Resenha: Uma Loucura e nada mais

Ficha técnica:

Nome: Uma Loucura e nada mais

Autor: Mary Balogh

Tradutor: Lúcia Brito

Páginas: 272

Editora: Arqueiro

Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento.

Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada.

Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse belo e honrado soldado.

Mas será que, além de seu corpo, ela terá coragem de oferecer também seu coração ferido a ele? As respostas a todas as perguntas talvez estejam em um lugar improvável: nos braços um do outro.

Essa resenha NÃO contem spoilers dos livros anteriores, leia sem medo!

Tentando mais uma vez colocar minhas resenhas em dia, trago hoje minhas impressões sobre esse livro maravilhoso!

Uma Loucura e nada mais é o terceiro livro da série O Clube dos Sobreviventes, que se trata de um grupo de amigos sobreviventes das guerras napoleônicas que se reúnem anualmente para celebrar a amizade entre eles e o fato de terem sobrevivido ao horror da guerra, e tentam superar seus traumas contando uns com os outros.

De todos os personagens, creio que Sir Benedict Harper é o mais deprimido de todos. Ele queria muito seguir uma carreira militar, mas após um acidente, suas pernas foram comprometidas, a ponto de quase perdê-las. Sua mobilidade foi muito prejudicada, e seis anos depois ele consegue se locomover com duas bengalas.

Mesmo com toda sequela da guerra, Ben gosta de se sentir independente e, como outros membros do clube, se sente sufocado por sua família enchê-lo de mimos e não deixá-lo fazer nada.

Seu encontro com Samantha foi durante uma visita à sua irmã, no Norte. Esse primeiro encontro não foi lá muito agradável. Mesmo assim, após um segundo encontro, com devidas desculpas por parte de Ben, os dois começam uma amizade sincera.

Samantha é uma jovem viúva que cuidou do marido acamado durante a maior parte de seu casamento. Embora saiba que exista um período para o luto, ela se sente oprimida por sua cunhada querer que ela fique praticamente enclausurada e incomunicável durante esse período. Fora todo o “ritual” que ela deve obedecer, em memória do falecido. É quase como se ela fosse obrigada a ficar triste o tempo todo.

Quando ela se torna amiga de Ben, Samantha consegue um pouco de alento, porém a consequência de seu “comportamento inapropriado” a faz tomar uma medida muito drástica e Ben logo se oferece para ajudá-la a fugir do sogro, tão controlador quanto sua cunhada.

A amizade de Ben e Samantha se desenvolve gradualmente e os dois logo se apaixonam. Mas ambos vêem alguns impedimentos. Samantha acaba de encontrar a liberdade e Ben não quer ser um peso para ninguém, além de estar inseguro sobre ser suficiente para Samantha, devido sua deficiência.

A cada obra dessa série que leio, mas fico encantada. Esse foi o melhor até agora. Ben e Samantha combinam muito como casal, com um companheirismo e uma cumplicidade maravilhosos e autênticos. Ambos amadurecem durante a história e conseguem superar várias barreiras e se tornam a força um do outro para superar as demais que podem surgir.

A série Clube dos Sobreviventes se destaca de muitos romances de época pós-guerra napoleônica que eu já li. Aqui temos sete personagens que têm suas cicatrizes e traumas, tanto físicos quanto psicológicos, elementos que dificilmente eles se verão livres, como no caso de Ben, que dependerá de uma bengala ou cadeira de rodas para o resto da vida. Mas eles tentam descobrir uma forma de seguir em frente e acho muito legal a forma como a autora nos coloca a par desse processo de forma mais minuciosa. É algo lento, onde acontecerá recaídas, mas eles não desistirão de viver.

É possível ler esse livro separadamente dos demais, mas eu recomendo a série para que vocês não peguem um ou outro spoiler de livros anteriores.

Para quem quiser adquirir, segue os links dos livros da série. Você adquire por esse link e ajuda o blog sem custo adicional na sua compra! ♥

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Ivi Campos disse:

    Eu ainda não li nenhum dos livros da série, mas quero muito porque adoro essa premissa de homens fragilizados, tentando desconstruir suas forças pra sobreviverem. E com amor então, deve ser tudo de bom. Já quero ler todos.

  • Larissa Dutra disse:

    Olá, tudo bem? Ahhh, as capas dos livros dessa série são tão lindas, haha. Tenho muita curiosidade de ler esses livros, e só aumentou depois de ler tua resenha. Ótima dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • Gleydson disse:

    Olá, como vão as coisas?

    Romances de época, apesar de não serem o tipo de livro que costumo ler, me deixam bem dividido: enquanto alguns me encantam, outros não me fazem querer lê-los de jeito nenhum. Esse, porém, despertou bastante a minha curiosidade. Primeiro, pela capa bonitinha, depois pela resenha. Acredito que eu possa dar uma chance e que eu goste bastante desse plano de fundo em que a história se passa.

    Abraços!
    http://www.acampamentodaleitura.com

  • Ana Caroline Santos disse:

    Olá, tudo bem? Nossa eu li o primeiro livro e sou doida para enfim dar continuidade a série! Sua resenha me deixou mais curiosa ainda, e com certeza também acho que O Clube dos Sobreviventes se destaca bastante entre os romances de época do mesmo assunto. Adorei a resenha e dica mais que anotada!
    Beijos

  • CRIS disse:

    Oi!
    Ainda não li esses livros, mas fiquei muito curiosa, adoro romances de época principalmente quando tem envolvimento em guerra e todo um passado sofrível, obrigado pela dica, vou procurar saber mais dos livros da série, parabéns pela resenha, fiquei instigada em saber como termina o enredo. Bjs!

  • Camila - Leitora Compulsiva disse:

    Eu gosto demais dessa série!
    Tô lendo os livros na sequência exatamente para não pegar nenhum spoiler! Rs… Concordo com você que o Harper é o mais deprimido mesmo e a condição dele é triste, mas a solução do final é sensacional!
    beijos
    Camis – blog Leitora Compulsiva

  • Tay Meneses disse:

    Não conhecia esse livro e nem essa série. Mas me chamou a atenção, fiquei curiosa para saber sobre a história de cada personagem. Gosto de livros que envolvam contexto de guerra. Anotei a dica!

  • Gi Ramon disse:

    Olá, tudo bem ?
    Eu não conhecia a série e nunca li nada de época, mas sempre fico bem curiosa com todo o contexto, me parece ser bem gostoso de ler. Por outro lado a guerra é um tema que me incomoda, minha avó veio para o Brasil fugida da guerra e não consigo pensar numa reunião assim, deve ser muito rica interessante, pois hoje me arrependo muito de nunca ter conversado mais com minha avó sobre o assunto.

  • Gustavo (Leitura Enigmática) disse:

    Conheço a série, mas ainda não li nada dela, pois não e meu estilo literário, mas se eu resolver sair da minha zona de conforto, o que faço de vez em quando, irei dar uma chance para essa série, pois só de saber que é da arqueiro, já me conquista. E depois de ler sua resenha, vi que essa obra em si, possui um enredo intenso e repleto de emoções.

  • Joanice Oliveira disse:

    Olá

    eu sou apaixonada pelos livros da Mary porque os personagens são tão reais que nem parecem que não existem de verdade e tom cômico dos diálogos em alguns momentos sempre me conquistam.

    Beijos

  • Maria Luíza Lelis disse:

    Oi, tudo bem?
    Eu estou amando essa série e gostei muito desse livro. Não é o meu favorito (esse posto ainda é do segundo), mas amei como a relação dos dois foi construída aos poucos. Além disso, os dramas pessoais deles são bem desenvolvidos e muito reais. Amei ler sua resenha e fico feliz que também tenha gostado da leitura. Eu já li todos que foram publicados pela Arqueiro e não vejo a hora dos próximos saírem por aqui.
    Beijos!

  • Pah disse:

    Eu li apenas o primeiro livro da série e gostei bastante da escrita, o livro tinha um ritmo um pouco mais lento do que costumo gostar, mas mesmo assim foi uma boa leitura, preciso retomar a leitura dos demais livros dessa série para enfim ler esse
    att,

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem