Resenha: Princesa Adormecida

Princesa adormecida“Era uma vez uma princesa… Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única. Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim…”

Quando a Record divulgou que a Paula Pimenta lançaria uma coleção de livros com adaptações de contos de fadas para os dias atuais, eu fiquei muito animada. O conto dela em O Livro das Princesas foi o que eu mais gostei e foi ele que tornou o livro mais do que especial. Quando eu li que o primeiro livro a ser lançado seria sobre A Bela Adormecida… Quase saí pulando de felicidade! Esse foi um dos desenhos animados que eu mais assistia quando era criança porque eu tinha o VHS (acho que acabei de denunciar a minha idade). Até hoje eu ainda sei falas e músicas decoradas! Mas, infelizmente, Princesa Adormecida não alcançou as minhas expectativas…

Em Princesa Adormecida conhecemos a história de Áurea Roseanna, ou como ela ficou conhecida no Brasil, Anna Rosa. Ela estuda em um colégio só para meninas e é criada por três tios muito protetores: Petrônio, Fausto e Florindo. Ela percebe que as suas amigas nos momentos de folga saem, vão para bares, conhecem meninos… Mas os seus tios não deixam! Até o dia do seu aniversário, onde através da ajuda das suas amigas, ela consegue conhecer o mundo fora dos muros. E, se antigamente o príncipe aparecia em um cavalo branco, ele agora aparece através da tela de um telefone celular…

Vocês podem notar que eu falei muito pouco do enredo em si. A própria sinopse do livro não diz muita coisa (e sinceramente, ela me deixou um pouco confusa porque eu imaginei algo completamente diferente do que realmente o livro é). Eu fico com medo de acabar soltando algum spoiler, principalmente porque todo mundo já sabe o enredo no qual Paula Pimenta baseou o seu livro. Por isso prefiro não entrar em detalhes para não estragar a surpresa de ninguém.

Todos os pontos básicos do conto de fadas estavam presentes. Vocês podem notar que os três tios tem relação com as três fadas madrinhas: Flora, Fauna e Primavera. E sinceramente esse foi uma das melhores adaptações de todo o conto! Eu queria que os três tivessem aparecido mais porque eles são muito engraçados (e eu adorei que o Florindo é dono de um salão de beleza). Os outros componentes também estavam lá, como a maldição, a bruxa má, o beijo… Apesar de ter achado muito interessante a maioria das adaptações separadamente, quando eu analiso o livro como todo… Ele não me traz o mesmo sentimento de que o conto de fadas original. Eu sei, é claro que ele vai ser diferente, mas no caso da Princesa Pop, eu fechei o livro e conseguia totalmente perceber o conto da Cinderela ali. E isso não sei repetiu em Princesa Adormecida. Uma das minhas teorias é que os pontos centrais do conto original não são fáceis de serem adaptados. E se formos comparar, o enredo da Paula foi muito melhor do que o do conto de Lauren Kate em O Livro das Princesas, por exemplo

Mas talvez o meu problema tenha sido com o “príncipe”. Apesar das conversas através de mensagens no celular ter sido bem pensada, não sei se foi a melhor solução para a história. Por causa disso, o príncipe quase não apareceu! Eu queria sentir o mesmo carinho que eu sentia com o príncipe do desenho animado… E infelizmente, isso não aconteceu. Isso não significa que eu não tenha gostado dele, mas… Expectativas é sempre um problema muito grande quando nós vamos ler algo. Eu tenho que ser justa e dizer o que eu senti durante a leitura. Sério, não é fácil escrever essa resenha, porque eu realmente queria dar cinco estrelas para esse livro.

Mas voltando aos pontos positivos eu ADOREI, ADOREI, ADOREI como o conto das diferentes princesas vão compartilhar o mesmo mundo e talvez uma próxima princesa já tenha sido apresentada. Assim nós podemos sempre esperar que personagens antigos apareçam – nem que seja um pouquinho! A Paula também inseriu uma música que podemos dizer que é a “trilha sonora” do livro e que combina completamente com essa princesa. Eu não conhecia essa música e tive que procurá-la – mas me encantei completamente por ela!

princesa 2

A capa de A Princesa Adormecida é LINDA (sério, se a série toda for assim, vai ficar linda na estante). A diagramação também está muito caprichada, e as partes de mensagens de texto, bilhetes e recortes de jornal tem toda uma arte diferente. E a dedicatória? Quase chorei quando abri o livro!

princesa

Enfim, Princesa Adormecida é aquele livro bonitinho que te envolve e que você lê em um dia só (ele tem menos de 200 páginas, é bem pequeno). Infelizmente, eu esperava muito mais da autora (principalmente por já ter lido obras anteriores dela). Eu li vários comentários de pessoas que amaram o livro então… Bem, será que dessa vez eu tive uma opinião que ninguém vai concordar? Não sei! Por isso leiam e venham aqui contar o que vocês acharam!

Ficha Técnica

Título: A Princesa Adormecida
Autor: Paula Pimenta
Editora: Galera Record
Páginas: 192
Onde comprar: Livraria Cultura
Avaliação: 

Essa postagem está participando do Top Comentarista de Julho. Por favor, preencha o formulário abaixo após postar seu comentário. Basta clicar na imagem para abri-lo em nova página!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Melissa de Sá disse:

    Eu gosto muito de livros que revisitam contos de fadas, mas quando peguei esse livro na livraria, fiquei com o pé atrás. Essa sinopse muito vaga me deixou confusa. Eu não consegui realmente imaginar a história que ia ser contada. Tudo bem, todos sabemos que é A Bela Adormecida, mas não consegui sentir pra onde esse enredo ia. Aurora nos dias atuais: mas como?

    Que pena que o livro não atendeu as suas expectativas. É sempre chato quando isso acontece com nossos autores favoritos.

  • Fabiana Strehlow disse:

    Apesar de eu ter lido ótimos comentários sobre este livro e gostar de uma releitura de contos de fadas, Princesa Adormecida não conseguiu me encantar.
    Então, eu concordo plenamente com a sua opinião, Lany!

  • Nayara disse:

    Ain Lany… tão ruim quando a gente tem uma expectativa alta em relação a alguma coisa e acaba se desiludindo…
    Eu fiquei também um pouco com o pé atrás com esse livro… fiquei pensando se comprava ou não… fiquei bem na dúvida, porque eu adoro essas histórias de conto de fadas revisadas! São bem interessantes!
    Adorei a resenha, Lany. Ainda continuo com o pé atrás… afinal, a Bela Adormecida não é uma das minhas princesas favoritas.
    Beijos!

  • Douglas Fernandes disse:

    Eu tenho muita vontade de ler algo da Paula Pimenta, vejo muita gente falando bem dos livros dela, eu adoro essas releituras dos contos, da pra matar a saudade, conhecer as historias de um jeito diferente, eu adoro esses livros.

  • Michele Lopez disse:

    Não gosto muito de livros que tratem sobre contos de fadas. Não é muito minha praia. Prefiro vampiros e monstros rsrsrs
    Mas parece ser um bom livro para quem gosta do gênero. Quem sabe quando eu enjoar dos imortais, eu queira ler este livro.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem