Resenha: Play

PLAYEle precisava de uma namorada de mentira. Ela precisava de ajuda financeira. Mas será que eles vão conseguir não misturar os sentimentos com os negócios? Mal Ericson, o baterista da mundialmente famosa banda de rock Stage Dive, precisa melhorar sua imagem, e rápido. Ter uma boa garota ao seu lado parece ser o suficiente. Mal não planejara que este artifício temporário se tornasse permanente; no entanto, ele não esperava encontrar o amor de sua vida. Anne Rollings jamais pensou que conheceria o rockstar que inundava as paredes de seu quarto na adolescência – especialmente não naquelas circunstâncias. Anne está com problemas financeiros, e dos grandes. Porém, ser paga para ser a namorada de mentira de um selvagem e festeiro baterista não poderia terminar bem, não importa se ele é muito gostoso. Será que um final feliz é possível nesse caso? Fonte

 

Sim, sucumbi aos livros de capas com roqueiros saradões, me processem. Mas confesso que comecei a ler a série Stage Dive por causa desse livro, especificamente, pois fiquei muito curiosa com a história do Malcon.

Temos aqui Anne, que levou calote de sua amiga e companheira de quarto e agora não tem condições de pagar seu aluguel. Por acaso, Anne mora ao lado da casa de Lauren, que por acaso é a melhor amiga de Evelyn, esposa de David, o guitarrista da banda Stage Dive (confiram a história desse casal em Lick). Lauren, que de vez em quando entra sem bater no apartamento de Anne, acaba a convidando para uma festa na casa de Ev, onde ela encontra Mal – não por acaso o integrante da banda que ela é fã de carteirinha. Pois é, quantas coincidências.

De alguma forma, Mal ouve os problemas de Anne e se oferece para dividir o aluguel com ela, já que ele morava de favor na casa de Dave e acaba de ser expulso. Ah, claro. Em troca desse “favor”, Anne deveria dizer que os dois estavam namorando. Que difícil, não? Para Anne, sim, já que ela tem alguns princípios, apesar de estar realmente precisando da grana.

Em todo o caso, Mal é um cara beeeeem persistente e que não ouve “não” com muita frequência. Aí é que a confusão está armada, porque todos os amigos já acreditam no envolvimento entre eles, então… por que não? Anne acaba aceitando fazer papel de namorada de Mal. Porém, quando os dois se envolvem pra valer é que fica tudo muito complicado, principalmente para Anne.

O problema? Anne, embora pé no chão, é muito romântica! E digamos que Mal não teve muitas namoradas fixas, então ele não tem noção de como se comportar, o que provoca uma tremenda insegurança à Anne. Ela sabe que estão curtindo o momento, mas ela não consegue evitar se apaixonar por Mal. E, bem… Digamos que mesmo apaixonado, Mal é muito, muito imaturo  e inconsequente – interessante dizer que ele já está na fase adulta tem um tempinho, mas talvez apenas na idade.

Eu gostei da leitura, é um estilo bem previsível de new adult, porém viciante. Acho que Mal deveria sofrer mais do que sofreu, mas como Anne é muito romântica, tende a perdoar com uma facilidade incrível. Os dois têm uma ótima química juntos e a leitura vai agradar muito os fãs do gênero.

Ficha técnica:

Nome: Play
Autor: Kylie Scott
Páginas: 320
Editora: Universo dos Livros
Onde comprar: Amazon
Minha avaliação:

Compartilhe:
  • 2
  •  
  •  
  •  


  • Milena Soares disse:

    Estou doida pra ler esse livro, curto muito um new adult e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

    [Reply]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem