Posts com a tag ‘As Vantagens de Ser Invisível’


Adaptação: As Vantagens de Ser Invisível

Desde que li As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower) pela primeira vez fiquei empolgada para o lançamento do filme. Apesar de não gostar de ter grandes expectativas para nenhuma adaptação cinematográfica – especialmente de livros que amo – com Wallflower isso foi impossível. O primeiro motivo foi que Charlie seria interpretado por Logan Lerman. Sim, Logan Lerman que fez Percy Jackson na horrenda adaptação do primeiro livro da série e conseguiu passar a aura de Percy mesmo com o roteiro original completamente diferente da história do livro. Por isso eu tinha esperanças de que ele conseguisse transmitir a pureza, as dúvidas e problemas de nosso amigo Charlie. O segundo – e maior – motivo da minha esperança em um filme decente foi o fato de Stephen Chbosky – autor do livro – ter escrito o roteiro e dirigido o filme!

we accept the love we think we deserve




Resenha: As Vantagens de Ser Invisível

“Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe – a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. Íntimo, hilariante, às vezes devastador, As Vantagens de ser Invisível nos mostra um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.” Fonte

A primeira coisa que me chamou a atenção em As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower em inglês) foi o título. Wallflower se trata de alguém que é um tanto quanto solitário, um pouco tímido, que ninguém realmente conhece mas que se derem uma chance, verão que se trata de uma pessoa muito interessante. Esse é Charlie, nome que o personagem principal adotou para se corresponder com seu amigo anônimo. Aliás, trata-se de um romance epistolar – ou seja, a história é completamente desenvolvida através das cartas escritas por Charlie.

And in that moment, I swear we were infinite