Resenha: Reiniciados


Olá! Esse é o primeiro livro que leio da Ed. Farol Literário depois da nossa parceria, não exatamente o primeiro que escolhi para ler. Mas como sou uma pessoa… compulsiva, neurótica, ansiosa e impaciente (@_@) curiosa, resolvi adquirir o e-book de Reiniciados depois de algumas resenhas que li.

REINICIADOSSinopse: As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade? Fonte

O livro é sobre Kyla, uma jovem de 16 anos que foi Reiniciada. Isso quer dizer que ela pode ter sido uma criminosa no passado e teve sua memória apagada. Por isso, teve que aprender coisas básicas, até mesmo como falar e andar. Ela também tem suas emoções constantemente monitoradas por um “nivo”, um aparelho que é preso ao pulso do reiniciado e que marcas os níveis de “humor,” digamos assim. Quanto mais baixo, mais próximo de um colapso a pessoa pode chegar, levando até à morte.

Eu não sei de nada. Como pode isso não ser… estranho?.

Todo Reiniciado é encaminhado para uma nova família para se adequar melhor às regras da sociedade e, se tudo correr bem, ter seu nivo retirado aos 21 anos. E eis que Kyla encontra sua família: seus pais e sua irmã, também Reiniciada, se tornando assim o mais novo membro da família Daves. Ela sabe que recebeu uma segunda chance e que se a desperdiçar, poderá voltar para o hospital da Dra Lysander, sem saber ao certo o que poderá lhe acontecer.

Como uma Reiniciada, Kyla simplesmente redescobre o mundo. As sensações de um dia comum em casa, ver um gato pela primeira vez na vida (pós-Reiniciada) e ver o nascer do sol pela primeira vez (o interessante é que o gato servia como um tipo de fio condutor para ajudar a Kyla a manter os níveis de seu nivo estáveis). As descrições feitas no livro são incríveis e conseguimos captar bem que Kyla sentia. É como se ela fosse uma criança, mas em um corpo de adolescente.

Claro que nem tudo são flores. Depois que Kyla vai para o colégio, ela descobre que muitas pessoas tem preconceito contra Reiniciados, algo que beira à intolerância radical – e que me assustou mais para o final. Além disso, Kyla tem que ser monitorada pela Sra Ali, que finge simpatia, mas pouco se importa com a jovem, além de participar de reuniões de Reiniciados uma vez por semana, para ajudar em sua adaptação à sua nova família e à vida em sociedade. Outro problema são os pesadelos recorrentes de Kyla, sonhos perturbadores com uma praia e um muro de tijolos. Ela acredita que sejam fragmentos de sua antiga vida e se questiona se quer mesmo saber quem era e o que fez no passado para ter sido reiniciada.

Se o passado é intolerável, por que ir atrás dele? (…) Dei de ombros. Porque é o meu passado.

Como uma Reiniciada, ela mantém essa informação sobre os sonhos para si, inclusive o fato de conseguir desenhar melhor com a mão esquerda do que com a direita. Mas sua curiosidade aumenta à medida em que ela percebe que algumas pessoas (Reiniciadas ou não) desapareceram sem um motivo aparente, apenas por falarem o que pensam. Kyla se questiona sobre o motivo pelo qual as pessoas são Reiniciadas e o que acontece para as pessoas acima de 21 anos que não podem mais ser reiniciadas.

Sou uma página em branco. Uma página sem graça. (…) Talvez eu não goste de me sentir em branco.

Apesar de todas essas complicações em sua nova vida, Kyla conhece Ben, um jovem Reiniciado que logo se torna seu amigo (e algo mais). Os dois começam a praticar corrida, que ajuda a estabilizar seus nivos. Também é durante a corrida que os dois parecem mais lúcidos, pensam mais por si mesmos, e começam a formar teorias sobre os desaparecimentos, as circunstâncias e tudo o mais relacionado ao Governo e ao projeto Reiniciados, ao mesmo tempo em que ambos devem tomar cuidado para que não sejam devolvidos para o hospital.

De alguma forma sei que, enquanto eu estiver fazendo o muro, tudo ficará bem.

Eu gostei muito da narrativa. O livro é em primeira pessoa, então acompanhamos de perto o ponto de vista de Kyla, tudo o que ela pensa e sente. O fato de se sentir angustiada por não saber de onde veio, várias perguntas e nenhuma resposta satisfatória e ainda não saber em quem pode realmente confiar em sua própria família, pois qualquer deslize será motivo para que ela seja devolvida para a Dra Lysander e provavelmente morta. Por conta disso, ela até tenta ser uma boa Reiniciada, com juízo, mantendo uma distância segura de Ben (o que é bem difícil, já que os dois se sentem atraídos um pelo outro), mas são tantas dúvidas e tantas pistas que surgem de modo subliminar, que ela acaba contagiando Ben.

Ninguém que tenha sido condenado de verdade está desaparecido. Os pais saberiam o que houve.

Em tempo: Como um Reiniciado é alguém sem memória, ele se torna bem inocente e completamente sugestionável. Você fala uma coisa, ele acena com a cabeça e sorri (parecendo drogado) bobamente. Kyla sempre conseguiu pensar por si própria, diferente de outros Reiniciados, inclusive Ben, que embora fale e pense normalmente, ele tende a se tornar sugestionável quando seus níveis estão estáveis e mais rebelde durante suas corridas, uma vez que é com a corrida que ele consegue driblar o monitoramento do nivo.

É como se a corrida mostrasse quem ele realmente é.

Tem uma coisa que me intrigou depois de duas passagens:

Seja lá o que eu tenha feito, ainda está aqui, ainda é parte de mim, escondida em algum lugar.

Seja lá quem for Kyla, há outra pessoa escondida. E, na verdade, é dela que eu tenho medo.

Fora isso, bem no final também tem outras pistas que não posso revelar, e que eu tenho uma pequena teoria sobre elas, mas tenho medo de ser SPOILER, portanto, vou colocar em uma cor diferente (já aviso que é uma teoria minha, não foi nada indicado no livro):

Kyla demonstra medo em descobrir quem ela realmente era. Parecia que ela sabia que tinha um tipo de dupla personalidade, o que me faz pensar que talvez ela tenha sido reiniciada mais de uma vez, sendo que a primeira não foi pelo Governo.

PRONTO, PASSOU O PERIGO!

Essa é uma distopia diferente das outras, porque tudo é relacionado à mente. O livro pode não ter muita ação, mas faz você raciocinar sobre o universo criado pela autora sem se cansar, mesmo com Kyla falando de seus medos e incertezas. Existe o Governo, existe um grupo terrorista e existem pessoas que desaparecem, geralmente consideradas criminosas. No decorrer da história, descobrimos que há outras formas de pessoas virarem Reiniciadas, mas aí eu deixo por conta dos leitores, para não estragar nada.

Os personagens são marcantes e mesmo aqueles com quem a gente não simpatiza acabam nos surpreendendo. Inclusive, a mãe de Kyla que no começo parece muito antipática, mas depois passamos a gostar mais dela. O pai de Kyla, por outro lado, no início me pareceu muito bonzinho, para no final se tornar alguém muito suspeito. Aliás, não acredito que ele trabalhe onde disseram que trabalha. Amy, a irmã, é um doce, mas às vezes me irritava. Quando soube de sua verdadeira história (contada por uma fonte não 100% confiável), eu fiquei com muita dó. E, claro, temos Ben. Ele é um personagem muito cativante e apesar de eu não ter concordado com o que ele fez em determinado momento, estou torcendo muito por ele e pela Kyla , já que o destino resolveu aprontar das suas logo no final do livro.

A única coisa que me incomodou no livro foi encontrar pequenos erros do tipo “nada de mais” (quando no contexto indicado era “nada de mas”), mas isso não me impediu de dar nota máxima ao livro.

FRAGMENTADASuper recomendo a leitura. E corram, porque a Farol Literário vai lançar o segundo livro, Fragmentada,  em novembro. A capa ficou linda, aliás! Inclusive, se vocês acessarem a página do facebook ou o twitter da editora, poderão ver que estão sendo postadas algumas dúvidas que ficaram pendentes nesse primeiro volume para atiçar a curiosidade dos leitores e aumentar a ansiedade para ler o segundo livro.

Ficha técnica:

Nome: Reiniciados
Autor: Teri Terry
Páginas: 432
Editora: Farol Literário
Onde comprar: Livraria Cultura
Minha avaliação: 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Karen disse:

    Poxa, Lu, deu vontade de ler depois dessa resenha. Gostei de se tratar bastante de morte e tals. Premissa interessante. E tu não se aguentou com o spoiler hein? rsrs Mas ficou legal o jeito que tu colocou, nem li, ficou fácil de passar por ele.

  • Lucy disse:

    Não era bem um spoiler, era uma teoria, mas se alguém que não leu o livro quiser ler, pode perder a graça (e eu posso estar completamente errada sobre o que falei! hahaha)
    Bjs!

  • Caroline Centeno disse:

    Bom dia, flor do dia,
    Baah! Eu conheci esse livro por outra blogueira que postou ao lançar na Farol só que a sinopse não me chamou atenção a primeira vista e lembro que a guria que postou estava louca por ele xD
    E dando mais uma chance pude ler sua resenha e ficar muito,mais muito curiosa para conhecer a história de Kyla.
    Espero poder ler logo…(:

  • Lucy disse:

    Oi, Carol! Eu já fiquei curiosa sobre o livro, mas achei que seria muito meloso, porque com certeza teria algum romance por ali. Só que não foi bem assim, embora tenha uma pitada de romance, por enquanto não houve tanta melação. rsrs Só espero que o próximo não me decepcione!
    Espero que vc goste! :D
    Bjos!

  • Ana Paula Ramos disse:

    Oie.

    Bem legal a historia do livro! Gosto de distopias, e acho que vou gostar deste.
    Gosto qdo o livro se aprofunda na mente das pessoas, fazendo com que agente pense um pouco mais, e deve ser bem legal ir aprendendo junto com a protagonista, como o livro é em primeira pessoa e ela não sabe oque aconteceu…..
    Vão ser só dois livros?

    bjos

  • Lucy disse:

    Oi, Ana! Esse aqui a ação será voltada provavelmente para o segundo ou terceiro livro. Esse livro é um verdadeiro quebra-cabeça com um bom gancho para o próximo livro. rsrs
    Serão três livros no total, a autora revelou a capa do terceiro livro que sairá nos EUA. Acho que a Farol vai continuar com a mesma linha de capas (espero, elas são muito bonitas!)
    Bjos bjos!

  • Rossana Batista disse:

    Eu adoro distopias, e principalmente os bons que tenham personagens marcantes. Fiquei muito curiosa para conhecer mais sobre esses reiniciados e a vida nova que eles tomam depois disso. E sem falar no mistério também, que com certeza vem arrasando!

  • Jullyane Prado disse:

    Aaah não me interessei muito pelo livro, mas que bom que você gostou!!! Achei a história muiiito irreal e bom essa capa é assustadora e não me agradou!! Beijos!

  • Roberta Moraes disse:

    Uma história bem diferente das que costumo ler. Gostei muito da capa e do que pretende mostrar a história. Esses reiniciados e a vida que eles levam durante os anos “novos”. Quero muito ler.

  • Promoção: Reiniciados « Por Essas Páginas disse:

    […] acompanha o blog sabe que tivemos a resenha de Reiniciados semana passada e que o segundo livro, Fragmentada, será lançado em breve, com previsão para […]

  • renata melo disse:

    Nossa reiniciados é bem legal,ter a mente manipulada, mais se lembrar de algo que incomoda, é claro que a pessoa vai querer saber quem foi antes disto, amei.

  • Camila - Leitora Compulsiva disse:

    Estou doida para ler esse livro. É o tipo de história que eu gosto bastante! Saber que o segundo volume já vai ser lançado me deixou ainda com mais vontade, porque assim posso ler os dois juntos. Vou procurar pelos livros em ebook!
    beijos
    Camis

  • Thays A disse:

    Adorei a resenha,sem dúvida quero muito ler este livro. :D

  • Thays Amanda disse:

    Como estamos na onda das distopias,achei a ideia de Reiniciados bem original e gostei bastante da protagonista e dos personagens na resenha citados.

  • Felipe disse:

    Incrível a resenha, mas achei que muita coisa da história foi solta, mesmo que sem querer. Porém, isso não tira a curiosidade de ler. Perfeito!

  • Thainá disse:

    OMG o livro não tem muita ação JURA?! Preocupada agora, pq desde que saiu eu tou fascinada por essa capa e pela premissa, mas curto livros com ação e agora já não sei mas :(

  • Nivia Fernandes disse:

    Caramba, depois de Estilhaça-me eu fiquei com medo de determinadas distopias, mas algo fascinante como mexer diretamente com a mente me atrai. Tipo quando gostei de Delírio. rs
    Olha, se não é meloso também ganhou pontos. Acabei lendo seu spoiler-teoria, pra 16 anos tem coisa pra contar, hein?
    Bom, sinceramente é interessante, e esse estilo psicológico pode ser tão angustiante quanto ter ação o tempo todo. Dá pra ver que você gostou bastante. ^^

    Beijos!

  • Miriam Guiraldelli disse:

    Quero saber como é ser uma Reiniciada. Quero ler o livro. Adoro distopias.

  • jessica rocha(jesse) disse:

    Adorei sua resenha, só me deixou ainda mais curiosa.
    Confesso que demorei a me render ao gênero, agora é um dos meus temas preferidos de leitura!

    Beijos e boas leituras!

  • Cris Aragão disse:

    Gostei muito da premissa do livro, já está no segundo livro, será só mais um ou a série é mais longa? Vou ficar de olho para ler assim que estiver completo porque acho que vou gostar.

  • Shadai disse:

    Parece bom, a ponto de conseguir facilmente imaginar como seria em forma de série de tv ou filme.
    Deve ter vários mistérios essa série, já que se trata de algo “mental”.

  • Márcia Sonoita disse:

    Amo distopias, adoro as narrativas, as novas possibilidades da escrita e os autores tem nos surpreendido bastante, este livro está a muito em minha lista.

  • REBECCA DE SALLES NEWBOLD disse:

    Achei a história apaixonante e envolvente. Estou ansiosa pra ler esta série tão linda. Beijos.

  • ELIZABETH MACHADO SALLES disse:

    Estou ansiosa pra ler este livro. Só vejo gente elogiando a série e eu aqui na vontade de ler. Vou ver se agora consigo. Mais a história realmente tem tudo que mais adoro num romance. Beijos,

  • Jessica Lisboa disse:

    Gostei bastante do livro, a autora encaixou muito bem o enredo com o genero escolhido, alem do que a capa é linda.

    xx

  • Cristiane de oliveira disse:

    Eu gosto muito de distopias e tem um tempo que quero ler reiniciados tanto pela capa linda tanto pela história diferente. A cada resenha que leio descubro, coisas diferentes sobre a história que me dão uma vontade enorme de ler pra ontem.
    Os erros do livro não me incomodam muito as vezes nem percebo eles.

  • Andressa Nunes disse:

    Li bons comentários sobre esse livro e depois dessa bela resenha, resumindo muito bem o conteúdo, minhas expectativas aumentaram, vale a pena conferir.

  • leticia dantas disse:

    Adoro formular teorias quando leio um livro, mas fiz de tudo para passar pelo seu. Quero muito esse livro, faz um tempinho que tô de olho nele mas ainda não pude comprá-lo, parece muito bom! As capas são lindas demais. Todo mundo fala bem de Reiniciados.

  • Beatriz Ramos disse:

    Olá!
    Eu já li tantas resenhas de Reiniciados e, a maioria, positiva. E eu estou numa vibe linda de ler distopias, então acho que essa é a hora para ler o livro!
    Eu acho que eu iria gostar muito dele, mas confesso de que a ideia do livro me assusta um pouco, talvez porque eu tenho medo desse lance de “perder” a memória kkkk.
    Eu gosto muito dessa capa!
    Beijos

  • Mylene Leme disse:

    Adorei! O modo como você contou a resenha foi brilhante porque me pareceu que você estava lá “dentro” do livro também, tipo alguém ali próximo da personagem vendo vivê-la da forma como está e ainda tentando ajudá-la desvendando algumas teorias que surgem durante a narrativa, rsrsrs fantástico!!! Com certeza pra quem ler sentirá a mesma emoção como a sua…
    Me lembrei do filme Brilho eterno de uma mente sem lembranças que aborda também esse ponto de apagar a memória que embora sejam rumos totalmente diferentes, com certeza nos fazem pensar com a mesma força até que ponto seria interessante para a humanidade apagar de vez suas lembranças por mais dolorosas e aterrorizantes que possam ter sido.

    See ya!

  • Ana Caroline disse:

    Amo distopias ,e o assunto sobre apagar as memórias me lembrpu divergente e feios,

  • Mallu Marinho disse:

    Se eu já estava com vontade de ler esse livro, depois dessa resenha só aumentou.
    Não gosto muito de distopias, pelo contrário, adoro histórias pé no chão e bem realistas, mas essa me chamou atenção desde o lançamento da capa do segundo livro “Fragmentada”. Muito criativo! E a história além de misteriosa, interessante e envolvente, é bem original.
    Imagina que louco pessoas sendo reiniciadas, começando uma nova vida em um corpo já maduro, sem saber como parar ali? Além de uma vida, uma essência também foi perdida. Gostei de cara da personagem da Kayla!

  • Top Ten Tuesday: Dez sequências que mal posso esperar para ler « Por Essas Páginas disse:

    […] 10. Fragmentada (Reiniciados): Reiniciados foi uma boa surpresa pra mim, eu não pensei que ia gostar tanto. A história é inteligente e dramática, embora muitos prefiram distopias cheias de ação, eu gostei muito dessa e espero não me decepcionar com o segundo livro. Resenha de Reiniciados. […]

  • Willian disse:

    Li bons comentários sobre esse livro e pelo que li na resenha, vale a pena dar uma conferida, parece ser uma livro cativante e empolgante.

  • Melissa de Sá disse:

    Quero esse livro. #prontofalei

    Lucy, sua resenha ficou ótima. Atiçou mesmo a curiosidade. E a minha lista de desejados só aumenta…

  • Juliana disse:

    Ah eu quero muito ler esse livro,que me atraiu diretamente pela capa. E eu ainda não tenho nenhum livro da Farol, e estava com um certo ”medo” de ler o livro e me decepcionar, mas depois de ler várias resenhas desse livro, inclusive a sua, e já estou com vontade de ler, principalmente por ser uma distopia, que é meu gênero favorito. E esse livro está na minha lista de meta há um bom tempo, só que ainda não tive a oportunidade de ler.

  • Nardonio disse:

    Desde que vi esse livro me interessei. Primeiro pela capa, pois achei super massa, depois por saber que é uma distopia, e por último, por ler a sinopse e resenhas em relação a ele. Achei a ideia de pessoas reiniciadas super criativa. E o pior é que é uma coisa que não é tão surreal assim. Espero conseguir ler muito em breve.

    @_Dom_Dom

  • Raquel Moritz disse:

    To com tanta vontade de ler essa série <33333

    Amei a capa do segundo volume, mas vamos lá, preciso começar do começo, rsrsrs.

    Bjs

  • Ana Claudia Medeiros de Castro disse:

    Resenha muito bem feita, gostei muito de ter dado sua opinião. Não é meu tipo de leitura, mas pelo que vc escreveu e sua nota, atiçou minha curiosidade. E pelo que parece, tem algum romance. Vou dar uma chance e colocar na minha lista.

  • Aline Ramos Costa disse:

    Adoreiiiii a capa, super diferente. E pelo livro ser distópico,fiquei mais ansiosa ainda pra ler.Pois amo esse estilo de leitura. Pelo que percebi de sua resenha, vou adorar o livro e sei que vai me prender…amei o fato de ser uma trilogia.. Valeu pela dica.
    Arrasou na resenha.!!!

  • Bárbara disse:

    Tenho muita curiosidade em ler esse livro, já li algumas resenhas dele e cada vez mais fico com vontade de le-lo.
    Realmente a ideia do livro é bem original, zerar com a memória de certas pessoas para que tenham uma 2º chance é ótima, diferente e eu adorei.
    Caraca e esse Nivo?!?! Acho que eu já teria surtado com esse treco apitando no meu pulso me avisando que tô triste, com raiva…. e tirando o fato que ainda poderia me matar.
    E pelo jeito tem muitas surpresas e segredos por vir nos próximos livros.
    Tô doida pra ler esse livro rs
    Gostei muito da tua resenha Lucy!
    Bjus!

  • Julielton Souza disse:

    Gostei muita da resenha, de certa forma, o livro parece narrar o clássico o rei mandou, ou seja, tudo ocorre a partir da vontade de um ser maior. Estou interessadíssimo para ler este livro. Parabéns.

  • Top Ten Tuesday: Dez lançamentos que estou louca para ler « Por Essas Páginas disse:

    […] Terry – Eu simplesmente adorei a ideia de Reiniciados, tanto que acho que me empolguei com a minha resenha. Então, quando a Farol disponibilizou esse livro, eu o pedi para leitura e resenha. Mas ele ainda […]

  • Top Ten Tuesday Especial: Dez melhores livros lidos em 2013 « Por Essas Páginas disse:

    […] 9 – Reiniciados, Teri Terry – Reiniciados foi uma boa surpresa. Esse primeiro livro não tem muita ação, foca mais na personagem e sua adaptação depois de ter sua mente apagada, mas não deixou de me impressionar. A resenha pode ser lida aqui. […]

  • Top Ten Tuesday: Dez pessoas com quem eu JAMAIS trocaria de lugar « Por Essas Páginas disse:

    […] 10. Kyla (Reiniciados) – Imagine que você cometeu um crime e, em vez de ir para a cadeia, você tem sua mente apagada e se torna um Reiniciado? Kyla foi reiniciada e não se lembra de nada, teve que reaprender até a falar e andar. Além disso, tem que usar um “nivo”, um aparelho que mede seu nível de estresse. Quanto mais baixo o nivo, mais próximo de um colapso você se encontra. Então… Não, obrigada. Resenha […]

  • Lain Lang disse:

    Wow! Super interessante Lucy!! Valeu pela resenha! Parece bem diferente mesmo…

  • Marília Sena disse:

    Eu adoro distopias e estou louca por essa série. Ótima resenha, resumiu perfeitamente o que eu esperava do livro.

  • Top Ten Tuesday: Dez autores populares que eu nunca li « Por Essas Páginas disse:

    […] Teri Terry – A Lucy está adorando a série que se inicia com o livro Reiniciados e as resenhas me deixaram muito curiosa. Acho que esse é um tipo de livro que eu vou gostar […]

  • Resenha: Fragmentada « Por Essas Páginas disse:

    […] terminei de ler Reiniciados pouco tempo antes do lançamento de Fragmentada. Agora, imaginem uma pessoa com crise de ansiedade […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem