Resenha: The Golden Lily (Bloodlines #2)


ATENÇÃO: Essa resenha contém spoilers do primeiro livro da série Bloodlines (resenha aqui).

 

Ficha técnica:

Título: The Golden Lily
Autor: Richelle Mead
Editora: Razorbill
Páginas: 418
Onde comprar: Livraria Cultura
Minha opinião: 

 Desde que li Bloodlines ano passado, mal consigo conter minha ansiedade por sua continuação. The Golden Lily foi lançado aqui nos Estados Unidos ontem, e como hoje tive um merecido dia de folga, mergulhei no mundo de Morois, Strigois, Dhampirs e Alquimistas criado por Richelle Mead.

Confesso que achei o começo de The Golden Lily um tanto quanto parado. Talvez porque lide demais com os Alquimistas, talvez porque eu mal me lembrasse quem fosse a Angeline (oops!), ou talvez pela simples falta que Adrian faz nos capítulos em que não aparece. Mas as coisas melhoram, e da metade do livro pra frente foram raros os momentos em que eu não me peguei lendo com um sorriso bobo no rosto.

Para quem não se lembra direito (coffeucoff), Bloodlines termina com Lee – o Strigoi restaurado Moroi – se vendo impossibilitado de se tornar Strigoi novamente, e assassinado por um de seus antigos companheiros. Sydney usa mágica inadvertidamente e coloca fogo em um dos Strigoi que tentava matar Adrian, e Eddie chega para acabar com a festa dos vampiros malvados. Os Alquimistas se mostram deveras interessados na possibilidade de que uma vez que um Strigoi deixa de ser Strigoi ele não pode ser transformado novamente, e para pesquisar os motivos de algo que poderia livrar o mundo dos Strigoi para sempre, dois Strigoi curados chegam à Palm Springs para trabalhar com Adrian: Sonya Karp e Dimitri Belikov.

The Golden Lily é, de certa forma, menos enrolado que Bloodlines porque nós já temos todo o background da história. Ao invés de ter que lidar com sua repulsa pelos vampiros, Sydney precisa lidar com sua culpa por não achá-los repulsivos. Seu carinho por Jill e Eddie é demonstrado durante o livro inteiro, bem como sua atração despercebida por Adrian. Aliás, o relacionamento de Sydney com Adrian era uma das coisas pelas quais eu mais ansiava nesse livro, e confesso que não fiquei decepcionada. É muito interessante ver como Adrian está completamente ciente de seus sentimentos pela Alquimista (e do fato de que ela o considera uma criatura das trevas – pobre Adrian, ele realmente não tem sorte no amor). Enquanto isso, Sydney se pega pensando em Adrian praticamente o dia inteiro, e bem, não é assim que reagimos quando estamos apaixonados? Não usamos qualquer desculpa para inserir o nome de quem amamos em conversas aleatórias? Não inventamos mil motivos para encontrar com ele(a)? Não nos lembramos dos mínimos detalhes de uma conversa? Não largamos o que quer que seja para ir ao encontro dele(a)? Pois bem, é assim que Sydney se comporta durante todo o livro, e o que torna tudo ainda mais interessante é que ela não sabe que age assim, e portanto não fica aquela coisa maçante da narrativa de mocinha apaixonada.

Mas nem tudo gira em torno do romance em construção de Adrian e Sydney (embora, bem… essas sejam as partes que eu mais gosto de ler). Enquanto Adrian tem que lidar com a lembrança constante de Rose que o convívio diário com Dimitri lhe traz, Sydney começa a questionar pouco a pouco tudo que sempre aprendeu sobre certo e errado, sobre obediência e sobre dever. Além disso, ela tem que lidar com o fato de que talvez haja algo que ela considera perverso dentro de si: mágica.

Para resumir, The Golden Lily está mais do que à altura de Bloodlines, e eu não vejo a hora do terceiro livro da série ser lançado. Para quem quer sentir um gostinho do que temos por vir, o título do terceiro livro – que tem previsão de lançamento para o ano que vem nos EUA – será divulgado quando a página oficial da série no Facebook atingir 25,000 curtidas. Então se vocês ainda não curtiram, corram lá! O nome do terceiro livro será The Indigo Spell, e será lançado dia 12 de Fevereiro de 2012! O primeiro parágrafo também já foi divulgado no Facebook!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Lany disse:

    Eu li a resenha e vou esperar terminar de ler o livro para fazer um comentario decente…
    Mas eu TENHO que dizer uma coisa: estou tão feliz que eu não sou a unica que não se lembrava da Angeline HAHAHA!

  • Carolina disse:

    Bom dia Vania, tudo bem? Eu ainda não comecei a ler essa série… estou esperando o último livro da academia de vampiros para começar essa, senão eu fico louca rsrs. Não tenho como deixar tantas séries em aberto, e não acho mais do que justo terminar a antecessora dessa primeiro. Mas vou confessar que fiquei bem curiosa para ler a série bloodlines. Beijos

  • Vania disse:

    Lany, espera até você ler o último capítulo… meu coração ficou na mão! Estou louca pra saber o que você achou!!

    Carolina, termine Vampire Academy sim. Os acontecimentos do último livro são mencionados diretamente em Bloodlines, e embora eu acredite que dê pra ler Bloodlines sem ter lido VA, sempre é bom um pouco de background. Eu particularmente prefiro Bloodlines à VA, mas nunca gostei muito da Rose… então a narração da Sydney torna as coisas muito mais fáceis pra mim. Espero que você goste da série quando ler – eu ADORO!!!

  • Lany disse:

    Acabei de ler nesse momento e… Estou chorando. E sorrindo que nem uma boa. Que livro lindo e com personagens maravilhosos!!! Eu nem sei o que dizer porque… Nossa, para mim é o MELHOR livro da Richelle que eu já li!

  • Raíza disse:

    Aahhh! Quero ler agora! Hahahaha também nem lembro quem é Angeline e nem lembrava do Lee, só do Dimitri aparecendo no final mesmo. Então, recap muito útil, viu Ily? Vou ler e volto pra comentar, haha :)

  • Resenha: O Nome do Vento « Por Essas Páginas disse:

    […] tentando me livrar da seca literária com leituras mais fáceis, mas finalmente após terminar The Golden Lily e ficar inconsolável, eu sabia que Kvothe seria minha salvação. E ele foi, meus amigos. Ele […]

  • Ingrid Farias disse:

    hahahahaha! A Sydney me fez rolar de rir em algumas cenas. E eu achava q fosse tonta pra essas coisas! Pobre Adrian, é muito azar pra uma pessoa só. Confesso q amei ele com ciúmes!!!

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem