenha: Os Últimos Dias da Noite

Os últimos dias da noite, segundo romance do jovem talento Graham Moore, é uma trama vigorosa, inspirada em eventos e personagens reais. A história recria de maneira extraordinária a disputa que em fins do século XIX opôs o cientista sérvio Nikola Tesla e o americano Thomas Edison, inventor da lâmpada, dois dos maiores gênios da história. A briga, no entanto, não envolve apenas ciência. Quando George Westinghouse decide ser o primeiro a levar a luz elétrica para o resto dos Estados Unidos — e alcançar a glória e fazer fortuna —, Edison move contra o industrial 320 processos por quebra de patentes e cobra dele indenizações milionárias. Em meio a esse embate, e sem saber absolutamente nada sobre ciência, Paul Cravath, um jovem e inexperiente advogado, é contratado para uma missão inglória: defender Westinghouse nessa causa que todos dão como perdida. Com humor raro e excelente domínio narrativo, Graham Moore mergulha nesse universo em que gênios, cientistas e industriais colocam à prova suas vaidades e ambições, numa corrida alucinante para que, no coração da noite da América, se faça a luz.

Em linhas gerais este livro acompanha as dores de cabeça e subterfúgios de um jovem advogado para defender seu cliente, George Westinghouse, na briga judicial pela patente da lâmpada elétrica. Thomas Edison moveu nada menos do que 320 processos contra Westinghouse por quebra de patente.

O autor, utilizando da liberdade literária, romanceou um momento importantíssimo da tecnologia moderna, a Guerra das Correntes. Você já deve ter ouvido falar em corrente direta e corrente alternada (e não estou falando da banda AC/DC). Lá nas décadas de 1880 e 1890, Thomas Edison, que já havia inventado um monte de coisas, entre elas o telégrafo, tinha um laboratório com uma equipe de engenheiros empenhados em fazer a lâmpada elétrica funcionar. Eles faziam uso da corrente direta, que era utilizada para iluminar algumas partes de Manhattan, mas ainda não era possível utilizá-la dentro das casas. E era isso que ele estava buscando.

George Westinghouse tentava o mesmo, mas tinha que se livrar dos problemas com os processos de quebra de patente. A ideia do recém-contratado advogado, Paul Cravath, era a criação de uma lâmpada diferente ou a comprovação de uma brecha na patente de Edison. Nesse meio tempo, por meio de uma indicação, ele chega a Nikola Tesla (sim, você já deve ter ouvido falar neste nome. Se você assistiu “Aprendiz de Feiticeiro”, o filme de 2010 com Nicholas Cage, você viu Dave, o aprendiz, se aparecendo para a menina que ele estava a fim, utilizando uma bobina de Tesla. No YouTube você também pode ver uma em ação. É muito legal!!!!). Tesla é um cientista sérvio excêntrico no qual Paul deposita toda sua esperança para a criação de uma nova lâmpada, e consequentemente para se livrar dos processos de Edison.

Westinghouse é seu primeiro cliente, mas logo ele é contratado por Agnes Huntington e sua mãe para lidar com um ex-empregador que está ameaçando expô-la de forma vergonhosa.

Boa parte do livro Paul está à caça de Tesla, que tem o dom de desaparecer.

O mais legal é a forma como a ciência é explicada. Como Paul é um advogado e não entende nada de correntes elétricas, ele pede explicações a Westinghouse de como as coisas funcionam e aí temos explicações simples da diferença entre as correntes direta e alternada. Ou seja, você não precisa ser expert em física para entender a parte científica do livro.

Ao final o autor explica as liberdades que tomou em relação a datas e tempo transcorrido ou momento do acontecimento de determinados eventos. Mas, os personagens principais e os eventos realmente ocorreram e trazem um relato muito interessante da época e de como aconteciam as grandes descobertas tecnológicas. Com diversas citações de Steve Jobs, Thomas Edison e outros, no início de cada capítulo, que mostra bem o lado comercial e a concorrência no mundo das invenções e inovações. E mostra um Thomas Edison diferente daquele que por vezes imaginamos, o cientista inventor gênio, e um Nikola Tesla extremamente excêntrico (e esquisito, mesmo!!!).

Fazia tempo que um livro não me prendia tanto (as últimas 230 páginas li em uma madrugada! Simplesmente não conseguia largar!). É uma obra inteligente e mesmo com as liberdades tomadas pelo autor, é fruto de muita pesquisa e faz com que o leitor também tenha a curiosidade de pesquisar por si os acontecimentos da época.

Como eu disse antes, não precisa ser expert em física para ler e gostar. O enredo é bem escrito e a trama envolvendo mocinhos e vilões tem uma reviravolta bem interessante no final. Super recomendo!!!!

Este livro foi gentilmente cedido pela editora para resenha.  

Ficha técnica:

Nome: Os Últimos Dias da Noite
Autor: Graham Moore
Páginas: 440
Editora: Companhia das Letras
Onde comprar: Livraria Cultura / Saraiva / Amazon
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Tais Burigo disse:

    Oi tudo bem?
    Confesso que não conhecia o livro por ora a premissa não me chamou a atenção acredito que seja por eu não curtir tanto essas coisas de ciências e tal. Mas é muito bom quando o livro nos prende e não conseguimos largá-lo né?

    Beijos

  • Driely Meira disse:

    Oiee ^^
    Lendo a sua resenha e acompanhando a história do livro, me lembrei de um trabalho de apresentação que fiz ano passado, em que falei sobre a criação dos rádios e primeiras transmissões. Tinha o nome de Tesla e Thomas Edison em minha pesquisa…hehe’
    Ainda não conhecia este livro, e mesmo não sendo bem o que eu estava procurando no momento, fiquei curiosa para lê-lo, e saber que tem um quê de verdade na história toda e que você praticamente devorou o livro, fiquei ainda mais curiosa.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

  • Dayhara Martins disse:

    Eu vi esse livro e jurei que era algo super especifico e dificil de ler, doce ilusão! Bacana saber que a trama é tão boa que você leu rapidamente e que prende de uma maneira ímpar, isso me deixou aguçada e apesar de não ser meu genero, fiquei curiosa.

  • Lauri Brandão disse:

    Oi. 🙂
    Adorei sua resenha, mas o enredo não me chamou muito a atenção.
    A capa é linda e chamativa. Nada melhor do que vc ler um livro e se perder nas páginas, nada melhor no mundo.
    Blog As Meninas Que Leem Livros – Lauri Brandão

  • Amanda Colares disse:

    Nossaaa! Não conhecia esse livro, mas achei o enredo super interessante!
    Gosto bastante de autores que usam acontecimentos reais e históricos para narrarem suas histórias.
    Vou procurar conhecer mais sobre esse livro, obrigada pela dica!
    Um beijo

    http://www.asmeninasqueleemlivros.com

  • Bruna Costabeber disse:

    Hey, tudo bem?
    Esses livros que tem uma pegada mais científica e física normalmente assustam leitores. Eu ainda não conhecia esse livro, mas fiquei interessada, pois ADORO física. Gostei de conhecer suas impressões e fiquei fascinada com a história, que tem uma premissa incrível.
    Outro ponto positivo – que me surpreendeu – foi o livro ter prendido tanto assim. Pela premissa dele, passa a impressão que seria uma leitura mais lenta e cansativa.
    Dica anotada.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

  • Ana Paula Medeiros disse:

    Oi! Que livro legal! Adoro essas obras que envolvem ficção e fatos históricos, pois é uma forma mais agradável e interessante de aprender. Lembro bem da bobina de Tesla no filme aprendiz de feiticeiro

  • Ana Paula Medeiros disse:

    Oi! Que livro legal! Adoro essas obras que se ficção e fatos históricos, pois é uma forma mais agradável e interessante de aprender. Lembro bem da bobina de Tesla no filme Aprendiz de feiticeiro (inclusive gostaria de lembrar da música que toca ao fundo, porque é muito linda). Adorei a resenha e já anotei a dica aqui. Beijão!

  • Lilian Valentim disse:

    Hi baby, tudo bem? não conhecia esse livro mas a trama parece ser bem inteligente, ainda bem que o leitor não precisa ser um gênio em determinadas áreas para entende-lo! gostei bastante da sua resenha

    Lilian Valentim
    https://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

  • Diane Ramos disse:

    Olá…
    Gostei bastante de sua resenha… Muito bem escrita <3
    Porém não curto muito o gênero a qual ela pertence, portanto, prefiro passar a dica, mas, tenho umas amigas que curtem leituras assim então vou indicar seu post para elas.
    Bjo

  • Tamires Marins disse:

    Nossa, eu vi esse livro nos lançamentos da editora mas nem me liguei muito no enredo. Não é muito o gênero que eu costumo ler, mas adoro quando os autores mesclam ficção com realidade. E bom saber que não precisa ser expert em física, pois eu detessto física! Hahahaha

    Beijos

  • Milena Soares disse:

    Nossa, não conhecia essa livro nem o autor, gosto muito de física, essa sua resenha me deixou super curiosa em conferi essa história que parece bem interessante.

  • Fabiana Scola disse:

    Que baita titulo!!!! Lendo a resenha percebe-se uma trama cheia de conflitos e bastante curiosa. Tu avaliação e o modo que descreveu a historia só confirmam um livro interessante. Mas confesso que tenho receio de ser um tanto chato ou enrolado. Acho que tua resenha ainda vai ser melhor que o livro ahahahah

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem