Série – Magnus Chase e os Deuses de Asgard


Magnus Chase e os Deuses de Asgard, por Rick Riordan

Magnus é um jovem de 16 anos que é literalmente morto durante uma luta contra um ser desconhecido. Após sua morte, ele é levado por uma jovem em um cavalo alado, que ele soube se tratar de uma valquíria, para Valhala, lugar onde os guerreiros com morte honrosa vão para servir Odin. E lá, em meio a confusões, treinos e ainda tentando se acostumar à sua nova “vida”, Magnus vai enfrentar perigos para impedir o Ragnarök.

A série é publicada no Brasil pela editora Intrínseca.

 

A Espada do VerãoA Espada do Verão
(Magnus Chase e os Deuses de Asgard #1 – 2015)

Leia a resenha

Às vezes é necessário morrer para começar uma nova vida…

A vida de Magnus Chase nunca foi fácil. Desde a morte da mãe em um acidente misterioso, ele tem vivido nas ruas de Boston, lutando para sobreviver e ficar fora das vistas de policiais e assistentes sociais. Até que um dia ele reencontra tio Randolph – um homem que ele mal conhece e de quem a mãe o mandara manter distância. Randolph é perigoso, mas revela um segredo improvável: Magnus é filho de um deus nórdico.

As lendas vikings são reais. Os deuses de Asgard estão se preparando para a guerra. Trolls, gigantes e outros monstros horripilantes estão se unindo para o Ragnarök, o Juízo Final. Para impedir o fim do mundo Magnus deve ir em uma importante jornada até encontrar uma poderosa arma perdida há mais de mil anos. A espada do verão é o primeiro livro de Magnus Chase e os deuses de Asgard, a nova trilogia de Rick Riordan, agora sobre mitologia nórdica.

Fonte

 

O Martelo de ThorO Martelo de Thor
(Magnus Chase e os Deuses de Asgard #2 – 2016)

Leia a resenha

Em A Espada do Verão, primeiro livro da série, os leitores são apresentados a Magnus Chase, um herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain. Morador de rua, sua vida muda completamente quando ele é morto por um gigante do fogo. Por sorte, na mitologia nórdica os heróis mortos vão parar em Valhala, o paraíso pós-vida dos guerreiros vikings. Lá, Magnus descobre que é filho de Frey, o deus do verão, da fertilidade e da medicina.
Desde então, seis semanas se passaram, e nesse meio-tempo o garoto começou a se acostumar ao dia a dia no Hotel Valhala. Quer dizer, pelo menos o máximo que um ex-morador de rua e ex-mortal poderia se acostumar. Magnus não é tão popular quanto os filhos dos deuses da guerra, como Thor e Tyr, mas fez bons amigos e está treinando para o dia do Juízo Final com os soldados de Odin — tudo segue na mais completa paz sanguinolenta do mundo viking.
Mas Magnus deveria imaginar que não seria assim por muito tempo. O martelo de Thor ainda está desaparecido. E os inimigos do deus do trovão farão de tudo para aproveitar esse momento de fraqueza e invadir o mundo humano

Fonte

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •