Resenha: Um Sedutor sem Coração

Um Sedutor Sem CoraçãoDevon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas.

A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.

Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.

Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu?

Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final. Fonte

Quando o assunto é romance de época, eu já penso se será um romance de Lisa Kleypas. Sério, depois de Os Hathaways, eu venho acompanhando suas histórias sempre que possível. Eis que depois de duas séries (publicadas em ordem invertida, mas a ordem dos fatores não influencia diretamente a leitura), temos Os Ravenels. Aliás, a Lany mencionou no Top Ten Tuesday que ela nem lembrava o nome do mocinho do primeiro livro, então deixa eu resenhar para refrescar a memória dela! hahaha

Devon Ravenel é um personagem por quem você não se apaixona à primeira vista. Nem por ele, nem por seu irmão, West. E não interessa se Kathleen, viúva do conde anterior, o acha lindo (e que isso é repetido ao longo da trama). Logo no início da trama, ele não demonstra muito escrúpulos quanto ao título e propriedades que herdou, ele quer mais é se livrar disso tudo: propriedades em ruínas e primas sem dotes e sem mais ninguém que pudesse acolhê-las e protegê-las, além da bela, porém arisca viúva de seu primo, que também não tinha exatamente para onde ir.

Então ele conhece Kathleen, viúva depois de três dias de casada, que tem toda uma “etiqueta” sobre ser uma viúva exemplar e manter seu luto – e tentar fazer com que as cunhadas também mantenham o decoro que o luto da época exigia. Gente, como as regras de luto são CHATAS! Você tinha que usar até um véu, que horror! O problema é que, de certa forma, Kathleen se culpa pela morte do marido, uma vez que ele morreu depois de uma discussão ferrenha entre os dois, e ainda por cima por culpa de um cavalo que era presente do pai dela!

Enfim, não é de se estranhar que tanto Devon quanto Kathleen se encantam um pelo outro, de forma bastante relutante. E, de forma bastante relutante, Devon acaba reconhecendo que ser um conde vai dar um baita trabalho, mas ele acaba tomando gosto pela coisa, de modo que tenta a todo o custo salvar o patrimônio da família e oferecer uma vida confortável para as primas. Não preciso dizer que conquistar Kathleen seria um bônus muito bem-vindo.

Eu gostei bastante da história e, principalmente, da evolução de alguns personagens, como West e o próprio Devon. Inclusive, temos algumas tramas paralelas que serão atreladas a futuros livros – principalmente ao segundo livro, que será sobre a prima mais velha de Devon, Lady Helen. Falando em evolução, Kathleen também melhora muito no decorrer da história, algumas vezes mais teimosa do que outras. A mania de querer fazer tudo “certinho” como ditam as normas da sociedade às vezes era enervante, mas ela queria ao máximo evitar um escândalo (e não tenho certeza se ela foi bem sucedida nisso rs).

A própria história evoluiu de modo bastante simples e consistente. Como sempre, a narrativa de Lisa Kleypas é bastante fluida e leve. Vale destacar uma coisa nova nessa trama, que foram as cartas trocadas entre Devon e Kathleen, um tipo de interação que eu não esperava! E para coroar, temos um cenário até diferente do que estamos acostumadas quando se trata de romance de época. Enquanto que nas séries anteriores da autora o período era o início e quase metade do século XIX, os Ravenels nos mostra um período já mais próximo do século XX, com algumas “modernidades” e os problemas econômicos próprios da época. Nesse livro, temos os personagens percorrendo as distâncias, antes com carruagens, agora com trens – e falando nisso, teve uma cena que me fez prender a respiração nesse primeiro livro…

E achei muito bacana o fato de ela ter avançado no tempo (de certo modo), seguindo uma cronologia entre suas séries. Para quem quiser entender, eu acho interessante, porém não necessário, que leia primeiro a série As Quatro Estações do Amor, que precede Os Hathaways e, posteriormente, temos o início da série Os Ravenels. Mas, como eu disse, se não leu e não quiser ler, não tem problema!

Sinceramente, não vejo a hora de a Arqueiro publicar o segundo e o terceiro livro da série! Segundo a Lany aqui do blog, o segundo livro deixa a desejar, mas o terceiro é o melhor de todos!

Leitura muito recomendada para todos os amantes de um bom romance de época!

Ficha técnica:

Nome: Um sedutor sem coração
Autor: Lisa Kleypas
Páginas: 320
Editora: Arqueiro
Onde comprar: Amazon
Minha avaliação:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  


  • Evandro disse:

    Eu gosto de enredos de época. Já tinha lido uma resenha sobre o livro e bem positiva assim como a sua. Ainda não li nada da autora, mas percebo que ela é bem cuidadosa nos detalhes e na criação das personagens. Muito boa resenha.

  • Karini disse:

    Tudo bem? Não costumo ler muito livros desse gênero. Conheço a autora e essa capa está atrativa e linda. Fiquei contente em saber que está ansiosa pelas continuações.. Quem sabe mais para frente eu leia o livro.

    Beijos.

    http://www.alempaginas.com

  • Camila - blog Leitora Compulsiva disse:

    Esse é o primeiro romance de época que eu leio da Lisa, mas gostei de saber que há uma relação desse livro com as outras séries! Vou fazer uma pausa com os Ravenels e tentar ler as outras séries primeiro!
    beijos
    Camis

  • Dayhara Ribeiro Martins disse:

    Quando penso em romance de época essa autora também me vem em mente, ela é sensacional, a escrita dela é totalmente apaixonante, fico encantada. Ainda não li essa série mas só vejo comentários positivos e se tratando de Lisa, sei que vou amar.

  • Aline M. Oliveira disse:

    Olá! Gosto muito de romances de época, e foi legal descobrir que a protagonista aqui não é moderninha e a frente de seu tempo como quase sempre são. Gostei também de saber que os personagens são interessantes e que contribuem para a leitura positivamente. O crescimento do protagonista também é legal, porque vemos a evolução dele, da história de amor e da história como um todo. Amei a dica!

  • Carla disse:

    Oie!
    Eu terminei a leitura desse livro ontem, e adorei! A série começou muito bem e estou bem curiosa para os próximos volumes. Com certeza serão histórias lindas com aquele toque leve que é típica da autora.
    Simplesmente sou apaixonada pelas histórias da Lisa!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

  • Ivi Campos disse:

    Acho essa capa tão linda que eu leria só por causa dela, mas como conheço a escrita da Lisa e já amo muito, eu leria mesmo se a capa fosse horrorosa. Adorei a resenha e seus elogios me deixaram bem curiosa em ler o mais rápido possível.
    Beijos

  • Bruna Costabeber disse:

    Hey, tudo bem?
    Ainda não li nada dessa autora, mas morro de vontade, principalmente, por todas as resenhas positivas que leio sobre ela. Eu achei muito legal a questão da evolução dos personagens que esse livro parece trazer e toda a construção temporal das obras da autora.
    Vou anotar a dica.
    Beijos

  • Marijleite disse:

    Gostei muito da sua resenha. Também sou fã da Lisa desde a primeira série de romances de época dela publicada pela Arqueiro. Estou com o livro aqui para ler e acho que vou gostar.

  • Gisele disse:

    Olá tudo bem ?
    Nunca li nada da autora, mas sempre vejo as pessoas falando muito bem da escrita dela e de certa forma até tenho curiosidade, mas não formei uma opinião sobre ler livros de época ainda ou não rsrs. Pq é pouco tempo livre para muitos livros, entÃo sempre vou adiando. Acho que é muito bom quando a história evolui bem, mesmo que de forma simples, mas conseguindo nos conquitar já é mais do que suficiente.
    Beijos

  • Carolina Durães de Castro disse:

    Oi Lucy, tudo bem com você? Eu gostei bastante do livro, mas confesso que nesse caso, os personagens secundários se destacaram mais do que os protagonistas na minha opinião. Não estou dizendo que não gostei da Kat e do Devon, apenas que seus familiares foram mais marcantes. Parabéns pela resenha.
    Bjkas

  • Resenha: Uma Noiva para Winterborne « Por Essas Páginas disse:

    […] de ler Um sedutor sem coração, eu contava os dias para o lançamento do segundo livro, principalmente por se tratar de um casal […]

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem