Semana especial “A menina que roubava livros”

Estamos participando da semana especial “A Menina que roubava livros”, de Markus Zusak, organizada pela editora Intrínseca. Nós iremos ter posts essa semana sobre essa obra e também sobre outras que possuem a mesma temática. Ainda não conhece esse livro? Vocês podem ler a resenha aqui!

“A menina que roubava livros” é um daqueles livros que eu posso dizer que mudaram a minha vida. Ele está com certeza na categoria de “livros favoritos”, tanto pela temática mas principalmente pela forma que ele foi escrito. Mas a minha história com ele já começou de uma forma bastante diferente porque eu o conheci na primeira Bienal do Livro que eu fui aqui no Rio de Janeiro. No estande da Intrínseca havia uma parede imitando o desenho da capa e eles emprestavam a capa preta e o guarda-chuva vermelho para você poder tirar uma foto. Eu achei tão bonita aquela imagem que quando eu cheguei em casa eu fui logo procurar sobre o que era aquele livro e depois o comprei porque… Um livro narrado pela Morte? Existem inúmeros livros sobre a Alemanha nazista, mas um com essa narradora eu nunca havia lido. O autor consegue retratar um período tão triste da nossa história porém de uma forma muito… Eu não sei nem como descrever. Não é poética exatamente, eu acredito que seja algo mais como delicada. Eu acho que é meio difícil não chorar com essa leitura porque ele toca o leitor de diferentes formas.

“A menina que roubava livros” é um livro tão importante para mim principalmente sobre toda a reflexão que ele me fez ter sobre a época retratada e sobre a questão da morte em si. E esse é um dos grandes motivos que o ato de ler é tão importante: ele consegue te mostrar outras realidades que você não viveu. Mesmo que o enredo em si seja uma ficção, ele é baseado em coisas que aconteceram com alguém ou que poderia ter acontecido.  Um livro tem outras faces, como a  questão de entretenimento ou o fato de que um leitor consegue adquirir um melhor vocabulário. Porém. se colocar no lugar de outras pessoas é algo que te faz também crescer como ser humano. E isso é uma coisa que falta MUITO nesse país. Por isso, eu resolvi listar aqui alguns livros que me tocaram dessa mesma forma.

Tartarugas até lá embaixo, John Green [Resenha] – Tem muitas pessoas que tratam os transtornos psicológicos como se fossem “frescuras”. Esse livro é um mergulho em como é ter “transtorno obsessivo compulsivo”, mais conhecido como “TOC”. O livro é tão real porque o próprio autor tem TOC, então ninguém melhor do que ele para conseguir fazer com que a gente entenda a protagonista. Eu nunca, nunca, nunca iria imaginar que fosse assim.

O Sol também é uma estrela, Nicola Yoon – Esse é um livro que trata sobre um tema que está bastante polêmico hoje em dia: pessoas morando em um país que não é o de origem da sua família e nesse caso melhor ainda porque é nos Estados Unidos. Mais atual, impossível. É claro que o ponto principal do livro é o romance, mas ele leva a inúmeras discussões sobre as situações e as difíceis escolhas que essas pessoas tem que tomar.

Como eu era antes de você, Jojo Moyes [Resenha] – Esse é um livro que realmente me tocou porque ele me fez mudar de opinião. Não totalmente, mas ele me lembrou que nós nunca sabemos a dor de uma outra pessoa. O tema principal é um deficiente físico que não aguenta mais o sofrimento e por isso ele quer passar pela eutanásia, porém a família não quer e tenta o convencer de toda forma a desistir dessa ideia. Eu fiz a resenha desse livro de uma forma bem diferente: uma carta para o protagonista e nela eu falei exatamente sobre como essa leitura me transformou.

Uma coisa absolutamente fantástica, Hank Green [Resenha] – Aqui o tema trabalhado é um que é tão atual que eu estou o recomendando para todo mundo. Qual é o real poder da internet? Esse livro só não foi um choque muito grande porque nós estamos presenciando as consequências disso nesse momento, mas mesmo com o fundo de fantasia ele consegue levantar questionamentos muito importantes: até quando a fama é importante? Qual é a responsabilidade que a fama nos traz?

A Culpa é das Estrelas, John Green [Resenha] – Bom, eu acho que todo mundo conhece esse livro, nem tenho muito que falar. John Green tratou de um assunto tão delicado de uma forma muito bonita. Algumas pessoas comentam que os protagonistas agem de uma forma muito mais madura do que a idade deles, porém eu acho que aqui o mais importante é a mensagem do que contexto em si.

Série Jogos Vorazes, Suzanne Collins [Resenhas] – Eu sempre fui muito fã de reality shows, até mesmo esses do estilo Big Brother e eu adoro analisar como as pessoas estão sendo manipuladas e nem percebem que isso está acontecendo. Então eu pergunto: é impossível algo como Jogos Vorazes acontecer? Não, não é. E isso me deixou perturbada por muito dias.

Série Harry Potter, J.K.Rowling – Eu provavelmente poderia escrever uma coluna só sobre como Harry Potter me transformou: tanto no sentido pessoal, porque fiz inúmeras amizades com essa série, quanto pelo enredo mesmo. Harry Potter é um livro que fala muito sobre amor nas suas diferentes formas – e isso é algo que nós realmente estamos precisando.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  • Clayci Oliveira disse:

    Acho que esse foi o primeiro título lançado pela intrínseca, né? Gosto demais dessa história e achei muito reflexiva.
    Li a grande maioria dos selecionados, tbm amo John Green <3 e adorei essa ideia de discutir sobre a obra e o gênero

  • Elidiane Lima disse:

    Oi, Lany!
    Li A menina que roubava livros alguns anos atrás e eu amei a história, sorri e chorei também; esse livro é lindo, acho que todos deveriam ler!
    Também nunca tinha visto um livro narrado pela Morte, achei isso bem diferente e interessante…
    Tenho interesse em ler Tartarugas até lá embaixo mas ainda não tive a oportunidade, quem sabe no futuro?!
    Abraços.

  • Nina Spim disse:

    Oi, tudo bem? Não cheguei a ler A menina que roubava livros, tentei há uns dois anos, mas não rolou comigo, achei extremamente chato. Mas adoro o filme. Tartarugas é o meu xodó do John Green, eu já conheço bastante sobre transtornos como ansiedade, que também existe no livro e gostei demais que o autor tenha jogado luz sobre a saúde mental <3 O sol também é uma estrela ainda não li, mas quero muito. Acabei não querendo conhecer a história de Como eu era antes de você e não me arrependo, acho que não é mais um tipo de narrativa que me inspira, sabe? Não me interessei pelo livro do Hank, apesar de conhecidas terem gostado. Não vi muito uma relação comigo, sabe? Aí, ainda não quis ler. Jogos vorazes e Harry Potter têm um lugar especial no meu coração <3 Espero que você goste das leituras, as que li recomendo muito hehe.

    Love, Nina.
    http://www.ninaeuma.blogspot.com

  • Nina Spim disse:

    teste teste teste

  • Nina Spim disse:

    Oi, tudo bem? Meu comentário gigante não foi publicado, não entendi o porquê, tô chateada. Não vou conseguir reproduzir o que já escrevi. Eu já li Tartarugas, gostei muito pelo autor ter falado sobre a saúde mental. Jogos vorazes e Harry Potter têm um lugar especial no meu coração <3 Ainda não me interessei pelo livro do Hank, apesar de conhecidas terem gostado muito. Não li nem vi Como eu era antes de você, porque não é mais o tipo de história que busco. Espero que goste das leituras, as que li recomendo muito 🙂

    Love, Nina.
    http://www.ninaeuma.blogspot.com

  • Mercia Machado disse:

    Olá Lany!
    A menina que roubava livros está na minha lista de desejados há um bom tempo, infelizmente ainda não o adquiri e não curto ler ebook. Ver tua opinião me deixou ainda mais ansiosa em realizar a leitura. Já li alguns livros com a temática , mas nenhum narrado pela morte. Deve ser uma reflexão incrível.
    Parabéns pelo post!

  • Saga Literária disse:

    Olá, tudo bem?

    Gostei da sua publicação e escolha dos livros, eu infelizmente não li qualquer um dos livros acima citados, mas tenho muita vontade de ler “A Menina que roubava livros”.
    Abraço!

  • Jéssica Melo disse:

    Olá Lany, eu tenho muita curiosidade de ler A Menina que Roubava Livros, mas sempre acabo passando outros livros na frente dele, mas vou coloca-lo na pilha das feries e quem sabe eu consiga fazer a leitura *-* Sobre as outras indicação eu tenho muita curiosidade de ler Como eu era antes de você, todo mundo fala muito bem sobre ele que sem duvida deve estar bem tocante mesmo.

PREENCHA OS CAMPOS ABAIXO PARA DEIXAR SEU COMENTÁRIO




Mensagem