Resenha: The Indigo Spell (Bloodlines #3)


indigo_spell_capaATENÇÃO: Além de spoilers de Bloodlines e The Golden Lily, os dois primeiros livros da série, essa resenha contém ALTOS NÍVEIS de fangirling.

Essa semana foi lançado o terceiro livro da série Bloodlines (Laços de Sangue, com lançamento previsto para Junho/13 pela Editora Seguinte). Esse é um título que tanto a Lany quanto eu esperamos ansiosamente desde Junho de 2012, quando o segundo volume da série saiu aqui nos Estados Unidos. É o tipo de livro pelo qual nós fazemos contagem regressiva, que nos deixa de ressaca literária por um bom tempo após sua leitura. É aquele livro que a gente compra o ebook pra podermos fazer o download dele à meia-noite e já começar a ler. Como o livro foi lançado terça-feira – e nada de Carnaval por aqui – eu tive aula normal na universidade e por isso fui torturada pela Lany (que terminou de ler bem antes de mim) pelo twitter. Chegando em casa, não pude ficar atrás, e embora eu tivesse dois artigos para escrever, deixei meu lado Sydney Sage de lado e embarquei logo nas páginas de The Indigo Spell.

Os dois primeiros capítulos de The Indigo Spell definem o tom do livro inteiro. No primeiro, nós vemos Ms. Terwilliger pedindo para que Sydney faça um feitiço de localização: ela precisa encontrar sua irmã, mas não pode fazer o feitiço ela mesma. Sydney descobre que ela – Veronica – está em Los Angeles, e aparentemente isso é ruim, muito ruim! No segundo capítulo nós temos o primeiro encontro de Adrian e Sydney: sentados juntos num vôo para a corte dos Moroi, a caminho do casamento de Sonya. Se você esperava um Adrian carrancudo, com aquele “olhar atormentado em seus olhos verdes,” implorando para que a Sydney desse uma chance a ele, vai se decepcionar. Adrian está totalmente tranquilo no primeiro encontro com Sydney que nós presenciamos; tanto que a própria Sage estranha seu comportamento e traz à tona a declaração feita por Adrian no final de The Golden Lily. Ele então divide com ela sua nova filosofia:

“I told you I won’t bother you if you don’t want me to. And if you do, well, I’m all about that. So what’s the matter if I just love you from afar?”

Eu confesso que essa atitude do Adrian me surpreendeu, especialmente devido ao comportamento dele todas as vezes que Rose o rejeitou em Vampire Academy. Dessa vez nosso Moroi preferido resolveu usar outra tática: ele estaria lá para a Sydney, mesmo que ela se recusasse a admitir seus sentimentos por ele. Em nenhum momento nós vemos Adrian realmente partindo para cima dela ou trazendo à tona o que está dentro do seu peito. Ele conhece a Sydney e sabe que ela precisa chegar onde ele está sozinha. Mas não podemos nos esquecer que estamos falando de Adrian Ivashkov e que passivo é uma palavra que não pode ser usada para defini-lo. Não, ao invés de tentar forçar que Sydney admita que tem sentimentos por ele, Adrian simplesmente está presente na vida dela como antes, a apoiando e falando as verdades que ela precisa ouvir. E ao não mencionar o beijo do final do segundo livro nem a declaração que seguiu, Adrian é bem sucedido em fazer com que Sydney não consiga parar de pensar nisso, o que nos leva a algumas cenas bem engraçadas.

“I tell you, Sage. Sometimes I think I am the one who needs to take out the restraining order on you.”

Mas Sydney é Sydney, e ela não é completamente regulada por seus hormônios. Além do mais, há muita coisa acontecendo e uma das mais importantes é que ela finalmente encontra Marcus Finch, um ex-alquimista que consegue fazer com ela questione tudo que sempre acreditou ser verdade sobre o grupo ao qual pertence. Ela também tem que lidar com sua imersão na magia, e decidir até onde sua lealdade aos alquimistas pode ditar a pessoa que ela é e as atitudes que ela toma.

The Indigo Spell é definitivamente o livro mais romântico da série até agora, mas antes de vê-lo dessa forma, eu o vejo como um livro de auto-conhecimento. A Sydney em The Indigo Spell é bem diferente da Sydney que conhecemos em Bloodlines – e mais distante ainda daquela Sydney que nós vemos pela primeira vez na Rússia em Blood Promise – mas ela ainda está tentando se encontrar, tentando se definir longe dos moldes nos quais os alquimistas a colocaram. Adrian é uma grande parte disso: nós podemos ver sua influência na narração de Sydney, que se tornou mais extrovertida e sim, um pouco mais “sapequinha.” Mas quem pode culpá-la? Garanto que assim como ela, vocês também já se perguntaram se Adrian dorme de pijamas ou simplesmente prefere o lado natural da coisa. Quando ela finalmente consegue deixar de lado todas as excentricidades de sua vida – vampiros, alquimistas, magia, controle da mente, dragões – é que ela consegue enxergar Adrian exatamente como ele é e aceitar que nada além dele ser o Adrian importa (apesar que uma mesa cheia de pratos e taças ajuda. E muito!).

He was too perfect, despite being one of the most imperfect people I knew.

The Fiery Heart – o quarto livro da série – tem lançamento previsto para Novembro/13 aqui nos Estados Unidos, e pela primeira vez eu não estou tão empolgada para colocar minhas mãos em uma sequência de Bloodlines. Não porque The Indigo Spell tenha sido ruim – foi meu livro favorito até agora – mas porque nós sabemos que o caminho de Sydney e Adrian não será fácil daqui pra frente (o que já fica claro na última página de TIS). Eu acredito que em The Fiery Heart Sydney será levada ao centro de reeducação dos alquimistas e que seu pior pesadelo se tornará realidade: vão mexer em sua mente. Temendo o que está por vir, eu fico com meu final alternativo de The Indigo Spell: um que tenha somente Sydney e Adrian no último capítulo, no qual eles tenham algumas semanas livres para curtir um ao outro antes da tempestade cair e tudo ir por água abaixo.

Ficha técnica:

Título: The Indigo Spell
Autor: Richelle Mead
Editora: Razorbill
Páginas: 401
Onde comprar: Livraria Cultura
Minha opinião:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Lany disse:

    AHHH THE INDIGO SPELL!
    Desculpa por eu ter te torturado – mas você bem sabe como é ler essa série: uma emoção atrás da outra!
    Amei, amei, amei a resenha! Você tocou exatamente nos pontos que eu mais gosto, e além disso, coloco a minha quote favorita! Sidney Sage resumindo Adrian em uma frase? Não tem como não amar!
    E eu apoio completamente o seu final alternativo e eu vou passar a utiliza-lo também, porque os dois merecem!^^
    Eu nunca tinha pensado em como o Adrian dormia, mas depois da Sydney levantar a questão… Fiquei curiosa HAHAHA!
    A Sydney pode não ser regulada pelos hormonios – mas que ela estava “sapequinha”, isso ela estava hahaha!

  • Vania disse:

    Nada mais justo do que você ter me torturado, eu sempre faço isso com você hehehe.

    Bem, de acordo com vocês no chat ontem, eu sou a que sempre pensa as coisas mais, ahem, sapekenhas. Oh well. É o Adrian, afinal de contas. Eu honestamente queria que eles tivessem mais tempo pra curtir. Não é que eu não tenha gostado do final, é aquela coisa OMG E AGORA E AGORA que a Richelle adora fazer. Foi um bom final. Mas… mas… mas!!!!

  • Jaqueline Ventura disse:

    Vania, AMEI a sua resenha, de todas que li até agora a sua é a melhor!
    Eu estava surtando por causa desse livro desde junho do ano passado, a Richelle tem o poder de fazer isso com os leitores rs
    Eu amei a dinâmica entre a Sydney e o Adrian nesse livro, apesar dos acontecimentos bombásticos e descobertas o livro is all about Sydrian <3
    O que mais me deixou feliz nesse livro foi a evolução da Sydney, não que ela não tivesse evoluído nos outros livros, mas nesse ela chegou em outro nível, ela é totalmente badass em várias momentos, tããoo diferente da Sydney dos outros livros e o Adrian… ele está demais também, ele é outro personagem que me impressionou (na verdade ele sempre me impressionou), como ele mudou de Shadow Kiss para cá, é incrível a capacidade da Richelle de criar personagens tão bem construídos.
    Aliás, será que foi só eu que fiquei p. da vida quando a irmã da Sydney apareceu? não me cheira nada bem essa história, estou com medo do que ela pode fazer no próximo livro.
    Como você, eu também acho que a Sydney pode acabar indo para a reeducação e acredito que a irmã dela acabará fazendo com que isso aconteça. Caso isso ocorra podemos preparar nossos lencinhos e também para ver o Adrian tentando resgatá-la, porque eu me lembro que em The Golden Lily, ele disse para a Sydney que se a mulher que ele amasse estivesse presa ele faria de tudo para resgatá-la… será que a Richelle já estava nos dando pistas de que isso poderia acontecer com a Sydney nos próximos livros (ela fez isso em VA)?
    Anyway, amei a sua resenha e vou continuar aparecendo por aqui para ler outras resenhas.

    p.s: eu simplesmente AMEI o dragãozinho da Sidney e do Adrian <3

  • Vania disse:

    Oi Jaqueline! Primeiramente, obrigada pelo seu comentário, adorei ler!! A evolução da Sydney foi maravilhosa!! É sempre fantástico ver o crescimento dos personagens, a maneira como eventos e pessoas os mudam no decorrer da história e no caso da Sydney, essa mudança a gente sente na alma. Foi muito bem escrita, muito bem desenvolvida. E como você falou, a gente também vê essa mudança no Adrian tanto na maneira como ele trata a rejeição da Sydney quanto no dia a dia; ele está bem mais responsável, levando as coisas bem mais a sério quando elas precisam ser encaradas dessa forma. Olha, não foi só você que ficou brava com a Zoe não; logo que acabei de ler conversei com a Lany – outra colunista aqui do PEP – e falei que meu final alternativo tem a Sydney somente descobrindo que a Zoe vai pra lá, pra ela e o Adrian pelo menos terem algumas semanas de paz, porque olha, não tá fácil haha. Sobre TFH, a Richelle disse em algum lugar que quem ficou desesperado com o final de Shadow Kiss vai ter vontade de jogar The Fiery Heart na parede, por isso… medo, muito medo! (Apesar que eu ADOREI o final de SK, foi quando as coisas finalmente ficaram interessantes pra mim – mas eu nunca gostei da Rose nem do Dimitri, então tenho certeza que o sentimento dessa vez será angústia porque adoro tanto o Adrian quanto a Sydney). Eu acho que o Adrian falando que faria de tudo pra resgatar a mulher que ama é uma pista do que vem por aí sim, especialmente porque a Richelle falou que vamos ver mais a turma de VA daqui pra frente – o que me leva a acreditar que o Adrian vai recorrer à Rose e cia pra ajudar a Sydney. Ai ai, vamos esperar pra ver né!! Mais uma vez, obrigada pelo comentário, foi uma delícia ler e responder, e espero que passe sim mais vezes por aqui!

    Abraços!!

  • Jaqueline Ventura disse:

    Oi Vania, eu também adorei ler a sua resposta!
    Eu acho que a evolução da Sydney e do Adrian também está ligada com a evolução da própria Richelle como escritora, essa mulher se supera a cada livro, quando eu leio o primeiro livro de VA e os livros de Bloodlines, a diferença é incrível *-*
    Pois é, eu também concordo com a sua teoria, eu acho que a Richelle acabou TIS assim para ferrar com a gente em TFH rs
    Eu li esse tweet da Richelle falando que as cenas finais de TFH são quase tão poderosas ou até mais que em SK, na hora que eu li isso eu até gelei, se for mais chocante que em SK nós estamos muito ferrados hahahahaha Mas é como você disse, as coisas ficaram interessantes MESMO em VA depois de SK :)
    Assim, eu gostava da Rose e do Dimitri, mas a Sydney e o Adrian superaram os dois em todos os sentidos, acho que isso se deve muito ao fato de que o Adrian era o meu personagem preferido em VA e eu fiquei super triste com final dele em LS, por isso ele TEM que ser feliz no amor dessa vez! #senãoeuchoro
    Enfim, acho que veremos sim o nosso querido Adrian indo em uma missão de resgate para salvar a Sydney e de quebra acabaremos revendo os personagens de VA. Uma coisa que eu quero muito ver é a reação da Rose quando ela descobrir sobre o romance entre o Adrian e a Sydney, vai ser épico! hahahahaha
    Obrigada por responder a mensagem e pode deixar que vou passar sempre por aqui a partir de agora ^^

    Abraços :)

  • Top Ten Tuesday: Top dez livros que eu li até agora em 2013 « Por Essas Páginas disse:

    […] The Indigo Spell, Richelle Mead [Resenha]- Alguém tinha alguma dúvida sobre o meu primeiro lugar? Mas é claro que é um livro da série […]

  • Queridinho do Mês: Adrian Ivashkov « Por Essas Páginas disse:

    […] Adrian realmente muda para melhor: a evolução dele dos livros de Vampire Academy para The Indigo Spell (o terceiro de Bloodlines) é quase palpável. Ele passa a notar Sydney, a perceber que está se […]

  • Ingrid Farias disse:

    Gente! Será msm q a Sage vai pra reeducação??? Acho q vou ficar com esse final alternativo tbm. Terminei o livro e fiquei uma semana sorrindo de felicidade, mas confesso q tenho as mesmas dúvidas dps desse final. E totalmente vdd: o Adrian é quase outra pessoa agora . Percebi tbm q a Jill amadureceu bastante . Ela não é mais a garotinha ingênua q a gente conheceu em VA.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem