Resenha: Prodigy + Champion

Vocês devem ter achado muito estranho o título. Mas como assim a resenha de dois livros em um único post? Pois é! Eu li Champion e o livro foi TÃO BOM que eu simplesmente tinha que fazer a resenha dele! Mas quando eu entrei aqui no PEP percebi que… Bem, eu não tinha feito ainda a resenha de Prodigy. Mas como eu já li o livro faz muito tempo, não teria como eu fazer uma resenha completa sem reler o livro. Por isso, vou comentar sobre a minha opinião no geral sobre o segundo livro da série Legend e a resenha detalhada sobre o terceiro e último livro, Champion.

ATENÇÃO: Essa parte da resenha contém spoilers de Legend.

Prodigy“Os opostos perto do caos. Depois que um cataclismo atingiu o planeta Terra, extinguindo continentes inteiros, os Estados Unidos se dividiram em duas nações em guerra: a República da América, a oeste, e as Colônias, formadas pelo que restou da costa leste da América do Norte. June e Day, a menina prodígio e o criminoso mais procurado da República, já estiveram em lados opostos uma vez. Agora eles têm a oportunidade de lutar lado a lado contra o controle e a tirania da República e, assim, alterar para sempre o rumo da guerra entre as duas nações. Resta saber se estão preparados para pagar o preço que as transformações exigirão deles.”

 

Como nós comentamos várias vezes aqui, parece que todos os livros agora tem que ser séries. Muitas vezes o autor não tem conteúdo para três livros (ou até mais) mas mesmo assim ele escreve, ou melhor, enrola. Esse não é o caso da série Legend: Marie Lu tinha um planejamento coerente para cada um dos seus livros. Mas, mesmo assim, Prodigy continua sofrendo um pouco do mal de muitas séries: “a maldição do segundo livro”. Normalmente, o que acontece: você lê o primeiro livro e acha brilhante. Quando vai ler o segundo… É totalmente diferente do primeiro. Ele é arrastado, uma ponte entre dois livros. Ou então você fica se perguntando: “Mas porque essa série não são só dois livros?”. Prodigy não chega a ser nenhum desses casos extremos, mas a narração é muito mais arrastada do que o primeiro. No início pouca coisa acontece, já que essa parte é basicamente uma apresentação dos novos personagens. O livro continua sendo narrado pelo Day e pela June e o desenvolvimento dos dois foi excelente. June não é aquela protagonista sofredora e que fica de “mimimi”, mesmo com todos os problemas que estão acontecendo. Day continua sendo aquele personagem carismático que me conquistou desde o primeiro livro. Mas o ponto alto de Prodigy é o final. O final é digno de uma distopia e te deixa querendo ler o próximo livro da série naquele momento. Marie Lu foi muito audaciosa e foi por causa disso que, mesmo com os problemas iniciais, eu dei quatro estrelas para esse livro.

ATENÇÃO: Essa parte da resenha contém spoilers de Legend e spoilers importantíssimos de Prodigy.

Champion“Ele é uma lenda.

Ela é um prodígio.

Quem vai ser o campeão?

June e Day sacrificaram muito pelas pessoas da República – e por eles – e agora o país está próximo de uma nova existência. June está de volta nas boas graças da República, trabalhando no círculo da elite do governo como Princeps Elect enquanto Day recebeu uma posição militar de alto nível. Mas nenhum deles poderiam adivinhar as circunstâncias que os reuniriam novamente. Logo quando um tratado de paz está iminente, um surto da peste causa pânico nas Colônias, e a guerra ameaça as cidades na fronteira da República. Essa nova cepa da praga é mais mortal do que nunca, e June é a única que conhece a chave para a defesa do seu país. Mas salvar a vida de milhares significará pedir a aquele que ele ama desistir de tudo o que ele tem.” (tradução livre da sinopse).

Eu não sou uma autora, mas eu acredito que escrever o último livro de uma série deve ser muito difícil. Você deve responder as perguntas dos livros anteriores de uma forma coerente, fechar a história de uma forma satisfatória e tentar colocar algo de inovador ou pelo menos diferente. Eu fiquei muito contente com Champion, porque Marie Lu conseguiu me surpreender bastante durante a leitura mas não foi nada forçado, com tentativas de finais mirabolantes. Ela fez algo simples, mas que com certeza eu nunca me esquecerei.

Champion é um livro tão especial porque os personagens brilharam nele. Como ficamos sabendo no final de Legend, Day tem poucas semanas de vida. Por mais que os médicos tentem diversos tipos de tratamento para o tumor no cérebro de Day, ninguém pode dar nenhuma garantia de que ele poderá fazer a cirurgia. É claro que isso levou a cenas muito emocionantes durante todo o livro, principalmente porque ele é o herói da população. Mas esse herói, infelizmente, estava com os dias contados e ele não podia fazer nada quanto a isso. Day é um personagem tão carismático que a cada crise que ele tinha, eu tinha que parar um pouco a leitura. Eu não conseguia ler sobre o sofrimento dele, porque eu queria que tudo ficasse bem. Ele é uma lenda – e ele mostrou o livro inteiro que ele merece esse título.

“But I’m not some invencible super-soldier – I’m a dying boy who’s about to be stuck, helpless, in the hospital while an enemy takes over our country.”

Mas não é só Day que brilha – June também. É impressionante o quanto ela cresceu durante toda a trilogia. Agora ela consegue entender melhor os seus sentimentos e consegue separar o que realmente é importante. Com a iminência de uma nova guerra, ela sabe que é importantíssimo ajudar o novo Elector, Anden. E ela faz de tudo para conseguir defender a República, porque ela acredita que Anden pode ser realmente diferente do pai dele e mudar a estrutura dessa sociedade.

“No matter what happens in the future, no matter where out paths take us, this moment will be ours”.

É claro que o romance tem um enfoque nesse livro – mas os protagonistas não ficam só preocupados com eles mesmos. É LINDO como Day se preocupa com o seu irmão mais novo e faz de tudo para protegê-lo. Esse amor entre irmãos é tão difícil de ser encontrado na literatura e Marie Lu conseguiu passar esse sentimento de uma forma muito singela.

“If there’s one thing I know about you,” he says, “It’s that you’re not selfish.”

Além dos personagens, o desenvolvimento da história foi muito interessante. Eu gostei de como a autora trabalhou a sociedade distópica, mostrando ao leitor características novas desse mundo, mesmo sendo o último livro. Eu acredito que o mundo da ficção não precisa seguir as mesmas normas que o nosso, mas o autor não pode ir criando regras aleatória. O autor pode acabar chegando em um momento em que ele se contradiz – e felizmente não foi isso o que aconteceu nessa série. As explicações foram em alguns momentos simples, mas faziam sentido com o mundo criado. Inclusive, em um certo momento, ela se baseia em alguns conceitos da biologia – e, mesmo sendo nessa área, não encontrei nenhuma falha no argumento.

O único ponto que eu realmente tenho críticas foi o final. O final foi espetacular – mas foi muito corrido. Se o problema era o número de páginas, a autora poderia ter resumido algumas partes anteriores para poder desenvolver melhor os últimos acontecimentos. Teve um momento que eu pensei que o livro tivesse acabado, e eu fiquei EXATAMENTE assim (sem a chuva, é claro).

DW

(Fonte)

Mas foi pegadinha – o livro não acabou e eu fiquei um pouco mais feliz quando li o último capítulo.

Enfim, Legend pode não ser a minha distopia favorita, mas é uma série em que a leitura simplesmente flui. Fico muito feliz de ter acompanhado a jornada de Day e June porque, no final, o que realmente importa é se o livro de alguma forma mudou o leitor. E eu vou para sempre levar comigo um pouquinho dessa linda história dos dois.

Ficha Técnica

Título: Champion
Autor:  Marie Lu
Editora: Penguin(No Brasil, será lançado pela Editora Prumo)
Páginas: 384
Onde comprar: Livraria Cultura/Livraria Cultura (e-book)
 Avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 2
  •  
  •  
  •  


  • Dâmaris Carvalho Lima disse:

    É muito difícil encontrar um série de livros perfeita, em que o autor não se perde ou fica enrolando na história ou resume demais seu final (uma série perfeita pra mim é senhor dos anéis), mas mesmo assim gostaria de ler os livros dessa série!

  • Sabrina Inserra disse:

    OMG! #TamoJunto, Lany!!!
    O que foi o final de Champion??? All the feels!!!
    Ainda bem que teve aquele *spoiler* avanço no tempo com um “novo final” – que foi lindo!
    Fiquei muito feliz em ter lido essa série! <3
    Day é muito amor!! *___*
    Beijocas

  • Ana Paula Candido da Silva disse:

    Wau, não sei se leria esse livro, saber q ele tem pouco tempo de vida já me deixa triste, mais deve ser ´lindo

  • Carol Della Torre disse:

    Li Legend semana passada e gostei bastante. Não achei nada excepcional como muita gente falou, mas uma boa distopia. Pretendo ler Prodigy esse mês ainda, mas fiquei um pouco receosa com o que você falou dele.
    Beijos,
    http://rehabliteraria.blogspot.com.br/

  • Julliany disse:

    Caraaaa, quero muito ler esse livro *-* apesar de já estar desesperada pelo Day estar morrendo no final, #trágico, certeza que já tá na minha lista de leituraaas

  • Rita Cruz disse:

    Ahhh como você quer que eu leia a resenha se tá cheia de spoilers? O.o
    Quero muito ler essa série distópica. Li a sinopse e achei bem interessante e cada resenha que eu leio essa vontade só aumenta.
    Quero os livros pra mim, então estou tentando evitar a curiosidade extrema e ler em e-book, pois quando vou comprar, priorizo os livros que ainda não li,

  • Isa Aragão disse:

    Oi Lany tudo bem?
    Então, li Legend e Prodigy e amei. Day me conquistava a cada minuto. E também achei que o começo de Prodigy foi meio enrolado e devagar, mas depois o ritmo foi aumentando e o final foi surpreendente. Estou louca para ler Champion, mas sabe como é né? 3° ano, cadê o tempo para ler todos os livros que quero? haha
    Beijos enormes :*
    isaaragao.blogspot.com.br

  • Ycaro Santana disse:

    Esta é a série de distopia que mais estou com vontade de conhecer no momento. As capas são simples, bonitas, e a trama parece excelente!

  • Hellen disse:

    Acabei de ler Prodigy e achei ele muito bom! Pra mim, melhor do que Legend rs. Estou muito ansiosa pra ler Champion, mas vou ter que esperar sair em português, por que meu inglês é foda rs. Estou muito ansiosa!

    Adorei a sua resenha!

  • Top Ten Tuesday: 10 melhores livros que eu li até agora em 2014 « Por Essas Páginas disse:

    […] Champion, Marie Lu [Resenha] – Apesar da série Legend não ser a minha distopia favorita, eu gostei bastante por causa de […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem