Resenha: Três Irmãs (As mulheres que definiram a China moderna)

Ficha técnica:

Nome: Três Irmãs

Autor: Jung Chang

Tradutor: Odorico Leal

Páginas: 392

Editora: Companhia das Letras

 

Uma amava dinheiro, uma amava o poder e uma amava a China. Nesta biografia épica, a autora de Cisnes selvagens narra a vida das irmãs que mudaram a história de um país em ebulição.

O mais conhecido conto de fadas chinês moderno é a história das irmãs Soong, cujas vidas se estenderam do fim do século XIX ao início do século XXI. A Irmã Mais Velha, Ei-ling, casou-se com o homem mais rico da China, H. H. Kung. A Irmã Vermelha, Ching-ling, foi a companheira de Sun Yat-sen, pai fundador da China moderna e seu primeiro presidente. E a Irmã Mais Nova, May-ling, se tornaria a ambiciosa Madame Chiang Kai-shek, esposa do líder da República da China.

Em cem anos de guerras e revoluções constantes, as irmãs Soong estiveram no centro das mudanças do país e deixaram uma marca indelével na história chinesa. Elas desfrutaram privilégios e glórias, mas também se envolveram em disputas perigosas ― inclusive entre si. Neste épico de amor, guerra, exílio, intriga, glamour e traição, Jung Chang entrelaça os acontecimentos da China do século XX à vida de três mulheres inesquecíveis. (Fonte)

Já ouviu falar em vasos da Dinastia Ming? E na Cidade Proibida da China? E sobre a China comunista? Mao-Tsé Tung?Para quem está antenado na história e conhecimentos gerais, você já ouviu alguma coisa a respeito da história China.

Neste trabalho de pesquisa excepcional, a autora abrange três séculos da história da China por meio da história das irmãs Soong; desde o fim do imperialismo até o início do século XXI, considerando que a irmã mais nova, que nasceu no final do século XIX, morreu em 2003, aos 105 anos.

A autora, Jung Chang, nos conta sobre a formação acadêmica das irmãs Soong nos EUA, sobre o caminho que cada uma seguiu, sobre seus papéis e influência sobre seus cônjuges, que fizeram diferença na história da China moderna.

Para chegarmos à importância do papel das irmãs Soong, a autora nos leva através da história, do fim da Dinastia Qing, a última dinastia imperial da China, aos esforços de Sun Yat-sen, conhecido como o Pai da Nação da República da China, para assumir a presidência do país. Muita coisa aconteceu, Sun Yat-sen acaba por viver em exílio a maior parte da sua vida, e seu braço direito, o Genralíssimo Chiang Kai-shek é quem assume o papel de Líder da República da China, até perder a Guerra Civil Chinesa para Mao Tsé-Tung, fundador da República Popular da China, que impôs um duro regime comunista à China.

Ei-ling Soong, a Irmã Mais Velha, foi “a primeira chinesa a ser educada nos Estados Unidos”. Ela se casou com um banqueiro cristão, de educação americana, chamado H. H. Kung. Ela o ajudou a construir uma enorme fortuna enquanto era o ministro das finanças do governo nacionalista da China. Ela também se tornou a conselheira mais importante de seu cunhado, Chiang Kai-shek, muitas vezes de forma indireta, por meio de seu irmão mais novo, que também trabalhava no gabinete de Chiang. Ela é quem mantinha a família “nos eixos” financeiramente (mesmo que por meio de muita corrupção) e em relação à imagem.

May-ling Soong, a Irmã Mais Nova (elas ainda tinham outros três irmãos mais novos), viveu nos EUA dos 9 aos 19 anos, falava inglês fluentemente, mas teve que reaprender o chinês; ela se casou com Chiang Kai-shek, que liderou a China nacionalista, isolado, a partir de Taiwan, depois de perder o restante do território chinês para Mao Tsé-Tung, até sua morte em 1975.

Ching-ling Soong (a Irmã Vermelha), se casou com o Dr. Sun Yat-sen. Depois da morte dele em 1925, ela se uniu aos comunistas, se posicionando contra o restante de sua família. Nas três últimas décadas de sua vida ela teve um papel de honra na China Comunista como Vice-Presidente de Mao Tsé-Tung.Apesar de sua posição em favor e apoio aos comunistas, e seu distanciamento do restante da família, nunca houve um rompimento específico e claro na relação entre as irmãs.

Se eu for me estender aqui, vou acabar escrevendo um ensaio e não uma resenha! Rsrs

Foi uma leitura que acabou levando mais tempo do que eu esperava por questões de trabalho, que me deixaram quase sem tempo para a leitura. Mas de qualquer forma, para mim, acho que biografias não fluem tão bem quanto um thriller. Mas foi uma leitura que prendeu minha atenção, com a qual aprendi muita coisa sobre a história da China e sobre essas mulheres incríveis, com suas qualidades e defeitos, que tiveram um papel tão importante na história.

Este livro foi gentilmente cedido pela editora para resenha.

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  


PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem