Resenha: Um acordo e nada mais

Ficha Técnica:

Nome: Um acordo e nada mais

Autor: Mary Balogh

Tradutor: Lívia Almeida

Páginas: 304

Editora: Arqueiro

Compre aqui

Embora Vincent, o visconde Darleigh, tenha ficado cego no campo de batalha, está farto da interferência da mãe e das irmãs em sua vida. Por isso, quando elas o pressionam a se casar e, sem consultá-lo, lhe arranjam uma candidata a noiva, ele se sente vítima de uma emboscada e foge para o campo com a ajuda de seu criado.

No entanto, logo se vê vítima de outra armadilha conjugal. Por sorte, é salvo por uma jovem desconhecida. Quando a Srta. Sophia Fry intervém em nome dele e é expulsa de casa pelos tios sem um tostão para viver, Vincent é obrigado a agir. Ele pode estar cego, mas consegue ver uma solução para os dois problemas: casamento.

Aos poucos, a amizade e o companheirismo dos dois dão lugar a uma doce sedução, e o que era apenas um acordo frio se transforma em um fogo capaz de consumi-los.

No segundo volume da série Clube dos Sobreviventes, você vai descobrir se um casamento nascido do desespero pode levar duas pessoas a encontrarem o amor de sua vida. Fonte

Mais um livro da lista: li, mas não consegui resenhar antes – pelo menos resenhei antes do próximo lançamento da mesma série. rs

Para quem não conhece a série O Clube dos sobreviventes, ela conta a história de sete pessoas que passaram pelos horrores da guerra e que têm inúmeros traumas, tanto físicos quanto psicológicos, e que encontraram consolo uns nos outros, incluindo o anfitrião deles, cujo filho morreu na guerra, em uma propriedade na Cornualha que servia de asilo aos enfermos. Esses sobreviventes se tornaram amigos inseparáveis e cada livro trata de um deles. Neste segundo livro, vamos conhecer mais a história de Vincent, visconde Darleigh, que ficou cego durante a guerra.

Os acontecimentos desse livro ocorrem paralelamente à primeira história, Uma proposta e nada mais, e podemos também matar a saudade de Hugo e Gwen, os protagonistas. Mas mesmo com o encontro, a autora se concentrou em relatar a história de Vincent e Sophia sem muita interferência dos demais.

A história começa com Vincent fugindo de sua família. Sua mãe e sua irmã são megaprotetoras, ainda mais agora que ele é cego. Por isso, querem que ele se case com uma dama apropriada, alguém que não se importe, ou melhor, “se conforme” que seu marido seja cego. Embora ele ame sua família e sabe que não sequer dar ouvidos à sua opinião, ele acaba se refugiando com seu valete em sua antiga propriedade, onde passou a infância.

Lá, ele pensou que encontraria paz e sossego, mas em uma comemoração pela sua chegada, ele quase se vê preso em uma nova armadilha, quando acompanha uma jovem à dar uma volta no jardim, ambos desacompanhados. Até que Sophia Fry aparece e consegue impedir que haja falatório.

No entanto, ao impedir que sua prima desposasse o visconde, seus tios a expulsam de casa impiedosamente. Ao saber do acontecido, Vincent logo foi de encontro à moça com uma ideia em mente: Um casamento de conveniência que duraria um ano. Sophia acha um absurdo, ainda mais por não ser nobre, mas com muita insistência de Vincent, ela acaba aceitando.

Esse é um romance sem muito mistério: casamento de conveniência em que no final os dois acabam se apaixonando. A grande diferença é que é raro encontrarmos romances com personagens com deficiências de qualquer tipo (além de rosto desfigurado, só encontrei outro romance com um deficiente visual). Vincent também tinha que lidar com ataques de pânico ocasionais, mas a presença de Sophia o fazia ficar mais leve.

Na verdade, no decorrer da história, dá para entender como esses dois se apaixonam. Eles combinam muito bem. Vincent tem bom humor e muita imaginação. Sophia tem a mesma imaginação e proatividade, além de um talento e tanto para desenho. Os dois acabam se dando tão bem, que é inevitável que acabem gostando um do outro. Mas existe o prazo de um ano para que os dois se separem. E agora?

Um romance escrito de uma forma mais realista e madura do que os demais romances de época. O estilo da autora permanece o mesmo que o outro livro e achei muito bacana o modo como ela abordou a vida conjugal do casal e mesmo as cenas hots foram mais comedidas, porém continuam sensuais na medida certa para o tom da história.

Recomendo e espero que a editora Arqueiro não demore tanto para o lançamento do próximo da lista. A história dele deve ser uma das mais emocionantes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 8
  •  
  •  
  •  


  • Michelle disse:

    Olá tudo bem? Acho a capa desse livro muito delicada adoro! Gostei muito da premissa e de sua opinião sobre a leitura, eu quero ler mais obras assim este ano e adoraria ter a oportunidade de conhecer a escrita da autora, fiquei bem curiosa com o romance, beijos!

  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Eu tenho bastante curiosidade de ler essa série, pois vejo os leitores falando super bem dos livros. Parece ser mesmo um romance de época diferenciado, pelo o que tu disse. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • Mari Barros disse:

    Olá, tudo bem?

    Eu vejo que a Arqueiro tem apostado muito nos livros de época e vários do seu catalogo já estão na minha wishlist. Amei sua resenha, não conhecia o livro e me parece ser muito bom!

  • Beatriz Andrade disse:

    Eu amo um bom romance de época e estou louca para ler esse livro, gostei muito da sua resenha e você me deixou ainda mais curiosa para poder ler também.

  • Debyh disse:

    Olá,
    Apesar de evitar um pouco romances de época eu gostei do conceito deste. Tanto por apresentar personagens com problemas mais reais e com uma situação que precisa ser resolvida.

  • Ana Caroline Santos disse:

    Olá, tudo bem? Essa é uma das poucas séries da editora, de romance de época, que ainda não iniciei hehe Como não terminei a outra da autora, acabou que fui deixando passar essa, porém espero mudar isso em breve pois vejo bastante elogios por ai, assim como seu. Adorei a resenha e ela me deixa bem curiosa para conhecer o enredo!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

  • Lana Silva disse:

    Já tinha visto esse livro nas redes sociais, no entanto essa e a primeira resenha que leio dessa obra. Em primeiro lugar gostaria de mencionar que apesar da premissa desse romance de época ser clichê, por se tratar de um casamento de conveniência em que ambos os personagens se apaixonam o fato de o personagem masculino possuir uma deficiência física já rompe com essa barreira. Pois como você mesma mencionou são poucos livros que retratam dessa questão, principalmente de maneira tão verdadeira.

  • lilian farias disse:

    Acho a capa desse livro linda, infelizmente, ainda não li e apesar de não curtir muito o gênero, este está em minha lista desde que vi o lançamento e depois algumas resenhas, o livro traz elementos bem únicos dos personagens que acho que deve enriquecer a obra

  • Mayara Milesi disse:

    Oie!

    Ando meio afastada de romances de época atualmente e tenho que te dizer que não me lembro de ter lido uma resenha tão bem explicativa sobre esse livro do que a sua. E inclusive ela me atentou a um fato de que mesmo tendo como premissa um ponto comum nos romances de epoca, aparentemente ele nao é mais do mesmo como venho encontrando por ai.

    Anotei a sua dica!

    beijos

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem