Resenha: Real

De todos os meus guilty-pleasures literários, eu não lembro de nenhum que abordasse boxe clandestino (oi, não li Belo Desastre, nem vou ler tão cedo) e não tinha ideia do que encontraria. Esse foi um dos motivos pelos quais escolhi Real quando a Novo Século o disponibilizou para resenha. Além disso, já tinha lido algumas resenhas interessantes sobre ele, então quis tirar as minhas conclusões.

REALSinopse: Remington Tate tem a reputação de ser um bad boy, dentro e fora. É conhecido também pelo corpo escultural e pelo poder, sexy e selvagem, que emana de cada gota de suor, levando toda e qualquer mulher que o veja a um verdadeiro frenesi. Em seus olhos, brilha um desejo brutal, devastador e real. Brooke, uma especialista em fisioterapia esportiva, é contratada para manter aquele corpo funcionando como uma máquina mortal. Esse parecia ser seu emprego dos sonhos, mas, ao circular pelo perigoso circuito de lutas clandestinas com Tate e sua equipe, Brooke passa a ser dominada por um novo sentimento, um fogo e uma necessidade com os quais ela não sabe lidar. O que começa com um simples flerte pode virar uma obsessão sexual incontrolável. Terríveis segredos serão revelados, e Brooke deverá lutar para manter-se sã, discernindo o que há de real e o que é pura ilusão em seus próprios sentimentos. Fonte

Eis aí um livro que eu gostei, mas… sempre tem um mas. Bem, vamos por partes.

Temos então Brooke, uma ex-atleta que se especializou em fisioterapia esportiva, que vai assistir a uma luta de box clandestino incentivada com sua amiga Melissa e eis que ela vê Remington Arrebatador Tate pronto para lutar. Preparem-se para uma história de “atração à primeira olhada”, com intensidade master e bem exagerada – a autora não poupou detalhes. Além disso, diante de tantas pessoas ali no ringue, Remington é atraído diretamente para Brooke, a ponto de sair do ringue e ir conversar com ela depois de ganhar por nocaute. Pode isso, produção? Certo, então.

Calma, meu povo! Ele foi falar com ela, mas foi apenas para se apresentar e pedir telefone! – assim, no meio da muvuca mesmo, o que é que tem? E, contra toda a expectativa de Brooke, dias depois ele a convida… para trabalhar para ele, como fisioterapeuta, claro! Tcharam!

Brincadeiras à parte, é nessa hora que a história começa mesmo a engrenar, porque (não temos sexo selvagem logo em seguida e não cai na mesmice) o relacionamento dos dois vai crescendo aos poucos e conhecemos melhor o Remi. Os dois passam a se conhecer também através das músicas que compartilham. Então, quando ele não sabe como dizer à Brooke como está sentindo, eles trocam figurinhas, ou melhor, playlists. Inclusive, a autora disponibilizou os nomes das músicas que eles compartilham; para quem gosta de ler ouvindo trilha sonora, está aí a dica.

No decorrer do livro, passamos a entender melhor os dois protagonistas, Brooke, que teve sua carreira de corredora interrompida e sente certo trauma com isso, um tanto “certinha”, mas não nega sua atração por Remington, e Remi, que teve uma infância difícil com pais que o abandonaram à própria sorte devido ao seu transtorno bipolar. Ele só se permitiria chegar perto de Brooke quando ela soubesse realmente quem ele era e onde estava se metendo, porque ele sabia que não seria fácil para ela lidar com os períodos “on” e “off”. Além disso, ele tinha medo de que machucá-la e que ela fosse embora.

O livro é bem intenso, narrado em primeira pessoa pela Brooke e epílogo por Remington. O uso de palavrão é recorrente (e cansativo), como sempre me incomodando – e não foram apenas entre quatro paredes, povo boca suja mesmo. Outra coisa que me irritou um pouco foram as reações exageradas (de revirar os olhos) de Brooke quanto ao Remington e também a obsessão de Remington por manter Brooke sempre por perto. Coisa de mandar o casal tomar uma ducha fria, porque estava difícil se controlarem ali.

Exageros à parte, esse tipo de livro é sempre viciante, então não há de ser nada que atrapalhe a leitura de quem gosta de histórias com romance literalmente arrebatador. Além disso, teremos a continuação com “Mine”, que a Novo Século já está preparando para lançamento.

Este livro foi gentilmente cedido pela Novo Século para resenha.

Ficha técnica:

Nome: Real
Autor: Katy Evans
Páginas: 304
Editora: Novo Século
Onde Comprar: Livraria Cultura / Amazon (em inglês)
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Ana disse:

    É uma leitura erótica ou só um pouco quente? kkkkkkkkkkk fiquei curiosa, parece bem interessante e sobre a parte do povo boca suja, quando é no momento certo eu até gosto, essas cosias certinhas demais irritam, esse povo que nunca briga, então quando acho um livro assim eu até que gosto. è um livro grande, você demorou pra ler? Ultimamente to querendo livros que fluem pra acabar rápido e eu possa ler outro, to pegando essa mania, estão esses livros que fico um mês lendo não descem

  • Marília Sena disse:

    Parece um bom livro (e sou amante de Belo Desastre e do Travis, meu guilty-pleasure), mesmo com essas características comuns a livros do gênero… Atração à primeira vista (não digo amor porque é como você disse, o relacionamento se desenvolveu aos poucos), mulher inocente, mas que não esconde a crush pelo cara gostosão, ele é problemático, tem a parte dos palavrões e do ciúme vinculado à obsessão. Sim, bem típico, porém eu confesso que adoro hahaha.
    PS.: eu não gostei da capa.
    Ótima resenha, abraços!

  • Fabiana Strehlow disse:

    Oi, Lucy!
    Embora pareça ser bem interessante, não acredito que o leria. Pelo menos, não agora.

    Ótima semana!

  • Douglas Fernandes disse:

    Esse é um tipo de livro que não gosto, então não sei direiro o que comentar, o que eu espero do livro pq nem sei mesmo se vou ler o livro… hahahaha

  • Débora Mille disse:

    Não foram muitos new adults que me interessaram. Mas este me chamou a atenção. Bom, apesar da sinopse apelar bastante pro erotismo, e pro corpo escultural do rapaz, e bla bla bla (livros de banca não tem descrição muito diferente disto). Acho que foi o boxe e o submundo das lutas que me interessou.
    Mas estou rezando pra que mocinho não seja destes machistas dominadores…

  • Gustavo disse:

    Nunca me interessei por essas coisas de boxe clandestino ou qualquer tipo de luta clandestina, e esse livro não é um que me chame tanto assim a atenção pra eu “contornar” essa minha falta de interesse. Esse é uma leitura que talvez eu faça se eu não tiver mais nada pra ler.

  • Karolyne K. disse:

    Todo mundo falando desse livro \o/
    Vou confessar, leio livros do gênero mas está começando a ficar bem cansativo para mim, entende? Claro que alguns ainda me chamam a atenção (como este), mas a maioria parece tão do mesmo e sei lá…
    Eu ainda não consigo entender o porque de tanto falatório em torno de alguns, masssssssssss….. como não vem ao caso, lerei este sim, quando der né… para conferir e quem sabe não gosto?

  • Juliana Holdefer disse:

    Louca pra ler esse livro, já tinha visto ele, e essa capa é maravilhosa. Adoro livros eróticos!

  • Resenha: Meu « Por Essas Páginas disse:

    […] livro pode ter spoilers de Real, mas nada que prejudique o entendimento ou […]

  • Daniele Reis disse:

    Me lembrou muito Belo Desastre (acho que é característica do gênero mesmo, né?), enfim, está na minha lista, porém acho que não tenho urgência em ler huehuehuhe

  • Helio de Oliveira e Souza disse:

    Romance e drama do casal e cheio de altos e baixos bastante tumultuado a vida de Remi e bem violenta com as lutas ilegais e dão mais calor a historia dos dois gostei a autora soube dar gosto a obra dela e deixar tudo interessante.

  • Lydia Karla disse:

    È um personagem incrível, que sabe o que quer, mas também com muita dor em seu passado….adorooo

  • Amanda Ferreira disse:

    Adorei esse livro ! <3

  • ELIZABETH MACHADO SALLES disse:

    Estava um pouco receosa antes. Mas depois de ler seus comentários fiquei mais animada. Estou cansada de romances sem conteúdos. Vou confiar no que li aqui e vou tentar ler também.
    Beijos.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem