Posts com a tag ‘Doenças’


Resenha + Promoção: Sonhe Mais

“Jai Pausch passou por um trauma: a perda do marido para um câncer de pâncreas. A enfermidade de Randy Pausch também destruiu as verdades e as certezas em que Jay acreditava. Pega de surpresa pela doença, que avançou rapidamente, Jay Pausch precisou inverter suas prioridades. Acostumada a cuidar da família, percebeu que aquele era, também, o momento de cuidar de si mesma, porque, do contrário — caso fraquejasse —, sua família não sobreviveria. E, apesar de todas as alterações pelas quais passou, foi capaz de registrar a maior parte de suas experiências, dúvidas e medos.

Este registro acabou se constituindo num relato vigoroso sobre como a morte muda o relacionamento entre as pessoas e sobre como é possível sobreviver, passo a passo, a essas mudanças.

Sonhe Mais é referência para todos os que estão vivendo uma fase de transição e é leitura obrigatória para aqueles que passaram, ou estão passando, por um momento de dor.” Fonte

Essa resenha hoje vem em um dia bastante especial: 8 de abril é o dia mundial de combate ao câncer. É também o dia que a minha avó materna faria aniversário; ela faleceu devido a um câncer há quase 16 anos e, há quase um ano, minha mãe se foi com o mesmo câncer que levou anteriormente sua própria mãe. Portanto, quando vi esse livro na lista de solicitações da Novo Conceito percebi que precisava lê-lo. Como é dito na sinopse, Sonhe Mais é um livro perfeito para as pessoas que estão passando – ou já passaram – por um momento de dor e de perda. Se você se enquadra em qualquer um dos casos, corra e leia esse livro; se não, leia-o também: Sonhe Mais é um relato sensível, real e emocionante que merece ser lido.

É preciso procurar bem lá no fundo, mas ela está lá, esperando para ser trazida à tona: uma força indescritível. (…) percebi que simplesmente tinha que fazer o que precisava ser feito.




Resenha: A Zona Morta

“Após passar cinco anos em coma profundo, Johnny Smith, um simples professor, acorda de seu estado inconsciente não reconhecendo certos objetos. Segundo os médicos, Johnny está com uma área de seu cérebro danificada, a qual eles chamam de Zona Morta. Entretanto, este será o menor dos problemas na vida de Johnny daqui para frente. Ele agora é capaz de, com um simples aperto de mão, saber fatos do passado das pessoas e prever seu futuro. Para aqueles que estão a sua volta, esta é uma dádiva. Para Johnny, não passa de uma maldição. Com isso, o professor torna-se popular, atraindo um número crescente de pessoas em busca de previsões. Mas, ao apertar a mão de Greg Stillson, um inescrupuloso político norte-americano, Johnny será atormentado por uma visão apocalíptica.” Fonte

Pelo menos uma vez por ano eu tenho essa vontade de ler Stephen King. Então eu vou lá na minha estante e dou uma olhada no que eu ainda não li – ou no que quero reler. Um dos meus projetos esse ano é começar a releitura de toda a série A Torre Negra, mas isso é história para outro post. O que importa mesmo é que eu tive essa vontade, vi A Zona Morta dando sopa na estante e resolvi ler.

“Some things were better lost than found.”




Resenha: Brain on Fire

brain_on_fireEu tinha prometido pra mim mesma que minha próxima resenha seria de algum livro já lançado ou com data de lançamento no Brasil; mas aí Brain on Fire aconteceu e não tive outra alternativa a não ser vir aqui no blog e escrever sobre ele.

Descobri esse livro por acaso: passeando pelas sessões psicológicas e médicas da minha livraria favorita, o título me chamou a atenção. Eu já tinha decidido não comprar nada naquele dia pois minha lista de livros que tenho e nunca li é capaz de cobrir quase dois anos de leitura. Mas aí li a sinopse e vi que se tratava de uma história real, e bem, o acordo que fiz comigo mesma esse ano exige que eu leia mais livros de não-ficção, então Brain on Fire veio pra casa comigo.

Continue lendo…




Resenha: Garotas de Vidro

“Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda. Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.” Fonte

Esse é um livro forte e difícil de ler, e ao mesmo tempo, um livro que você não consegue largar. Li em poucos dias, e apenas não li em menos porque tinha que fazer outras coisas e não pude dedicar dias inteiros ao livro.

Lia é uma garota presa ao seu próprio corpo e à tortura que ela/sua família/a sociedade impuseram a ela mesma. Ela chegou a um nível de obsessão que nada mais a satisfaz, nada tem sentido, a única razão de sua existência é permanecer forte e vazia, e o peso nunca é suficiente. Ela sempre quer menos. Sua obsessão se acentua quando Cassie, sua melhor amiga – e também cúmplice do tormento que as duas vivem – morre sem explicação, sozinha em um quarto de motel. Ela tinha ligado para Lia trinta e três vezes. Trinta e três vezes. E Lia não atendeu.

A verdade nem sempre é o que enxergamos.




Top Ten Tuesday: 10 posts que formam o melhor quadro de mim

Hoje o Top Ten Tuesday é muito sobre eu mesma. Como escolher dez posts do blog que representem o que eu sou? Tenho certeza que vou colocar muitos posts meus aqui, mas também colocarei alguns das minhas amigas e colegas de blog, porque se eu não tivesse nada a ver com elas, certamente não estaríamos aqui juntas, falando sobre os livros amamos.

Lembrando que o Top Ten Tuesday foi criado pelo blog The Broke and the Bookish!

Se vocês lerem esses posts, saberão bastante quem eu sou.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Página 4 de 512345