Resenha: Vermelho, Branco e Sangue Azul

Ficha técnica:

Nome: Vermelho, Branco e Sangue Azul

Autor: Casey McQuiston

Tradutor: Guilherme Miranda

Editora: Seguinte

Páginas: 392

O que pode acontecer quando o filho da presidenta dos Estados Unidos se apaixona pelo príncipe da Inglaterra?

Quando sua mãe foi eleita presidenta dos Estados Unidos, Alex Claremont-Diaz se tornou o novo queridinho da mídia norte-americana. Bonito, carismático e com personalidade forte, Alex tem tudo para seguir os passos de seus pais e conquistar uma carreira na política, como tanto deseja.

Mas quando sua família é convidada para o casamento real do príncipe britânico Philip, Alex tem que encarar o seu primeiro desafio diplomático: lidar com Henry, irmão mais novo de Philip, o príncipe mais adorado do mundo, com quem ele é constantemente comparado ― e que ele não suporta.

O encontro entre os dois sai pior do que o esperado, e no dia seguinte todos os jornais do mundo estampam fotos de Alex e Henry caídos em cima do bolo real, insinuando uma briga séria entre os dois.

Para evitar um desastre diplomático, eles passam um fim de semana fingindo ser melhores amigos e não demora para que essa relação evolua para algo que nenhum dos dois poderia imaginar ― e que não tem nenhuma chance de dar certo. Ou tem?

Terminei de ler esse livro ontem e hoje trago o que achei dele.

Em primeiro lugar, eu li achando que era um YA fofo. A capa remete a um livro fofo. E sim, foi fofo, mas não foi YA. Nos deparamos com personagens acima dos 20 e um romance com palavrões e cenas bem hots. Bota no chinelo muito romance de época com cenas hots e muitos contemporâneos também.

Então, não vou explicar a sinopse de novo para vocês. O que vocês tem que entender é que Alex tem um crush com Henry, sem perceber desde o começo, mas sempre achou que era ranço (e talvez o ranço/crush fosse recíproco por parte do príncipe). É interessante, porque já no começo da história percebemos que Henry é gay, mas Alex ainda não havia se definido dessa forma. Então, acompanhamos Alex “sair do armário” aos poucos e a relação dele com Henry evoluir também aos poucos.

Assim, aos poucos, até que de repente começa com tudo e não para mais.

Embora a história foque mais no romance, também tem um pano de fundo muito bacana que é a política. A mãe de Alex quer se reeleger presidente, então acompanhamos alguns processos dos bastidores e a importância de se conhecer as leis de seu país. Além da abordagem sobre a invasão de privacidade da mídia social além dos limites, e sobre regras e convenções que podem afetar a vida das pessoas.

Henry, por exemplo, precisa seguir normas rígidas, uma vez que é um príncipe, e agir conforme as pessoas esperam dele. Alex pode não ter esse mesmo problema, mas também espera-se um determinado comportamento do filho de uma presidente.

A família de Alex é uma graça! Adorei todos eles, principalmente a irmã! Já com Henry, uma pena que ele teve que enfrentar mais problemas, ainda mais o título pesando tanto, mas eu acho também que a autora quis retratar dois contrastes familiares.

De volta ao romance, o relacionamento dos dois se desenvolve aos poucos, o que torna tudo ainda mais carismático e fofo. Como eu disse, Alex vai se descobrindo no decorrer da trama, então acompanhamos todo um crescimento dele, com a ajuda de Henry e como eles conseguem crescer juntos como um casal. Foi um dos melhores desenvolvimentos de relacionamento que já li.

Claro que, uma vez que são figuras públicas, quando o relacionamento é descoberto pela mídia, vira um tremendo escândalo. A forma como a autora escreveu foi muito boa, porque mostra também como a sociedade é hipócrita. Se os dois namorassem mulheres, seria tão escandaloso assim? Isso me lembra tanto aqueles programas de fofoca que procuram qualquer detalhe diferente de uma notícia em busca de audiência, mesmo sem terem encontrado nada de útil ou substancial. É querer explorar a vida alheia, o sofrimento alheio. Odeio esse tipo de coisa.

Enfim, leiam! Se deliciem com a história desses dois jovens carismáticos e muito fofos!

Este livro foi gentilmente cedido para resenha pela Companhia das Letras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Silviane Casemiro disse:

    Oie!
    De fato este livro não é YA, porque ele é mais o NA. E é super comum palavrões, rebeldia e tal né… faz parte da idade kk
    Eu aaamo demais esse livro e acho o romance maravilhoso, mas claro que o que mais curti foi toda a temática politica que o livro trás.

    Silviane, blog Memento Mori• Siga no Instagram: @kzmirobooks

  • Kênia Cândido disse:

    Oi Lucivania.

    Adorei sua resenha, pois tenho muita vontade de ler esse livro, mas ainda não tive a chance de adquirir um exemplar. Mas vou tentar o mais rápido possível, ainda mais sabendo que a forma da escrita da autora é boa . Além da capa ser linda. Parabéns pela resenha.

    Bjos

  • Bianca Ribeiro disse:

    Eu sempre falo que é importante falar que VBESA é um NA por causa da idade dos personagens, todo mundo ali é adulto e tem outros conflitos.

    Eu li esse livro ano passado com uma amiga e a gente surtava a cada pagina, foi realmente uma leitura maravilhosa! Eu tive algumas ressalvas, mas no contexto que o livro ta inserido, ele é realmente sensacional! Adorei tua resenha!

  • Ana Caroline Santos disse:

    Olá, tudo bem? Eu fico chocada quando as pessoas falam que esperavam um YA fofo e ele não é NADA disso ÇSHAHSÇA fiquei curiosa, porém estou esperando sair do hype para ler. Espero também curtir e pela sua resenha posso esperar uma ótima história. Adorei!
    Beijos

  • Alisson Gomes disse:

    Oi Luci,
    haha o livro não tem nada de YA, na verdade ele é um NA e eu já peguei o livro sabendo de tudo isso, por isso fiquei tão ansioso pela leitura, e devo dizer que esse sem dúvidas foi o melhor livro que li em 2019, me entregou tudo o que eu precisava num livro foi simplesmente amor!!

    Beijos!
    Eita Já Li

  • Resenhas da Viviane disse:

    Que show de resenha menina, adorei! Eu acho muito importante informar para os leitores que um livro é hot e contém muitas cenas sexuais, porque, eu por exemplo, não gosto desse gênero.
    Fiquei curiosa para conhecer a história desse livro, como a questão o homossexualismo é tratado no meio da realiza, com mais detalhes e saber o que acontece no final da história.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

  • Clayci Oliveira disse:

    Estou vendo tantas pessoas panfletando esse livro, que sinto que preciso dar uma chance para essa leitura logo. A sua foi a primeira resenha que parei para ler e já fiquei com vontade de saber o desfecho ahuahiuahuah

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem