Resenha: Uma Casa no Fundo de Um Lago

Ficha técnica:

Nome: Uma Casa no Fundo de Um Lago

Autor: Josh Mallerman

Tradutor: Fabiana Colasanti

Páginas: 160

Editora: Intrínseca

Compre aqui

Sinopse: James e Amélia têm dezessete anos. Em comum, além da idade, têm o fato de estarem um a fim do outro e de serem tomados pelo nervosismo quando James chama Amélia para sair. Mas tudo parece perfeito para um primeiro encontro: um passeio de canoa pelos lagos, levando um cooler cheio de sanduíches e cervejas.À medida que se aprofundam na exploração, os dois chegam a um lago escondido e encontram algo impressionante debaixo d’água. Um lugar perigosamente mágico: uma casa de dois andares com tudo que tem direito — móveis, um jardim, uma piscina e uma porta da frente, que está aberta.Enquanto, fascinados, vasculham o imóvel e tentam passar uma boa impressão para o outro, cresce o medo. Será que um local misterioso como aquele esconde alguém — ou algo — vivo? Uma coisa é certa: depois de mergulhar nos mistérios da casa no fundo do lago, a vida deles jamais voltará a ser a mesma.

Josh Malerman foi um autor que me conquistou em seu livro de estreia, o brilhante Caixa de Pássaros (resenha aqui). Porém, em seu livro segundo livro, Piano Vermelho (resenha aqui), ele não conseguiu entregar uma obra tão incrível quanto a primeira, trazendo uma narrativa confusa, personagens pouco carismáticos e um final apressado e um pouco decepcionante. Agora, com Uma Casa no Fundo de Um Lagoo autor infelizmente traz um livro ainda mais fraco, com uma trama boba, um romance monótono, personagens rasos e um mistério que não empolga.

Pelo tamanho do livro e a edição confortável da Intrínseca, imaginei que o leria em uma tarde, de uma sentada, mas não foi o que aconteceu. A história se arrastava, e eu me via evitando o livro (li duas novelas no Kindle no meio da leitura), sem vontade de continuar a leitura.

Amelia James têm dezessete anos. O livro começa no primeiro encontro dos dois, em um lago, e lá eles encontram algo misterioso: uma casa afundada dentro de um lago. Com a empolgação de dois jovens iniciando um relacionamento, eles descem até a casa e descobrem que ela permanece intacta, e que inclusive a física do lugar não faz sentido: os livros, por exemplo, não estão destruídos, e objetos que deveriam boiar estão fixos em mesas e prateleiras, como se não estivessem dentro d’água.

A casa tem algumas bizarrices, é verdade, mas sinceramente, nenhuma que seja tão espantosa assim e que faça o leitor se assustar ou ficar perturbado. Talvez tenha sido efeito da narrativa, mais focada no arrebatamento quase infantil dos protagonistas do que no assombro deles. Além disso, o livro é focado demais no romance dos dois; só que os personagens são cansativos e sem originalidade, não possuem nenhuma característica que faça o leitor sentir algum tipo de empatia por eles ou torcer por seu destino.

A trama também é repleta de incongruências que distraem o leitor. Na primeira incursão à casa, por exemplo, os personagens mergulham apenas com o próprio fôlego e passam tempo demais debaixo d’água; em determinado momento eu já estava com falta de ar, me perguntando por que aquela garota não estava sufocando. Depois, mesmo sendo apenas dois adolescentes, eles conseguem aparelhos de mergulho – e em algum momento é apenas mencionado que fizeram aulas de mergulho, mas elas pareceram mágicas, pois nada sobre elas foi mencionado e nenhum tempo plausível se passou para que o leitor entendesse que eles tinham realmente feito um curso – e exploram a casa e o lago com a perícia de mergulhadores experientes. E então – SPOILEReles chegam até mesmo a fazer sexo pela primeira vez (ambos virgens) debaixo d’água e dá certo! Convenhamos, a primeira vez é sempre algo difícil, e ainda por cima dentro de um lago? E tudo funciona perfeitamente, sem constrangimentos, com um final feliz?FIM DO SPOILER.

Detalhe: nenhum adulto parece se interessar pelo o que os dois adolescentes fazem no lago. Aliás, nenhum adulto e mais ninguém, eles sequer parecem ter amigos, que são apenas mencionados brevemente. Amelia James simplesmente fazem o que querem, quando querem, e ninguém questiona. E eles chegam mesmo a DORMIR no lago.

Tudo isso me fez pegar mais e mais antipatia pela história, que fazia menos sentido conforme eu avançava os capítulos. Aliás, isso é outro problema: o tamanho dos capítulos, que são quase todos padronizados, com o mesmo tamanho, o que dá um ritmo monótono à leitura.

Para completar, o final é uma traição. Costumo gostar de finais abertos, mas finais abertos e sem NENHUM SENTIDO? Aí já é demais. Terminei o livro com raiva e minha vontade era fazê-lo sair voando pela janela. Infelizmente, depois dessa, vai ser difícil voltar a ler algum livro de Josh Malerman. Para mim, ele se tornou o tipo de autor “one hit wonder“, ou seja, de um livro só.

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela editora Intrínseca

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


  • No Conforto Dos disse:

    Olá!! :)

    EU nunca tinha ouvido falar sobre este livro e não me lembro de quase nada sobre o autor. Ainda assim,g ostei de ler a resenha!

    É uma pena que não tenhas gostado muito, e que o final te tenha deixado assim tao enraivecido!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

  • Andressa Ledesma disse:

    Eita, odeio finais abertos, muito mesmo. Ainda mais se são sem sentido como você disse. Já sei que vou pegar ódio dessa leitura. hahaha Mas mesmo assim estou curiosa para conferir, será que sou louca?
    Ainda não li nada do autor, mas caixa de pássaros tá aqui na estante esperando para ser lido, e eu acho que vou gostar bastante.
    beijos

  • Carolina Durães de Castro disse:

    Oi Karen, tudo bem?
    Eu li o livro e tive a impressão de que a casa é a representação do relacionamento dos dois, a forma como ela conduz e ele segue em vários momentos e como ela vai se alterando de forma inexplicável. Não foi a minha leitura favorita do autor, achei que foi fantasiosa demais.
    Bjkas

  • Helana Ohara Heck disse:

    Oi florê, então, eu li Piano Vermelho e gostei muito do livro, achei o desenvolvimento dele muito bom.
    Agora Uma Casa no Fundo de um Lago acredito ser uma representação do relacionamento deles, e eu acho que é a casa o foco principal e não o casal, por isso acredito eu né? hahahaha o romance seja lá meio rosa sabe?
    AHSUAHSUAHS pode ser que eu esteja errada.
    Mas por hora eu curti o livro.. Infelizmente ele não foi feito pra ti, veja por esse ponto.

  • Fernanda Santos Barroso disse:

    Olá!
    Ainda não tive a sorte de ler o livro de estreia do autor e, por um instante, quando li o título deste livro, imaginei que fosse ser um mistério bem legal. Uma pena constatar o contrário através da sua resenha. A curiosidade que tive de cara sumiu completamente.
    Espero que tenha mais sorte com outras obras, mesmo que não dele.
    Abraços

  • Ana Caroline disse:

    Olá!

    O autor estrou tão bem com Caixa de Pássaros, foi um livro que me ganhou bastante. Uma pena saber que suas histórias e narrativas estão caindo tanto, pensei que a tendência dele seria a melhorar.
    Talvez eu dê uma chance de ler algum livro dele, vai que eu goste da leitura, espero não me decepcionar igual a você!

  • Jessie disse:

    Oi Karen!

    Tudo bem? Confesso que desde o lançamento esse livro meio que foi irrelevante para mim, muita gente queria ler, mas eu nem tive curiosidade. Vi algumas resenhas bem negativas que mataram a minha vontade de vez.

    Realmente essa questão do final em aberto foi abertamente criticada e confesso que já não gosto disso, que dirá quando a coisa fica ali sem uma explicação deve te, só pra me matar de raiva. Definitivamente não é um livro que vai pra minha wishlist!

  • cris disse:

    Oi Karen, não conhecia esse livro, uma pena que é uma leitura arrastada pois a capa me chamou a atenção, conheço o autor de outros livros, pena que não foi feliz nesse livro, mas mesmo assim valeu pela dica, parabéns pela sinceridade e pela resenha. Bjs!

  • Fábrica dos convites disse:

    Uma pena que este livro tenha ficado abaixo das suas expectativas. não li nada dele, apesar de ter os dois primeiros aqui em casa. Deste novo livro eu achei a capa bem interessante, mas não sei se vou chegar a ler.
    Bjs Rose

  • Daniela disse:

    Oi.

    Eu até queria muito ler esse livro, mas quando vi o nome do autor, acabei desanimando. Não gostei muito de Caixa de Pássaros, e pelo visto ficaria com muita raiva se lesse esse livro. Essa coisa de finais abertos e ainda não fazer sentido, isso não rola. Acho que eu também ia ter vontade de jogar o livro pela janela. Mas acho que é isso mesmo que você falou, talvez ele seja o autor de um livro só. Uma pena!

  • Camila - Leitora Compulsiva disse:

    Poxa! Que pena que pegou essa birra toda!
    Eu até cheguei a questionar algumas coisas, mas acabei relevando a piração e no final achei bem curiosa a história!
    Beijos
    Camis – blog Leitora Compulsiva

  • Manoel Alves disse:

    Olá
    Nossa eu fiquei bem chateado ao ver essa resenha, pois nunca li nada do autor e vi essa obra e em um primeiro momento achei super interessante o enredo, porém vejo que ele deu uma bombeada. Depois de ler sua resenha estou com um pé atrás a cerca de se devo ou não comprar o livro. Valeu pela sua resenha e até mais ver
    Bjs

  • Aline M. Oliveira disse:

    Eita! Eu já tinha visto que ele tinha deixado a desejar no segundo livro, e agora esse tá assim? Eu odeio finais abertos, como em Caixa de Pássaros, odiei sentir tanto medo e nervosismo pra chegar naquele final bosta, nem li o segundo e parece que não vou nem passar perto desse. Tenho a impressão de que ele tá tentando e fracassando em conseguir uma história boa como a do primeiro livro, que pra mim, tirando o final merda, foi muito boa. Que pena!

    Bjoxx ~ http://www.stalker-literaria.com

  • Dayhara Ribeiro Martins disse:

    Que doidera! Eu não sabia que era o mesmo autor! Quando é assim, acabamos indo com certa expectativa e isso sem dúvidas, acaba influenciando demais! Eu também fico fula demais com finais sem sentido, pra falar a verdade me sinto otária demais, sério haha Obrigada pela resenha, foi extremamente sincera e serviu pra me deixar alerta a respeito.

  • Luna disse:

    Olá, Karen!

    Lamento muito pela péssima experiência com o livro. Nossa! Deu para sentir a sua decepção daqui e a entendo perfeitamente. Também odeio quando um livro é idiota, quando as coisas são mostradas de maneira boba e ele possui tantas incongruências. E um final sem sentido é o pior de tudo. Deixei de assistir alguns gêneros de filmes justamente por perceber em muitos deles um final absurdo, ilógico. Lamento que o mesmo tenha se passado nesse livro. E a questão de eles ficarem respirando normalmente debaixo d’água é demais. Acho que eu também teria me sentido sufocada só em ler.

    Eu quero muito ler Caixa de Pássaros, mas passarei longe dos demais livros do autor.

    Bjs!

  • Camila de Moraes disse:

    Olá!
    Eu adoro a escrita desse autor, principalmente pelos finais em aberto que ele deixa, mas confesso que sua resenha me deixou assustada, ainda mais com essa nota.
    Josh realmente tem uma imaginação bem louca, mas como comprei o ebook recentemente pretendo ler.
    Espero sobreviver a leitura hahaha
    Beijos!

  • Grazielli de Moraes disse:

    Oie amore,

    Não conhecia o livro até então, Mais já ouvi falar e muito bem do autor em questão.
    Nossa essa coisa de a história se arrastar me incomoda sabia… fico aguniada, porque não sou dessas que para a leitura… enquanto eu não termino eu não sossego.
    No momento passo a dica… mas quero muito ler Caixa de Pássaros!

    Beijokas!

  • Lilian de Souza Farias disse:

    Adorei essa resenha, direta ao ponto, autores criam universos para adolescentes que condizem com realidade de adultos e isso é brochante.

  • Anelise Besson Almeida disse:

    Oie.

    Que pena que o livro não atendeu às suas expectativas. Eu não li nenhum livro do autor, nem mesmo Caixa de Pássaros, mas realmente os comentários sobre os outros dois livros não foram muito positivos. Acho que um pouco de culpa é nossa que cria muita expectiva e do autor que se acha o maioral e acaba não se dedicando completamente a obra, enfim, não é uma leitura que eu pretendo fazer agora. Parabéns pela resenha.

    beijos

  • Nayara Borges disse:

    Olá!
    Que pena ler que esse livro não foi bem construído. Eu amei A Caixa de Pássaros e morria de vontade de conhecer outras obras do autor, uma pena mesmo. O título desse livro tbm é muito instigante e teria tudo para ser uma trama grandiosa. Uma pena mesmo. Se eu tiver a oportunidade, talvez eu leia, mas sem expectativas.

    Traveling Between Pages

  • Marijleite disse:

    Olá, finais abertos definitivamente não são para mim, e essas incongruências na trama também me desanimariam, pela sua resenha me parece que o livro mais parece um romance de autoria adolescente do que algo voltado pro suspense. Mas ficou ótima a sua resenha, explicou bem sua opinião.

  • Manuscrito Literário disse:

    Oiie!
    De princípio, a capa desse livro não me atraiu. Depois o gênero não é um dos meus preferidos.
    Mas eu li sua resenha e estou aqui me corroendo para lê-lo.
    Adorei!
    Beijos
    http://www.manuscritoliterario.com.br

  • Ivi disse:

    Eu ainda não li nada do autor mas tenho muita curiosidade de ler caixa de Pássaros antes que a adaptação do livro entre no catalogo da Netflix. Vi elogios e criticas para este livro aqui e quero ler para ter a minha própria opinião.
    Beijos

  • Wellida Danielle Santos disse:

    Olá, tudo bom?

    Eu gostei bastante de Caixa de Pássaros, mas fiquei com um pé atrás para ler Piano Vermelho, já que li muitas críticas negativas. Estava esperando, então, o lançamento de Uma Casa no Fundo de um Lago para ver se seria a obra que me faria continuar me impressionando com o trabalho do autor, mas até agora também só vi resenhas negativas. Parece, realmente, que o autor só conseguiu fazer um trabalho bom.
    A trama é interessante, mas, pelo jeito, o autor não soube desenvolvê-la. Achei várias coisas esquisitas que você mencionou, como que, na primeira vez, eles mergulham sem nenhum tipo de equipamento e ficam muito tempo embaixo d’água. Essas inconsistências só me fazem imaginar que o enredo é um absurdo que só poderia acontecer em sonhos ou é algum tipo de metáfora, mas com um final aberto e sem sentido, não dá pra saber qual foi a intenção do autor.
    Realmente não é um livro que eu vou ler, porém agradeço a resenha sincera <3
    Abraços.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem